Um Paraíso Na Suécia !!


Quando Kristina Didriksson e Anders Klang se conheceram há dez anos, Anders já estava morando em Stengården em Österlen, Suécia e há três anos Kristina se mudou. Desde então, eles reformaram e consertaram o quintal juntos. Eles fizeram de tudo, desde trocar o telhado, construir uma estufa e um terraço até a construção de um estúdio onde Kristina pode pintar. Para Kristina, que morava em uma casa de rua no meio do centro de Lund, a mudança foi fantástica.

Kristina, que freqüenta a escola de arte de Sara – a academia sueca de arte realista – em Simrishamn, agora tem planos de desenvolver seus negócios com cursos de arte no quintal. Ela planeja oficinas onde grupos de artistas podem estudar, pintar e, em paz e tranquilidade, apreciar as vistas e a luz do local.  “Entrei em outra fase da minha vida agora que estou entrando na educação artística. É muito legal poder realizar seu sonho e continuar fazendo o que eu amo na minha idade. Nunca é tarde demais”.

No começo, este lugar parecia um pouco desolado. “De repente, você está quase sozinho, quase não há vizinhos aqui. É algo com que você precisa aprender a conviver, finalmente eu me acostumei e tudo o que preciso está a uma distância razoável daqui”. Este ambiente é importante para uma pessoa criativa que precisa de calma e inspiração.

Aqui a proprietária é forçada a usar sua criatividade porque não há outras tentações. Na cidade, existem rotas de fuga, como encontrar amigos, dar um pulo na cidade ou fazer um lanche. Aqui você tem que viver com você mesmo, não há outra saída.

Som de Weeknd – Blinding Lights

O terraço, localizado em um canto do pátio circundante, é um lugar aconchegante para se sentar durante o dia ou à noite. Kristina tem planos de construir um telhado de vidro para que possa ficar aqui mesmo quando chove. Os vasos são comprados em uma loja local e o mobiliário é de área externa aguentando bem tempos chuvosos.

 

 

Esta casa tem uma localização fantástica, com vistas completas sobre o Mar Báltico e, às vezes, até a ilha de Bornholm.

 

Na grande sala da família, também é a sala de jantar. Aqui a mesa e as cadeiras forradas em diferentes tecidos foram compradas em leilão.

 

A cozinha, perto do quintal é aconchegante e rural. A pequena ilha da cozinha oferece espaço de trabalho extra. O banco antigo foi uma pechincha em um antigo mercado de pulgas. Logo ao lado da cozinha há outra sala de jantar.

 

A segunda sala de jantar, com uma mesa que recebe mais convidados.

 

 

 

Na mesa do jardim, um arranjo de flores de verão colocadas  em um vaso antigo de cobre enferrujado.

 

 

No pátio de paralelepípedos, há também uma mesa de jantar para que você possa desfrutar do lindo roseiral.  Kristina encontrou o tampo da mesa em estado bruto, e as duas pernas em um mercado de pulgas.

 

 

A sala está equipada com um sofá e uma poltrona de modelo howard. O baú grande é perfeito para usar como mesa de centro, e fornece armazenamento extra. O quadro é de autoria da proprietária.

 

O estúdio é o lugar onde Kristina prefere ficar e pintar. Aqui existe uma calma agradável e a luz é linda. As próprias obras de Kristina estão penduradas nas paredes.

 

Um belo canto em frente á lareira. O sofá Chesterfield combina perfeitamente com as poltronas de estilo.

 

 

O estúdio de Kristina tem uma mesa no andar superior, espreguiçadeira e um banheiro menor. Anteriormente, apenas uma área sem utilidade que Kristina e Anders foram renovando.

 

Detalhes do banheiro

 

O quarto é decorado romanticamente com uma cama que ficava na casa quando Anders se mudou e foi completamente recuperada. A cama é dos EUA e estava em mogno escuro, que Kristina repintou em tons mais claros.

 

Um pátio com bancos fixos está localizado ao lado do laranjal. Faz com que toda a superfície seja um lugar perfeito para os hóspedes. Cadeiras e mesa comprados em leilão.

 

O projeto mais recente foi  a construção do laranjal. Aqui a família pode desfrutar de noites frias de outono e dias quentes de primavera, mas também durante todo o verão.

 

 

Uma Mini Casa !!


Os construtores de pequenas casas em Byron Bay, Austrália da empresa Little Byron, trabalham com um lindo design de pequenas casas que não só tem uma área engenhosa de estar e dormir, mas também inclui uma área ao ar livre. Esta casa tem apenas 9 m de comprimento e 2 m de largura, mas seu design fantástico e economia de espaço faz com que pareça muito maior.

