Amsterdã !!!


Isso não acontece com freqüência, mas às vezes você ainda consegue encontrar uma casa de perder a cabeça. Este é um edifício localizado em uma rua de pedestres pitoresca, e reconstruído com grande atenção aos detalhes, alta qualidade e luxuosamente acabado. O edifício está localizado na Buiten Bantammerstraat, em uma rua de pedestres agradável e histórica com muito verde ao redor. Uma verdadeira rua de Amsterdã, onde os vizinhos ainda se cumprimentam, conversam e gostam de beber, curtindo o sol ou uma xícara de café na calçada.

Imediatamente após entrar você vai sentir a atmosfera especial deste apartamento. O piso de madeira original do século 17, a entrada impressionante, com quase 5 metros de altura, o gabinete de porcelana do século XVIII, e os robustos tetos com vigas expostas. Todos os detalhes autênticos foram restaurados com grande amor e cuidado contrastando lindamente com a moderna cozinha de design italiano, equipada com todos os luxos concebíveis. Atrás da parede da cozinha, 2 fornos, gavetas de aquecimento, geladeira vinho, máquina de gelo, gaveta a vácuo e muito mais equipamentos. Na ilha da cozinha com exaustor, você pode desfrutar de uma refeição aconchegante enquanto está sentado no sofá de canto feito sob medida.

Dois passos e você encontra a sala de jantar inundada de luz com lareira a gás e parede de pedra original. Realmente um lugar para ter um bom jantar com um grande número de amigos. Você pode aproveitar o efeito especial da rua iluminada e do sol que entra pelas clarabóias, refletido no piso branco e aquecido.

Da sala de jantar, através de uma escada de madeira, você chega ao sótão, onde fica o quarto principal. Esta suíte com uma impressionante parede de tijolo vermelho e um robusto teto com vigas expostas tem um espaçoso closet e uma sala. Na parte traseira você achará o banheiro principal por um corredor com guarda-roupas embutido, e máquinas de lavar e secar. Neste espaço parece que você reservou um dia de spa; que atmosfera agradável e relaxante paira por aqui! Um lavatório duplo, um grande duche ao nível do chão com chuveiro de efeito chuva, jatos de massagem e banco confortável, uma sauna personalizada com espaço mais do que suficiente para várias pessoas e um sofá. Neste espaço você pode relaxar completamente.

Todo este andar tem um piso branco e aquecido, o teto tem 2,15 metros de altura.

Através de uma escada fantástica, você alcança o terceiro andar, onde encontrará a acolhedora sala de estar com cozinha e ilha. A cozinha está bem equipada e tem muitas gavetas para armazenamento. Esta é uma área nova, os aparelhos Siemens, 2 fornos, máquina de lavar louça, frigorífico, placa de 5 queimadores e exaustor nunca foram utilizados. Na frente, a acolhedora sala de estar onde, assim como na cozinha, muita luz entra pelas grandes janelas. Da sala de estar, você tem uma visão da bela construção do telhado. Os radiadores são decorados com bom gosto neste piso em soleiras de janela feitas sob medida, a robusta construção de vigas de madeira foi cuidadosamente restaurada e está completamente à vista, e o piso é em parquet de carvalho. Mesmo à noite você pode aproveitar esse espaço.

Através das escadas de madeira na sala de estar você alcança o último andar desta pérola, onde a construção do telhado maravilhosamente restaurado com velhos abetos é completamente visível. Isto dá um efeito legal a este telhado, combinando com as muitas janelas por todos os lados. Este andar foi projetado de tal forma que você vai encontrar um espaço de trabalho tranquilo, com vista para a sala de estar e mais um quarto com roupeiros e um lavatório. Aqui o piso de madeira é original.

Som de Donny Hathaway- A Song For You

Cinza Iluminado!!!


Os donos deste apartamento tinham mil ideias para sua casa, mas não conseguiram realizar os seus próprios planos. Com a ajuda de um designer de interiores, os sonhos tomaram forma, e a antiga casa branca tornou-se cinza em todas as tonalidades desta paleta. O que parece escuro e sombrio à primeira vista, na verdade, contém uma paleta sofisticada de tons quentes. Há pelo menos três tons de cinza e outros tantos de verde, além disso, branco e uma porta da frente em um tom de fúcsia maravilhoso.

