Em Tróia !!!!!!!


Noemi Marone Cinzano não pretendia apaixonar-se por este lugar. Ela simplesmente estava explorando, os arrdores e sua curiosidade a levou a um lugar maravilhoso, uma extensão isolada de pântanos e bosques atrás das dunas de uma praia incrivelmente longa na Península de Tróia, em Portugal. Os 50 acres de terreno ficam lado a lado com o último recuo do terreno de seu amigo Christian Louboutin, o designer de calçados francês, o que tornou ainda mais sedutor este lugar. Noemi, a herdeira muito loira e muito bronzeada da marca de vermute italiana, já tinha uma casa linda, uma propriedade e vinhedo na Argentina, onde produz Bodega Noemía de Patagonia, um premiado e biodinâmico Malbec. Mas ela gostou da ideia de se mudar para a Europa, de estar mais perto de seus dois filhos já adultos com o seu ex-marido, o Conde Gelasio Gaetani d’Aragona Lovatelli, um escritor que também é vinicultor notável. Apesar da proximidade da propriedade portuguesa ao resort Jet-Set da Comporta, ela achou esta região maravilhosamente discreta, como ela diz, “um pequeno segredo”.

Noemi comprou o terreno, derrubou a casa da década de 1980, e convocou um amigo de longa data, o reverenciado designer de Londres, Cinzano comprou o pacote, derrubou seu prédio inexistente na década de 1980, e convocou um amigo de longa data, o reverenciado designer londrino, John Stefanidis, para criar o novo refúgio. Stefanidis é um elegante egípcio conhecido por suas esplêndidas decorações e cujos clientes incluem Westminsters e Rothschilds. Primeiro trabalhou com Cinzano no início da década de 1990 em sua antiga casa em Londres, uma bela casa Regency chamada Broom Villa. “John tem um estilo muito mediterrâneo, e ele gosta de luz”, explica Cinzano.

Ele ficou mais do que satisfeito em assumir a tarefa. “Noemi é maravilhosa e muito chique, ela sabe como ninguém fazer uma atmosfera agradável”. Estes clientes têm uma vida adorável, e um talento nato na família. O irmão de Cinzano, Enrico, fundou o Projeto Alabama, a casa de moda artesanal americana, antes de se tornar um admirado designer de móveis, e seu bisavô Giovanni Agnelli foi o criador da Fiat.

A proprietária explicou a Stefanidis que queria usar a residência de Portugal durante todo o ano, e que seria mais um refúgio do que um lugar para entreter convidados. “Uma casa egoísta”, disse ela. Dois quartos de hóspedes e nada mais. Ele desenhou os planos para um andar térreo com espaços de fácil fluxo, um pequeno segundo andar para uma sala, quarto de hóspedes, e uma varanda convidativa com vista para a lagoa da propriedade, as dunas, e mais adiante, o Atlântico. “É tão silencioso e inspirador”, diz Cinzano. “Eu tenho um amigo que quer escrever um livro aqui”.

A paleta de cores gira em torno de seus matizes preferidos. “Sim, eu gosto de rosa e verde”, ela diz com uma risada enquanto corre a mão carregada de esmeraldas sobre sua blusa de linho rosa pálido e brinca com um pendente colombiano de esmeralda natural. O chão da cozinha é de cimento framboesa, um dos quartos de hóspedes é acentuado com um tom de gerânio, as cadeiras de jantar da varanda são rosa flamingo, a mesa de jantar é pintada de verde e o hall de entrada é pintado com o brilhante pó de esmeralda brasileira. Desde que Cinzano vendeu a Broom Villa alguns anos atrás e armazenou o seu conteúdo, ela tinha uma quantidade razoável de mobiliário e peças de arte para a nova casa, incluindo um par de mesas reais do século XIX, pertencentes ao avô dela, e um quadro de Aldo Mondino, retratando  Lord Byron, que aparece sobre a lareira. “Ela trouxe o passado, por assim dizer”, diz Stefanidis.

Cinzano e Stefanidis preencheram a casa com as criações de seus amigos. Stefanidis também produziu várias peças únicas, incluindo, uma mesa de centro com uma marchetaria poética do vento e estrelas em madrepérola e lápis Lazuli. “Para refletir o romance do lugar”, ele explica.