A deslumbrante casa sobre rodas foi construída para um dos clientes que estavam procurando uma casa de hóspedes em sua propriedade para visitantes, mas também tem planos de se mudar para o belo espaço para quando seus filhos deixaram o ninho.

A casa tem um design bonito que presta homenagem à praticidade típica de pequenas casas, com bastante luz natural. A casa foi construída com uma abundância de janelas que realmente abrem o espaço, criando um interior vibrante e saudável. Não apenas existem grandes janelas operáveis ​​em quase todos os cantos da casa, incluindo os quartos e o banheiro, mas também uma enorme janela no meio da sala que se abre para fora.

Definitivamente o coração da casa é a cozinha, em estilo fazenda onde o design realmente brilha. Com muito espaço de armazenamento na forma de prateleiras abertas abaixo e acima do contra-espaço, a cozinha é funcional e bonita.

Do outro lado da cozinha é a área de jantar. Em vez da borda da janela típica, um pequeno tampo da mesa foi instalado para criar uma área de jantar ou de trabalho. A grande janela se abre horizontalmente para fornecer um amplo espaço aberto que não apenas traz mais luz natural e ar, mas realmente conecta o interior ao exterior.

O resto da casa é igualmente sofisticada. Paredes brancas, pisos e acabamentos em madeira dão à casa uma vibração fresca e moderna. Um teto de altura dupla também abre o espaço interior, oferecendo lugar para um loft de dormir em um lado da casa, acessível por escada.

O design típico de beliches está presente na sala de estar, com um pequeno sofá, suspensa no térreo em uma plataforma de madeira. Abaixo do espaço é o quarto principal, que tem espaço suficiente para uma cama queen-size.

Você poderia morar em uma pequena casa? Casas minúsculas se tornaram cada vez mais populares porque há mais famílias isoladas e as pessoas não querem mais a manutenção de uma grande casa convencional. Não apenas isso, mas pequenas casas são perfeitas para pessoas que querem viver em uma casa sustentável. Esta construtora projeta e cria pequenas casas artesanais, luxuosas, ambientalmente sustentáveis ​​e acessíveis em sua oficina. Os resultados são lindas casas que realmente não parecem tão pequenas, e aí gostaram?

Som do Billy Joel – Vienna

 

Town House de Nate e Jeremiah !!


Sentados em poltronas em frente a uma lareira em sua nova casa na cidade de West Village-NYC o casal de designers Nate Berkus e Jeremiah Brent, parecem satisfeitos e perfeitamente em casa, mas um pouco envergonhados. Afinal, parece que foi ontem quando eles se mudaram para a casa dos seus sonhos, uma casa colonial espanhola gigantesca em Los Angeles. Os fãs de seu programa TLC, Nate & Jeremiah by Design, testemunharam o casal fascinado pelas salas ensolaradas da casa com balaustradas de ferro forjado e um carvalho de 200 anos no quintal. Nessa época diziam, que era onde eles e sua filha de dois anos, Poppy, criariam raízes.

Agora, apenas dois anos depois, eles venderam a casa, levaram seus pertences e voltaram para Nova York, a cidade onde o casal começou a namorar. “Uma coisa posso prometer a vocês”, diz Berkus, inclinando-se para a frente na cadeira, com os olhos azuis brilhando, “é que nunca mais direi em uma publicação que uma casa é meu lar para sempre”.

Eles acharam que a filha Poppy, agora com cinco anos, e Oskar teriam uma experiência mais rica crescendo na densidade urbana de Nova York. “Percebi que Poppy falava com as mesmas 11 pessoas todos os dias”, dizem eles.

Felizmente, transformar quatro paredes em uma casa é algo que Nate e Jeremiah sabem como ninguém. Quando o casal viu essa casa de 1899, imediatamente concordaram que era a cara deles, ou pelo menos, com o potencial para isso. Acabara de passar por uma reforma completa, de modo que tudo, desde a fiação e o encanamento até os banheiros recém revestidos, estava em perfeitas condições. Mas a casa estava bastante destruída. “Nosso trabalho seria dar uma nova alma a este lugar.” Eles começaram projetando uma estante de altura dupla em carvalho branco, que não apenas aquecia a sala, mas também proporcionava um local muito necessário para seus livros, fotos de família, quadros e cerâmicas. “Eu não queria viver sem esses porta retratos, eles estavam em todas as casas em que vivi nos últimos 15 anos”, diz Berkus. A estante de carvalho branco é um pequeno feito de engenharia, é tão pesada que a parte superior teve que ser aparafusada na parede externa. “De tudo o que fizemos aqui é o que gosto mais”, diz Berkus.”Isso deu o tom.”