“Nos mudamos em 2003 e sempre tivemos um grande interesse em design de interiores. Então, ao longo dos anos, tentamos repintar, construir móveis,colocar papel de parede e trocar de sala, mas nada funcionou.

Decidiram então que precisavam de ajuda. Através de um programa de TV, a proprietária ficou de olho em Jannika Hernelius e em seus interiores e o contato foi feito. A casa em que vivem foi construída em 1902 e o casal queria manter os detalhes originais, como fogão, carpintaria e estuque. Mas para isso, “coisas difíceis” seriam acrescentadas como divisórias de ferro e vidro, acessórios fixos e iluminação industrial.

A ideia inicial seria a virada industrial do século, mas com um toque moderno, e com a ajuda da biblioteca de imagens digitais, Jannika começou o seu trabalho. Inicialmente, ela entrevistou esta família criteriosamente, sobre hábitos, e como eles usavam os quartos.

Com base nessas conversas, chegaram à conclusão de que a família não precisava de uma grande sala de estar. A nova solução que Jannika encontrou em colaboração com o arquiteto Pål Ringborg, resultou em uma pequena e acolhedora sala de TV adjacente à cozinha, que por sua vez se tornou uma espaçosa sala de estar.

O quarto das crianças não é muito grande, mas destina-se mais a dormir, fazer a lição de casa ou receber um amigo. O apartamento de 107 metros quadrados hoje é composto por três quartos e a cozinha aberta com a sala de TV semelhante a um boudoir, ao lado.

Na cozinha, foram mantidos todos os armários e apenas colocadas novas frentes. Os novos armários superiores embutidos, da Ikea, foram pintados de um outro tom de cinza. Como protetor contra respingos, há um espelho que reflete parcialmente a luz do dia e, em parte facilita o contato entre a pessoa que trabalha e os que estão na mesa de jantar. No hall, na cozinha e na sala de TV, sete cores diferentes agora interagem, e há outras superfícies, como a base de latão do sofá, as almofadas de couro, o carpete. O branco faz com que espaços pareçam maiores, e o cinza, por outro lado, se encaixa em todas as outras cores e destaca a arte e outras coisas da casa.

“Como o apartamento fica no andar térreo, ao longo dos anos pensamos muito em como aumentar a luz natural. Finalmente, Jasna e eu desistimos e percebemos que não, este apartamento não é iluminado, então, por que não aceitá-lo e torná-lo acolhedor?”

Segundo este casal, o apartamento que era todo branco anteriormente, continua com a mesma claridade, embora agora todo em cores escuras. O motivo, diz Mattias, é que foram instaladas consideravelmente mais fontes de luz e vidro espelhado em alguns lugares. A experiência mais importante da renovação é que vale a pena contratar alguém de fora, um designer de interiores que enxerga coisas e soluções não percebidas pelos proprietários.

Som de Troye Sivan – Dance To This

Morando em Sussex!!!!!


A localização e o exterior desta casa de campo em Sussex, no interior da Inglaterra foram suficientes para persuadir Paolo Moschino e Philip Vergeylen a comprá-la imediatamente. Embora decorada com requinte, mobiliário e objetos cuidadosamente escolhidos, está muito longe de ser uma casa típica do interior.

Depois de apenas alguns minutos olhando pelo portão desta residência, Paolo Moschino e Philip Vergeylen ficaram encantados. Quando o agente imobiliário chegou, ele ficou incrédulo: “O quê?” ele disse, ‘sem ver por dentro?’ “Mas nós soubemos imediatamente que era exatamente o que procurávamos”, diz Philip. Eles haviam investigado a área assiduamente e também testaram a estrada, alugando uma casa próxima. A uma hora de trem de Londres, com privacidade e vistas viradas para o sul sobre os campos, esta encantadora casa em estilo meio Tudor e meio século XIX com celeiro, seria o refúgio perfeito para fins de semana. Eles tinham quase a certeza de que nada que eles encontrassem dentro lhes agradaria. Como Paolo explica: “O importante é a localização. Uma vez tendo isso, qualquer coisa é possível. Sabíamos que poderíamos mudar tudo.

