A Jaqueta Jeans !!!!


jaqueta jeans masculina é uma das poucas peças que eu acredito que todo homem tem que ter em seu guarda-roupa, ela é ideal para dar um toque mais despojado e descontraído a qualquer look, e se bem combinada, pode ser usada em diversas ocasiões.

Neste post darei algumas ideias de como usar a jaqueta jeans, com ênfase no modelo trucker, o mais tradicional.

Som de Yanni – Felitsa

Começando pelo básico:

Sendo a jaqueta trucker jeans um item básico é mais do que óbvio que ela vai funcionar bem com calças chino, camisetas, camisas de algodão, tênis discretos, moletons, blusas navy, etc. Basicamente é só ir criando looks fazendo rodízio dessas peças, errar é difícil.

Jaqueta jeans masculina sobreposta por colete de nylon:

Outro item que é uma verdadeira mão na roda é o colete de nylon, seu visual sport/adventure cai muito bem com a jaqueta jeans e outros itens que trafegam entre o urbano e o rústico como botas, calças cargo, ou até algo mais básico como uma camisa xadrez ou uma malha simples.

Jaqueta jeans masculina sobreposta por blazer de lã:

Sobrepor a jaqueta jeans com um blazer de lã é uma forma criativa de usar a peça e sair do lugar comum. Ela pode ser uma intrusa, quebrando o look formal só com itens de alfaiataria, ou pode entrar no combo casual onde o blazer é a roupa mais sofisticada.

Pode com bermuda? Pode sim:

Nos dias de outono em cidades de temperatura amena ou locais cujo inverno não é tão intenso, a jaqueta jeans pode ser a companheira de fim de tarde, protegendo sem tirar a leveza e o conforto da combinação.

Quebrando o total black:

Para quem gosta de roupas pretas, mas acha o look “total black” repetitivo e/ou enjoativo, a jaqueta jeans masculina surge como uma boa alternativa para quebrar o visual todo preto e inserir um ponto de interesse para o olhar que fique próximo do rosto.

Jaqueta jeans masculina com pegada profissional:

Para quem tem a sorte de trabalhar em um ambiente onde há uma certa tolerância para roupas casuais, ou seja, que dispensa o terno e gravata, há  a possibilidade de usar a jaqueta jeans fazendo as vezes do blazer, mas, obviamente, com um jeitão muito mais despojado.

Jaqueta jeans masculina com camisa xadrez:

Eis duas roupas masculinas que nasceram uma para outra! Ambas são clássicas, se equilibram entre o urbano e o rústico, e tem um estilo despojado que combina com qualquer um. Para acompanhar é possível adicionar uma peça neutra como uma chino bege ou uma calça de alfaiataria, embora até um jeans tradicional caia bem aqui.

Jaqueta puffer sobrepondo a trucker jeans:

Assim como o contraste do colete de nylon e a jaqueta jeans funciona bem, o mesmo pode ser dito da peça de denim sendo sobreposta por uma puffer jacket, item que tem destaque nas últimas temporadas. Se você tem uma dessas no armário pode experimentar a combinação, aposto que fará sucesso!

Com colete em combo casual:

Como grande fã do colete de alfaiataria não podia deixar passar essa composição que funciona ainda melhor com uma camisa xadrez por baixo. Os coletes com tecido mesclado ou “espinha de peixe”  dão um toque mais rústico, enquanto os de lã fria lisa são mais sofisticados e podem ficar melhores com camisas lisas de algodão.

Com camisa jeans :

Fazer um double jeans na parte de cima não é má ideia! Você pode usar uma camisa de denim ou de chambray que tem a aparência bem similar ao jeans, apenas escolha uma peça que seja em tom diferente da jaqueta, de preferência mais claro, dessa maneira a probabilidade de errar é bem baixa.

  • Cuidado com jaquetas com muitos elementos visuais, rasgos, lavagens fortes, etc., são as mais difíceis de combinar e marcam muito.
  • Certifique-se que a jaqueta, mesmo que você prefira usar aberta, possa ser abotoada, isso mostra que seu tamanho está correto.
  • As jaquetas de moletom imitando jeans são bacanas, mas o caimento e a durabilidade não são a mesma coisa, pense nisso antes de comprar uma.

Uma Casa Francesa na Austrália!!!!


A estilista Victoria Varrasso adora a sua casa de campo em Victoria’s Daylesford, Austrália. Amante de peças vintage e antigas europeias, do clássico ao peculiar, até o início do século 20 e “todas as coisas francesas”, Victoria considera seu estilo como uma extensão de seu eu interior. 