Na verdade, pode-se dizer que a estante de livros é um resumo da dupla abordagem dos designers em toda a casa. Adicionando textura, detalhes e toques arquitetônicos (através de tapes e tecidos, papel de parede e luminárias vintage), além de do dilema de gerenciamento de espaço. Porque, quando comparada com uma propriedade palaciana do sul da Califórnia, uma casa na cidade de 6 metros de largura é relativamente apertada.

Doloroso, é como Berkus, o colecionador chefe da família, descreve o processo de edição. Eles mudaram alguns móveis para seus escritórios, outras peças para armazenamento e venderam outras coisas na loja do casal. Eles carregaram prateleiras de roupas para a loja de roupas usadas RealReal. “Nossa antiga sala tinha trinta móveis, agora tem seis. Mas o que vocês podem ver é o melhor que temos.” E com a adição de revestimentos de parede com tecido imitando palha, um manto italiano do século XVIII e um tapete de mohair, o resultado é maravilhoso.

No andar de cima, a suíte master não oferecia espaço suficiente para armários. “Bill Blass disse que os provadores devem ser grandes e os banheiros devem ser pequenos”, diz Berkus. Em vez de diminuírem o banheiro, eles usaram parte da área do quarto para acomodar mais espaço de armazenamento. E embora o quarto de dormir resultante possa parecer pequeno, ele incorpora tranqüilidade da maneira mais aconchegante. “Não precisamos de um quarto enorme”, diz Berkus.

Som de Coldplay – Clocks

 

Azul Profundo em Moscou!!!


A casa de um designer é como um campo de treinamento para as idéias mais ousadas. Não há a necessidade de coordenar essa ou aquela decisão com alguém, e convencer o cliente sobre um interior colorido demais. Neste pequeno apartamento de 55 metros quadrados, em Moscou os proprietários criaram um espaço eclético incrível, construído em um tom rico e profundo de azul, papel de parede com palmeiras, e lindas janelas persianas de madeira do chão ao teto.

Ao escolher um apartamento, Peter e Cyril já sabiam exatamente como deveria ser. Um quarto e uma sala separados, uma cozinha mínima, sem corredores, espaço de armazenamento suficiente e sempre com uma vista panorâmica de Moscou. Quando foi encontrada uma opção adequada com uma área de 55 m², os arquitetos fizeram a primeira visualização do interior. Uma delas calma, em cinza e bege. E então surgiu a ideia de usar a cor azul. “Este apartamento ficou assim porque fizemos por nós mesmos, porque nem todos os clientes concordam com esse experimento”.

Primeiro, eles testaram a cor na parede de um apartamento alugado para ver se ficariam confortáveis ​​vivendo cercados de azul. Desde a compra do apartamento, quando a casa ainda estava em construção, os arquitetos começaram a comprar materiais de decoração e móveis. Peter lembra: “Quando a nova coleção de papéis de parede  apareceu, nos apaixonamos por essas palmeiras gráficas, compramos imediatamente, e os rolos ficaram em uma sacola, esperando o lugar certo”. Foi a partir do papel de parede que a cor salmão do teto no quarto foi pensada.

O apartamento é bacana não apenas nas cores, mas também em soluções construtivas. Por exemplo, os arquitetos copiaram a ideia de persianas de madeira em vez de cortinas, nas janelas do Museu Getty, em Los Angeles, e sua execução de alta qualidade exigiu engenhosidade. O resultado foi uma ilusão de ótica peculiar, persianas do chão ao teto dão a impressão de que as janelas também têm toda a altura da sala, embora, na verdade, sejam de tamanho padrão.

Para evitar confusão na pequena cozinha, criaram uma divisória para fechá-la, mas na verdade toda a casa está limpa e arrumada, e a divisória agora serve como pano de fundo para uma foto.

A escolha dos móveis foi abordada com um cuidado ainda maior. Não existe um único item aleatório. Por exemplo, durante uma viagem ao campus Vitra, eles se apaixonaram por uma cadeira criada por Jean Prouve em 1939 e reimpressa pela marca de jeans G-Star RAW. “Apenas duas cópias foram trazidas para a Rússia e uma delas está na nossa sala de estar!”

Outro experimento é a iluminação bastante fraca, eles gostam mais de luz fraca do que brilhante. Portanto, na sala de estar, existem apenas quatro spots embutidos, luminárias de chão, arandelas fracas e um par de luminárias de mesa. No quarto, apenas duas arandelas de Louis Poulsen. Eu adorei o resultado e vocês??