A confiança de Paolo e Philip decorre de anos de experiência como designers de interiores de primeira linha, lidando com desafios de clientes exigentes. Nenhum dos dois começou a vida na Grã-Bretanha: Paolo é italiano, veio para Londres e finalmente se encontrou, trabalhando com Nicky Haslam por vários anos; Philip é belga e trabalhou para a American Express antes de trocar de carreira. Quando Paolo e Nicky dividiram seus negócios há mais de uma década, Paolo assumiu o cargo de Nicholas Haslam, que fabricava e vendia móveis, tecidos, iluminação, e também algumas antiguidades. Paolo e Philip agora trabalham com isso aliado a um escritório de design que evoluiu a partir daí. Portanto, não é de estranhar que enquanto a maioria das pessoas provavelmente pintassem a casa e se mudassem imediatamente, Paolo e Philip começaram removendo o teto do salão, que seria “apenas o primeiro elo de uma corrente”. Uma coisa levou a outra e eles acabaram por mudar praticamente toda a casa, derrubando paredes, abrindo a escada e transformando o celeiro em quarto de hóspedes.

Agora, no lugar da confusão de pequenos e sombrios quartos no piso térreo, há uma sequência de espaços atraentes que circundam a imensa lareira em estilo Tudor e a escada. À direita do salão é a sala de desenho serena e elegante, com abertura para a parte de trás da casa e para uma passagem virada para o sul que leva à sala de jantar azul e branca. Ao lado, encontra-se uma cozinha simples e racional e uma sala de café da manhã, a partir daí uma porta nos leva até a acolhedora sala de estar na frente da casa.

Cada espaço é diferente, cada um vem com surpresas e suas próprias qualidades intrigantes, mas não há dissonância entre eles. Suavizando o caminho, três características importantes, o piso, as cortinas e os tetos brancos. Os pisos são recuperados, em carvalho belga, e as cortinas são feitas de linho que Paolo encontrou como forro para uniformes militares, é uma tonalidade extraordinária, como diz Philip, “parece funcionar com qualquer cor que você possa pensar”. A adição de luz aos quartos com tetos baixos foi crucial. Todos os quartos são pintados em cores pálidas que são “um pouco sujas”, diz Philip, para complementar a idade da casa. A maioria dos móveis é em madeira pálida ou pintada, em vez de mogno escuro. A sensação de espaço na sala de desenho foi aumentada, tornando o mobiliário mais volumoso, dois sofás da mesma cor que as paredes, evitando cores fortes. Mesmo o tapete Isfahani é velho e desbotado, seus tons ecoaram nas almofadas dos sofás.

Apesar de seu exterior, um olhar atento para o interior da casa nos diz que, mesmo que haja dois cachorros residentes, isto está longe de ser uma típica casa de campo inglesa.  Nada é casual, objetos bonitos são escrupulosamente arranjados e toques europeus distintos são imediatamente evidentes . No hall de entrada, por exemplo, uma tapeçaria flamenga do século XVII fica atrás de um baú no qual um par de lâmpadas belgas, feitas de balaústres de ferro fundido, guardam um busto de terracota de Madame du Barry, a última amante de Luís XV. Um olhar inicial pelo salão revela a tendência italiana para a visão e a simetria.

No andar de cima, os móveis contam uma história semelhante. Há quatro quartos, sendo um no  sótão, cada um deles diferente dos outros. Somente as tábuas do piso e as vigas, permanecem no tom siena queimado, e juntamente com um banheiro, onde o banho e a bacia são alojados em painéis simples, são as únicas concessões para a tradição da casa inglesa.

Está na natureza dos seus negócios que Paolo e Philip adquiram coisas para clientes ou para a loja. Mas, como eles sentem que há uma fronteira distinta entre a compra para o negócio e para eles, é uma alegria encontrar algo que seja apaixonante para os dois. Como seus gostos são tão ecléticos, suas coisas favoritas muitas vezes fazem uma mistura complexa de estilo, período e origem. No entanto, tendo criado apenas o refúgio arquitetônico certo para contê-los, e possuindo uma singular sensação de colocação, Paolo e Philip conseguiram brilhantemente conferir uma ordem  tranquila ao conjunto.

Som de Cat Stevens – Hard Headed Woman !!!!

 a
 

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Uma Casa de Pedra na Grécia!!!!!!