O paisagista francês Louis Benech, um amigo de Cinzano que também estava de férias na região, ajudou a planejar o jardim, e o fazendeiro espanhol Fernando Martos completou as plantações, incluindo um bosque de laranjeiras e limões, uma horta e 15 mil pinheiros. “Portugal é um dos maiores produtores de pinhões”, observa Cinzano. Ela também tem uma pequena vinha. Ao lado da lagoa, Cinzano construiu o que ela chama de ” pagode”, um pavilhão ao ar livre onde ela se senta com seus cães, 14 ao todo, e observa o por do sol sobre o oceano.

 

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Cornwall !!!!!!!


Encantadoramente romântica, esta casa junto ao mar, é um retiro de um casal jovem. Com vista para a bonita aldeia de Trevalga, o cenário lindo e isolado desta antiga capela inspira escritores, artistas e românticos. Com vistas magníficas para o mar, está a poucos minutos das encantadoras aldeias costeiras de Tintagel e Boscastle, no norte da Cornualha, e a poucos passos do caminho da costa.

A decoração interna tem uma paleta de cores românticas, tons calmos de verde e cinzas que contrastam com a pedra natural e os pisos de madeira envelhecidos. Há um quê de majestade gótica e eclesiástica que reina através de acentos metálicos e acessórios escolhidos a dedo.

A paisagem deslumbrante do mar, pode ser desfrutada no conforto da cama de casal no quarto principal com nível privado de mezanino. Os degraus de pedra em espiral conduzem ao banheiro de luxo no piso inferior, onde você pode afundar na banheira profunda e relaxar. Há também um outro quarto neste nível e um bengaleiro no piso térreo. As paisagens me remetem aos romances de Rosamunde Pilcher, muitos deles passados nesta região da Cornualha tão deslumbrante e tão inspiradora, quase sinto o cheiro de comida saindo da cozinha. As imagens falam por si só, aproveitem a visita, se deliciem com os detalhes e vejam que a simplicidade aliada a bom gosto pode ser absolutamente encantadora e chic.

Som de Years & Years – King

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Cozinha Verde e Rosa !!!!!


Esta cozinha, é baseada com uma perfeição deslumbrante, no estilo rural inglês. Uma das paredes é coberta com azulejos verde esmeralda artesanais, e os armários são em um tom de cinza azulado com puxadores de cobre. Algumas das portas são de vidro para exibição dos pratos e louças, e a prateleira rente ao chão serve para armazenar a lenha, muito típico das casas de campo. A ilha da cozinha também é azul com uma bancada de mármore branco e várias prateleiras de armazenamento.

A parede da lareira é rosa, uma plataforma de cimento emoldurada com trabalho de ferro, e um retrato antigo dão um ar de requinte a esta cozinha, o lustre maravilhoso de cristal ajuda a manter o clima de outras épocas. A terceira parede é de um tom de cinza cremoso, há vários armários para guardar todos os itens necessários, um fogão e um suporte com panelas de cobre, que também se tornam parte da decoração.

O piso rústico e manchado e as plantas presentes, tornam a cozinha mais aconchegante e mais convidativa. Caixas para armazenamento e um banquinho de madeira simples nos lembram que este é um espaço rústico.

Que vontade de ter essa cozinha na minha casa. Tudo é perfeito, o matiz azul-acinzentado dos armários, os puxadores de latão, o letreiro “despensa” com letras pintadas á mão, os azulejos verde esmeralda, inspirados dos antigos metrôs, as paredes pintadas de rosa, as panelas de cobre penduradas. . . Posso continuar enaltecendo este espaço por muito tempo. Rosa e verde, vocês se arriscariam com essas cores?

Som de Neil Young – Harvest

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Quase Provence, Quase Toscana !!!!


Este tom de verde água das janelas de madeira, e algumas aberturas em forma de arco nos despistam. Estamos na Provence ou na Toscana? Esta casa tem um carácter mediterrânico, um ar de verão,  uma casa aberta para o jardim, com pisos de terracota e uma varanda com vigas onde as refeições acontecem. Mas não estamos nem na França e nem na Itália. Na verdade esta residencia fica na Espanha, mais precisamente em Sotogrande.

Anteriormente esta casa não era assim. “Era uma casa muito escura, com móveis pesados ​​e estilo tradicional da Andaluzia. Os proprietários, uma família inglesa, com quatro filhos, queria uma casa no Mediterrâneo, confortável e fresca. As paredes, o mobiliário, tapeçarias claras e carpintaria em tom de verde água mudou drasticamente a sua aparência “, diz Tom London designer de interiores, e responsável pela transformação.