Das roupas que ela desenha e usa, aos variados objetos que coleciona e a arte em suas paredes, ela descreve suas composições como “uma bela maneira de se expressar”. Os mesmos temas acontecem em sua loja de Daylesford, Manteau Noir , que é um ninho de obras de arte encantadoras, tesouros artesanais, utensílios domésticos e as roupas da mesma marca. 

Victoria criou o selo Victoria Loftes, que possuía com seu irmão Jonathan da década de 1990 até 2005, mudou-se para a esta cidade cidade termal em 2013 com o marido Laurence Varrasso, engenheiro mecânico que projeta obras arquitetônicas de aço.

Por enquanto, a casa é uma cabana de madeira, de antigos mineradores com vista para Daylesford, enquanto constroem a casa dos sonhos em três hectares de terra na vizinha Eganstown. Colecionadora de longa data, admite que apenas um punhado de peças está nesta casa (o resto espera em contêineres enquanto sua nova casa toma forma), e grande parte delas são coisas fundamentais para a vida da proprietária. 

“Eu amo coisas gastas por passarem por muitas mãos, coisas com uma qualidade bela e pictórica. Eu não gosto de nada abertamente brilhante … Meu amor pelas coisas antigas veio da visita à casa dos meus avós em Melbourne,  passando pelos pertences da minha avó e encontrando belas coisas.”

Quando se mudaram para Daylesford, Victoria voltou ao design de moda depois de um longo intervalo. Sua coleção Manteau Noir é feita de tecidos naturais, predominantemente de linho europeu, tingidos à mão em cores suaves e feitos em Melbourne. Victoria também tem uma variedade de almofadas de linho impressas. “Eu me sentia esgotada, mas quando nos mudamos para cá, fui inspirada a ser criativa novamente”.

“Eganstown, o lugar da nova casa, está muito perto de Daylesford rodeada de lindas colinas, e a casa será toda de ferro corrugado e aço. É uma oportunidade para Laurence mostrar suas estruturas de aço e eu posso criar algo para minha estética de design. É uma oportunidade para nós juntarmos nossas habilidades “.

Som de Lady Gaga – I’ll Never Love Again

Loft em Estocolmo !!!


Como projetar um espaço em um antigo edifício industrial com tetos altos e plano aberto? Os proprietários deste apartamento em Estocolmo, com apenas 53 metros quadrados, decidiram instalar uma enorme biblioteca doméstica em toda a parede e criar o quarto mezanino acima da área da cozinha.  A biblioteca em um interior sempre parece espetacular e acolhedora, mas com tais tetos a impressão é até aumentada. Também vale a pena mencionar outra solução, uma das paredes da sala de estar é espelhada, por isso o espaço parece muito maior do que realmente é.

Os antigos proprietários construíram dois lofts para utilizar as superfícies da melhor maneira possível em relação à altura do teto. Muito cuidado foi exigido ao projetar esta casa e toda ela tem uma linha escandinava clara com um esquema de cores bem sóbrio.

O que chama a atenção nesta, casa é a sala de estar grande, convidativa e fresca, onde magníficas janelas da virada do século, juntamente com a altura do teto e o piso de concreto bruto, dão muita personalidade. A parede espelhada dá à sala ainda mais efeito, capta e reforça as estantes de livros, muito importantes na decoração, para dar um toque pessoal à casa. As janelas são tão profundas que são o lugar perfeito para ler. O sol da tarde e da manhã entra pelas janelas altas, que no verão oferecem vistas verdes das copas das árvores do lado de fora. 

A cozinha é de bom gosto com portas brancas lisas e um espelho de vidro que cobre toda a parte de cima da pia. Os mesmos elegantes pisos de concreto estão nesta parte da casa. Na cozinha há uma pequena geladeira (freezer está localizado sob o loft no lado oposto da cozinha), máquina de lavar louça, fogão e forno. O piso plano aberto em direção à sala de estar resulta em espaços agradáveis ​​para contato. Esta é uma casa para receber amigos. 

Os dois lofts são aproveitados da melhor maneira possível e foram construídos pelos proprietários anteriores. O teto acima da cozinha é usado como um loft de dormir e de cima você tem uma vista maravilhosa da casa, a altura do teto deste loft é pouco mais de 140 cm. 

No outro sótão, no lado oposto da cozinha, existe hoje um sofá-cama embutido e superfície para uma pequena mesa e uma poltrona, boas instalações de armazenamento estão disponíveis no espaço abaixo. A altura do teto neste loft é de pouco mais de 190 cm. 

O banheiro é espaçoso e tem lugar para uma máquina de lavar. Um detalhe interessante é a bancada de madeira em volta da pia. Acima, um armário de banheiro com portas espelhadas.