Em meio a uma vegetação exuberante à beira de Loutra, na Grécia, esta villa tradicional construída em pedra é tão cheia de caráter como a pitoresca cidade em si. Convenientemente localizada no centro da ilha, Loutra é uma das mais antigas aldeias de Tinos, conhecida pela sua serenidade e autêntica arquitetura das Cíclades. Situada numa paisagem intocada, tem apenas um punhado de residentes durante todo o ano cujo modo de vida mudou pouco ao longo dos séculos.

Situada num jardim exuberante, esta linda casa de 260 m2 é organizada em três níveis, e foi totalmente renovada. Foi encontrada em ruínas por um comerciante de arte grego de Atenas e amplamente restaurada com grande atenção a todos os detalhes.
O quarto principal com cama de casal embutida e banheiro é no piso térreo, juntamente com mais dois quartos (cada um com duas camas de solteiro), banheiros e uma lavanderia. No nível superior, há outro quarto com uma cama de solteiro e um banheiro. No nível inferior, existem dois sofás-cama e um terceiro banheiro.
O interior decorado com bom gosto mantém todo o caráter local tradicional, com detalhes autênticos, como as vigas de madeira originais no teto, pisos de pedra e móveis antigos. Além de uma cozinha totalmente equipada, há uma espaçosa sala de estar com lareira e uma sala de jantar adjacente com uma grande mesa de madeira e capacidade para seis pessoas.

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Grey House !!!!!


“Eu não sei por que sou atraído por coisas mortas”, diz o designer de interiores Sean Anderson quando fala da casa de East Memphis, que ele compartilha com seu parceiro e seus cães, Bentley, Watson e Cooper. “Eu sou atraído pela escuridão, gosto do mistério e da masculinidade que vem com a paleta”, diz ele, admirando a sensualidade incomparável do tom escuro comparado com outras cores.

Anderson gosta tanto de tons escuros que, quando o casal abandonou Memphis  e encontrou sua “casa para toda a vida” em cinco hectares arborizados e rodeados por fazendas de cavalos, Anderson decidiu pintar a área externa e interna com cores escuras.

“Talvez, isso venha da minha infância no Mississippi rural. Passei a maior parte do meu tempo ao ar livre, caçando tesouros e construindo fortes. E até hoje, a natureza é uma das minhas maiores inspirações”.

As coleções de insetos, os chifres de animais e as madeiras brutas colocados de uma forma estudada ao longo da casa de quatro quartos e quatro banheiros, são escolhas de design extraídas de memórias de infância, na mesma terra em que seu avô era fazendeiro. Anderson estima que esta casa tenha sido construída no final dos anos 80, ela tem três telhados inclinados, típicos de uma casa de estilo Tudor, mas o preto traz uma estética mais contemporânea, enquanto as persianas adicionam um toque de cor.

É um trabalho contínuo explica Anderson, e atualmente estão consultando um arquiteto sobre maneiras de retrabalhar a pegada desta casa para alcançar seu objetivo final, “uma fazenda moderna”.

Os interiores sempre foram encantadores, o suficiente para que o casal tivesse mantido da mesma forma como era quando eles receberam as chaves, e tiveram tempo suficiente para ver como os espaços acabariam sendo usados ​​antes que Anderson fizesse alguma alteração. “Uma casa conta a sua história, é a sua representação genuína, ou deveria ser “.  Ao trabalhar com seus clientes, há um equilíbrio diferente, mas quando se trata de equipar seu próprio espaço, Anderson quis criar um ambiente que imediatamente transmitisse quem ele é para qualquer visita que entrasse sem o conhecer.

Para adicionar profundidade, os pisos foram pintados de branco, um elemento que Anderson diz que realmente faz com que a casa fique mais luminosa. “É estranho porque sempre fui adepto do menos é mais, mas com esta paleta de cores e a decisão de desenterrar um sótão cheio de itens que ele estava coletando e escondendo “, agora é uma casa onde mais é mais”, ironiza.

E então, esses itens encontraram novos lugares dentro da casa de Anderson, uma coleção que é eclética, pessoal, e para alguns, um pouco intimidante.