Camilla, a proprietária, interveio apenas para atualizar e renovar o seu estilo. “A casa tem muitas janelas e eu queria dar-lhes mais caráter, adicionando mais um elemento de decoração”. Olhando para o jardim, ela teve a inspiração através das suas cores. “É muito exuberante com buganvílias, árvores e plantas nativas que vestem a casa e lhe dá privacidade.” Se somarmos detalhes como a lareira clássica, arandelas antigas, móveis em pátina, as tapeçarias de algodão de qualidade, e a banheira antiga, podemos notar um olhar de refinamento afrancesado ou italiano, como eu tanto gosto.

Ao pintar as janelas de verde água, a casa teve uma transformação instantânea. “Este tom se funde com o jardim e dá alegria á decoração em tons básicos”. Então Camilla espalhou por toda a casa itens em tom de morango, desde o lobby de entrada até a sala de estar, com lindas cadeiras de vime com vista para o jardim. O resto foi preenchido com mesas, toalhas e colchas floridas, tudo muito provençal.

Verde e tom de morango, neutralizam o tom torrado dos pisos de terracota e das vigas de madeira, que receberam tratamento para ficarem mais claras. A casa foi construída pelo arquiteto Wilco Meeuwis. Ele distribuiu bem as áreas com materiais de qualidade. O piso da varanda, com lajotas em ziguezague é muito agradável ao olhar. Então eu me concentrei em atualizar o estilo dos proprietários, e torná-lo ainda mais confortável, diz o designer.

Assim, quase todos os quartos têm vista para o exterior. A sala de jantar, sala de estar e até mesmo o banheiro principal, com sua elegante banheira, possuem vista para as buganvílias, palmeiras e oliveiras do jardim.  Camilla deu um ar romântico e sóbrio para os quartos no primeiro andar, com cabeceiras e mesas em pátina branca, espelhos delicados e colchas com estampas florais, que deixam esta casa ainda mais convidativa e charmosa.

 

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

O Casaco Peacoat !!!!!!


 

O termo “peacoat” foi usado por quase 300 anos. Derivado da palavra holandesa “pije”, foi usado para descrever um casaco de tecido de lã grossa já no século XVI. Desde então, foi conhecido pelo seu lugar na Marinha. Eles foram originalmente projetados para marinheiros que subiam nos mastros de veleiros, como não eram acinturados e cobriam ligeiramente os quadris, eram bem fáceis para a movimentação necessária.

Além do ajuste, outra característica clássica do peacoat é a lapela de grandes dimensões. Não é só o fato de vestir o casaco, que é funcional. A lapela “conversível” foi projetada para proteger os marinheiros expostos aos ventos frios e fortes no mar, sem prejudicar a visão. Também pode ser fechado ou deixado aberto para regular o calor. A lã do peacoat é pesada, com uma trama apertada e durável, protegendo do frio, do vento e até mesmo de chuva. Uma necessidade em pleno mar. Acredita-se que tenha sido criado pelos ingleses, mas não há certeza. O Sr. Edgard Camplin fundou uma loja em 1850 em que vendeu uniformes à marinha britânica, particularmente na Índia, no início de 1888. Depois disso, o Sr. Camplin supostamente criou um casaco para o uniforme de oficiais da marinha, quase igual ao dos marinheiros. Ele projetou o Petty Coat, que também era conhecido como P. Coat, depois se popularizou para Peacoat por razões fonéticas.

O peacoat é um desses casacos que consegue ser clássico, mas não muito tradicional, de alfaiataria mas sem excessos, versátil, mas nunca monótono. Você pode usá-lo com qualquer coisa, desde um terno até jeans e uma camiseta sem que ele esconda a roupa ou se misture demais. Junto com a sua versatilidade vem seu conforto e movimentos fáceis, tornando-o o casaco perfeito para sobreposições, tanto em estilo casual, como mais arrumado. Se você está procurando por algum casaco quente, fácil de usar, e que vai complementar sua aparência, pode ser uma boa ideia dar uma chance ao peacoat. Eu tenho um de lã bem grossa e botões dourados que comprei em Nova Iorque há mais de 20 anos em um antigo brechó da marinha, dura até hoje e está praticamente novo.

Resumindo, o peacoat é um coringa no armário clássico e funcional masculino, que existe há mais de um século. A versão original, azul com botões de âncora é certamente a mais popular, mas hoje em dia você tem uma escolha de diferentes materiais e cores. Não importa se você é vintage ou mais moderno, um peacoat é ideal para quando você quer se agasalhar, mas acha o sobretudo muito formal e as jaquetas de nylon não são o seu estilo. A seguir algumas ideias de como usar este clássico masculino !!!!!