O hall de entrada dá uma boa primeira impressão e está muito bem decorado com uma estante embutida, parede de espelho e um tapete elegante de sisal que se torna elegante contra o piso de concreto na cozinha e sala de estar.

Som de Liv Dawson – Talk

 

Lake Conjola !!!


Através de janelas que enquadram a linda vista do Lago Conjola, Leah Atkins pode observar seu marido, David Gleeson, e seu filho de 12 anos, Paddy, em seu barco voltando para casa. Leah pode vê-los na água, seja no quarto principal, no banheiro, na cozinha ou no deck, relaxando com seu golden retriever de dois anos de idade. 

A moderna casa em estilo celeiro é notável por causa das vistas para o lago de quase todos os cômodos, mas também porque David, um construtor, e Leah, que anteriormente administrava uma loja de artigos para casa, a construíram em apenas 10 semanas.

O casal, ambos com 44 anos, viviam anteriormente em Mollymook, e decidiram testar o mercado imobiliário em alta, colocando a casa á venda em agosto de 2017.
Ela foi vendida imediatamente e a família teve que sair até o final de novembro de 2017.
Surpreendentemente, dada a velocidade da construção, Leah diz que não houve drama. “Tivemos chuva por uma semana, mas isso não nos atrapalhou porque eles tinham que fazer as coisas dentro da casa”, diz ela. 
A cozinha é em grande parte obra de David, com armários feitos de madeira de demolição e uma ilha de concreto que ele tanto queria.
 
“As frentes das gaveta são feitas de  madeira antiga, nós não lixamos, porque eu queria manter aquele visual rústico. Elas ainda têm marcas de unhas. Eu não gosto que as coisas sejam muito polidas e perfeitas.”
Objetos de arte e os móveis combinam entre si, mas eles não foram comprados especialmente para a nova casa. “É tudo da nossa antiga casa”, diz Leah. “Eu colecionei portas, persianas e iluminação industrial por anos, então nós só as aproveitamos.
 
As portas pretas recicladas na área do lounge recebem uma atenção especial, pois ficam impressionantes ao lado das fotografias em preto e branco na parede.
A área do salão é a parte favorita da dona desta casa. “A sala é emoldurada em madeira como se devesse haver uma parede, mas não há. Estávamos querendo uma biblioteca, mas enquanto estava sendo construída eu gostei do enquadramento da madeira.
 
A casa também possui tábuas verticais de madeira branca na maioria das paredes.
A habilidade de Leah para design de interiores se baseia nos 10 anos que ela passou administrando uma loja de utensílios domésticos. “Sou muito visual. Adoro trabalhar com texturas e cores neutras. Palha, madeira, concreto. 
 
“Não há nada como sair de férias para você realmente amar e apreciar e sentir saudades de onde você mora. Essa é uma das melhores coisas sobre voltar para casa.
Som de Genesis – The Carpet Crawlers
 
 
  •  

Casa Cook Chania !!


 

Envolta pela encosta em um trecho intocado da costa cretense, a antiga cidade de Chania está repleta de histórias e segredos. É aqui, na cidade mais sugestiva de Creta, que a história da rede de hoteis Casa Cook continua, desta vez, com o primeiro hotel familiar feito sob medida, projetado para a família pós-moderna.

Com um cenário encantador de azuis profundos do Mediterrâneo, trechos arenosos de praia e um antigo porto veneziano, nesta vila modernista é o refúgio perfeito para descansar e revigorar. Se você está viajando com amigos ou familiares, é um lugar para passar dia após dia ao sol, como um domingo prolongado, divertindo-se com as simplicidades da vida. Recupere-se com ioga ou com uma massagem revigorante, ou aproveite o tempo para explorar o santuário tropical que é a Casa Cook Chania.

Em toda a propriedade, uma série de espaços e santuários cheios de alma fundem o modernismo minimalista de meados do século com design sustentável em uma união perfeita. Os 65 quartos artesanais parecem terrosos e orgânicos, como uma casa longe de casa, abrindo-se para o seu próprio terraço privado.Construído em torno do conceito grego de parea, este é um lugar para fazer memórias, conhecer novos amigos e se encantar com a cultura e caráter das tradições cretenses. É um tesouro de simplicidade paradisíaca, onde natureza e relaxamento se fundem sem esforço como um só.

Todos os quartos foram projetados para acomodar dois adultos e uma criança, além de suítes maiores para famílias maiores. Muitos terão piscinas compartilhadas ou privadas e, claro, há uma grande piscina para todos. Seu tamanho é realmente confortável com um mínimo de 30 metros quadrados para a categoria mais barata.

Som de Terence Trend D’Arby – Sign Your Name