Na sala de estar, a mesa de centro é uma porta de alçapão desgastada, e acima dela, entre outras 20 peças, uma  fotografia em preto e branco emoldurada de uma equipe de remo dos anos 1940, com a qual Anderson não possui nenhuma relação, a não ser a estética.

O casal achou que a sala de jantar, cheia de luz era muito formal  “essa não é a vida que levamos”, explicou. “Eu converti isso em uma sala de estar para café da manhã, e nós usamos todos os dias desde então”.

Foi usada uma parede inteira para exibir o segundo mural da galeria da casa (porque mais é mais, lembrem-se), um tributo não oficial ao homem que o criou. As flechas, exibidas dentro de nichos, vieram da casa de seus pais, no  Mississippi.  “Meu avô encontrou-as quando ele estava cultivando a terra”, acrescenta. Debaixo deles há uma antiga bancada industrial belga, bem desgastada  que Anderson considera uma de suas descobertas favoritas.

Curiosamente, a afinidade de Anderson pela “caçada”, por descobrir novos usos para as coisas antigas, pelo mistério e pela masculinidade por trás de uma escolha de cor não convencional, é transferida para aqueles que superam o limite. “Quando recebemos, os hóspedes sempre dizem, oh, nunca tinha visto isso”, diz ele. É um espaço semelhante a um museu que, com toda a probabilidade, continuará a evoluir. “Eu nunca pensei – encontrei a peça perfeita, mas para onde vai? ” O que funciona para mim é o inesperado. Se eu adorar, eu compro. Eu sei que irá encontrar organicamente seu espaço, em algum lugar, entre todos os seus opostos “.

Som maravilhoso de Ellie Goulding – Your Song

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Recordações de Infância!!!!


Esta casa possui muitas recordações e trás grandes emoções para Luciano, o proprietário. “Ela era dos avós do melhor amigo do meu marido quando eles eram crianças.” diz Esther, a esposa. Eles passaram bons momentos durante a adolescência, nesta casa de verão.
Ao ver a casa à venda indo para o trabalho, Luciano ficou enlouquecido, pois tinha muito carinho por ela, além de ser uma das mais antigas em Picos de Europa, norte da Espanha, na cordilheira da Cantábria, uma região bem montanhosa, mas não muito extensa.

A casa foi reformada, antes era muito escura, mesmo depois das mudanças, não perdeu a sua essência. Luciano não queria que a casa tivesse outra cara.
Na reforma, a casa ganhou mais vistas para as montanhas, e a inspiração foi o estilo provençal.
Móveis originais e piso antigo de carvalho foram recuperados. Vigas expostas e tetos brancos realçam toda a beleza e esplendor dessa belíssima moradia.

Luciano: É normal ter uma grande afeição por esta casa, é uma das mais antigas na cidade, é muito sóbria e despretensiosa. Ela fica na mesma montanha de Picos de Europa. E aqui temos de tudo um pouco. Pedra nas paredes, tetos baixos e madeiras fantásticas que foram recuperadas.

Esther: O meu marido desde o início estava super animado com a casa, mas eu não a queria, porque estava procurando alguma coisa perto do mar. Ele insistiu tanto, e eu percebi o seu sofrimento, então não havia outra coisa a fazer senão aceitar. Não me arrependi. No final a mais alucinada pela casa era eu. Antes a casa era como uma caverna escura na montanha, a transformação foi incrível, e conseguimos manter a sua essência. As memórias de Luciano eram tão importantes, que não queríamos que parecesse uma outra casa.

Luciano:  Ganhamos muito, abrindo as janelas para as paisagens deslumbrantes. Queríamos uma inspiração de uma casa provençal, por isso todas as fachadas são feitas com reboco natural em tom de areia e pigmentos como os provençais, as madeiras são pintadas de um tom da Provença.

Esther: Quando vi como a casa estava bonita, meus medos ficaram para trás e comecei a dar sugestões sobre cores, janelas, pisos, maçanetas etc. Também foi muito bom colocar móveis de herança das nossas famílias. Adoro os quartos com vigas expostas e o teto em branco, e pensar que eles pareciam depósitos antigos. A verdade é que as emoções passadas nos afetaram a todos nós.

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Barcelona!!!!!!


O mosaico original em tons de azul e porta em arco com duas folhas revelam a idade desta habitação. O cacto de palha foi comprado em uma loja em Nijar (Almeria), o caixote é uma peça encontrada na rua e a mesa é dinamarquesa.