Som de Christina Aguilera – Candyman

Precisa de ajuda? Quer organizar o seu guarda roupa? Duvidas para combinar peças que já tem? Entre em contato pelo blog, ou pelo E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Estilo Sueco !!!


Um edifício, cuja história remonta ao ano de 1924, e teve a sua completa reforma terminada em 2010. Foi uma renovação completa, durante a qual seus criadores tentaram preservar a sua aparência original, nos mínimos detalhes. Graças a este trabalho maravilhoso originou-se este edifício de 15 apartamentos, representando o design de interiores clássico sueco.

Este apartamento no segundo andar recebe luz natural em quase todos os quartos. Seu tamanho e layout é ideal para famílias jovens. Uma grande cozinha com sala de jantar oferece o espaço perfeito para cozinhar e armazenamento de mercadorias, mas é também usado para a socialização da família. Graças à reconstrução da cozinha, agora ela é bem prática, com todos os aparelhos necessários, entre os quais se destaca a geladeira branca de design retrô.

Os móveis são de design clássico, pisos de madeira, lareiras de época e tudo em cores claras e luminosas, que são típicas de quem mora na Suécia. O apartamento, é pontuado por inúmeros detalhes retrôs além da geladeira, que merecem a nossa atenção nesta visita. Graças a eles, esta casa oferece a combinação perfeita de elementos de design clássico, com outros mais modernos não havendo nenhuma interferência entre eles.

Ambos os quartos, são decorados seguindo a mesma estética do restante da casa. O espaço de armazenamento e arrumação da cozinha fica em armários feitos sob medida, mas com um ar “antiguinho”. Uma parede de tijolos expostos foi adicionada a esta área, tornando tudo ainda mais charmoso e cheio de estilo.

Por outro lado, na sala de estar um dos elementos que mais nos chama a atenção é o papel de parede floral, que dá um toque de romantismo e casa com os móveis tradicionais e a linda lareira de época.

Um interior típico sueco, que ainda inspira muitos designers. Entre os vários pontos de referência, a simplicidade, linhas suaves e uso de materiais naturais.

Esta bela bela residência foi restaurada pouco usando materiais antigos, heranças e mobiliário restaurado, do século passado. A princípio, parece que tudo é muito antigo, mas olhando mais de perto, você percebe que aqui se encaixam itens de decoração perfeitamente modernos. Notem que os donos da casa decidiram deixar as portas antigas, em formato de folha, e foi uma ótima ideia!!! Como resultado, o interior não é apenas uma réplica bem feita, mas um lugar com história, caráter e uma atmosfera muito acolhedora. Me dá vontade de acender todas essas velas, enrolar-me no sofá e beber um café.

Som que eu adoro de Dom Mclean – Vincent


Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Uma Casa de Pedra na Grécia!!!!!!


Em meio a uma vegetação exuberante à beira de Loutra, na Grécia, esta villa tradicional construída em pedra é tão cheia de caráter como a pitoresca cidade em si. Convenientemente localizada no centro da ilha, Loutra é uma das mais antigas aldeias de Tinos, conhecida pela sua serenidade e autêntica arquitetura das Cíclades. Situada numa paisagem intocada, tem apenas um punhado de residentes durante todo o ano cujo modo de vida mudou pouco ao longo dos séculos.

Situada num jardim exuberante, esta linda casa de 260 m2 é organizada em três níveis, e foi totalmente renovada. Foi encontrada em ruínas por um comerciante de arte grego de Atenas e amplamente restaurada com grande atenção a todos os detalhes.
O quarto principal com cama de casal embutida e banheiro é no piso térreo, juntamente com mais dois quartos (cada um com duas camas de solteiro), banheiros e uma lavanderia. No nível superior, há outro quarto com uma cama de solteiro e um banheiro. No nível inferior, existem dois sofás-cama e um terceiro banheiro.
O interior decorado com bom gosto mantém todo o caráter local tradicional, com detalhes autênticos, como as vigas de madeira originais no teto, pisos de pedra e móveis antigos. Além de uma cozinha totalmente equipada, há uma espaçosa sala de estar com lareira e uma sala de jantar adjacente com uma grande mesa de madeira e capacidade para seis pessoas.

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com