 

Diz o autor desta reforma, que cada trabalho “deve ter um bom diálogo entre função e emoção”, uma premissa que sempre lhe serviu para criar espaços com charme . Ao longo de sua carreira, Georg Kayser realizou várias obras particulares e também espaços públicos, bem como para empresas conhecidas no ramo da moda, e recentemente fundou o escritório Kayserstudio fundado há dois anos com o objetivo de criar projetos residenciais muito especiais. Um bom exemplo é esta casa cheia de personalidade e muito, muito charmosa.

Localizada no bairro de Gracia, em Barcelona, o apartamento é parte de um edifício de 1900 que mantém a sua identidade. “Existiam ainda um fogão a carvão e uma pia de mármore velho”, diz o arquiteto, que se propôs a manter muitas destas peças, para manter os elementos estruturais de tempo que se enquadram neste cenário. Neste sentido, tem sido um sucesso a paleta de cores escolhida para as paredes, tetos e madeira, já que algumas cores já existiam na casa. Por exemplo, pintura em tom de azul do corredor, baseia-se nas cores do piso e o tom café com leite do salão é inspirado pelo papel de parede original. O resultado são espaços quentes e cheios de riqueza visual, que pediam uma decoração atual, descontraída e despretensiosa, com mobiliário vintage, já que sua patina sempre conta uma história.

A ideia era dar valor para os elementos fantásticos e originais desta habitação. Assim, as portas interiores foram pintadas de escuro para destacar a sua forma, tetos e acabamentos são pintados de branco, contrastando com a paleta de cores quentes das paredes.
O apartamento tem muitos móveis, todos muito diferentes e agrupados por cor, material ou maneiras de atingir o equilíbrio.

Eu adoro este tipo de decoração, e a sigo na minha própria casa, antigo e moderno, heranças de família e peças com design mais atual, casa tem que ter isso, aliás as peças modernas aparecem muito mais quando em combinações com mobiliário mais antigo e gasto. Infelizmente hoje em dia grande parte das casas são super modernas e frias no meu ponto de vista. Tudo se parece com um lobby frio e impessoal de hotel. Elas se tornaram iguais entre si, cadeiras giratórias? vamos colocar em todas as casas, móveis da laca em todos os ambientes, nunca vou entender como um móvel de séculos passados comprado em antiquário pode ser bem mais barato do que móveis de laca retos fabricados em série, mas isso é para um outro post.

A sala é pintada em um tom de café com leite, para lembrar a cor do papel de parede original, do início do século. Um tom que também destaca a grande moldura branca do teto. Ao lado da porta, peças vintage, como a cadeira Egg , ou a lâmpada com difusor preto, modelo de Snoopy .

 

Mobiliário, como sofá em uma linha relaxante ou mesa de centro nórdica, ambos adquiridos no eBay, e uma moldura antiga. A lâmpada do teto vem da Zara Home.

 

Uma peça divertida,  criada por  Georg Kayser, “nuvem” , feita com um pedaço de poliestireno perto da lâmpada Louis Poulsen.

 

A sala principal nos leva a um outro quarto agora convertido em quarto principal.

 

Detalhes!!!

 

Sobre a bancada de carpinteiro,uma exposição de objetos. A mesa com candelabro é uma peça do designer norueguês Henry Walter Klein. As cadeiras são dinamarquesas e lâmpada do teto vem do Mercador de Veneza, uma loja de decoração.

 

Com uma impressionante galeria de três grandes janelas, este espaço foi alocado para as refeições, com uma vista excepcional dos antigos telhados vizinhos.

 

A cozinha tem uma área de trabalho com armários baixos em branco, aparelhos eletrodomésticos e bancada de madeira, todos comprados na Ikea.

 

Na cozinha, duas peças de mobiliário antigo e original que foram pintadas e recuperadas. Ao lado dele, uma mesa de laca branca e cadeiras dinamarquesas.

 

O lavabo dos anos setenta e a banheira antiga,  mantem viva a essência deste banheiro retrô. O espelho redondo é da Zara Home.

 

Aqui, toda a parte de carpintaria foi pintada em branco para dar mais luminosidade ao quarto.

 

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com