Som de Freya Ridings – Lost Without You

O Mundo de John Derian !!


Qualquer um pode usar uma folhagem como decoração de mesa. Mas John Derian sempre parece ter as folhas perfeitas, gigantes, robustas na forma, com um requintado defeito para trair sua delicadeza. Também é muito comum deixar um monte de flores para secar, penduradas de cabeça para baixo, mas Derian, o amado maestro do design de Nova York e duque da decoupage, parece comandar suas belezas florais para secar e morrer com pungência sublime, como divas de uma ópera. A verdade não surpreendente, é que ninguém faz John Derian como ele mesmo.

Pensem então no país das maravilhas que se desdobra na casa do próprio Derian, em East Village. Na sua união de antiguidades, têxteis vintage, e todos os tipos de curiosidades naturais ao lado tetos de zinco pressionado, tubulações expostas e outros vestígios da virada do século deste lugar. O apartamento resume a sensibilidade singular do designer. “É apenas um monte de coisas que eu amo”, diz ele modestamente, subestimando seu olho brilhante para composição e cor.

Para criar uma passagem mais elegante em seu apartamento, e para pontuar a transição do mundo exterior, Derian usou um pouco de mágica decorativa. Ele construiu um vestíbulo instantâneo, movendo um armário alto e pintado do século 19, reformado com uma abertura nas costas, diretamente em frente à porta de entrada. Um entra e sai através do que parece ser uma peça comum de mobília. “Minha coisa favorita é observar as pessoas tentando descobrir como sair do apartamento”, diz o estilista.

Dentro de casa, a principal intervenção arquitetônica de Derian foi a instalação de uma parede sueca do século XVIII perfeitamente patinada e ornamentada, pintada de azul Gustaviano pálido, com dois conjuntos de portas duplas. Dividindo o apartamento, separa as salas de estar e de jantar abertas de um lado e a cozinha e o quarto do outro. “A parede ficou guardada por 15 anos. Consegui de um revendedor na Antuérpia e tentei usá-lo em lojas diferentes e no meu último apartamento, mas nunca funcionou. Aqui se encaixou milagrosamente”, explica Derian. A cozinha, no estilo boho do East Village, se abre diretamente para uma sala de estar soberbamente aconchegante cujas paredes são forradas com louças, redomas de bolo, compotas e terrinas reais dos séculos XVIII a XXI. A mistura engloba uma variedade de decoupages, característica de Derian, bem como peças de colaborações do designer com o fabricante de cerâmica francês Astier de Vilate. Como Derian adora cozinhar e receber, a atraente coleção de serviços de mesa e utensílios de cozinha são bastante utilizados.

As noites chez Derian normalmente começam com o chef no fogão e seus convidados descansando confortavelmente na área de estar. De lá, a festa se move para o lado oposto da parede sueca, onde o jantar é servido em uma mesa de madeira pintada do século 19 sob um enfeite de natal de vidro alemão conhecido como kugel. Para a sobremesa, a cena muda para a sala de estar, onde os sofás desenhados por Derian são estofados em denim branco. Uma antiga cadeira, um grande sofá otomano com mantas diversas, e tapetes brancos vintage adicionam cor ao cenário romântico.

Enquanto a alquimia peculiar deste designer desafie uma classificação fácil, não há um guia prático infalível para o look de Derian. Ele nasceu e cresceu em Watertown, Massachusetts, o mais novo de seis filhos. “Eu era a criança esquecida, então me tornei a mais criativa. Passei o meu tempo desenhando, fazendo coisas, interpretando, construindo fortalezas e colecionando pedras e outros pedaços da natureza. Eu estava totalmente contente em ficar sozinho até os 11 anos, quando percebi que não tinha amigos ”, lembra ele, rindo.

Enquanto morava em Boston, Cambridge e na província, no final da adolescência e início dos 20 anos, Derian fez e vendeu arranjos de flores secas, estudou acabamentos pintados, mergulhou no mundo das antiguidades e atendeu mesas como garçom, em um restaurante de Boston, onde seus colegas incluíam os fotógrafos Jack Pierson, Mark Morrisroe e David Armstrong. “Essa era a minha faculdade, a faculdade da vida”, diz ele sobre o tempo que passou em meio à fermentação da cena artística de vanguarda de Boston. “Eu ainda sou um garçom no meu cérebro”, acrescenta. “Eu nunca saio de uma sala de mãos vazias.”

Derian mudou-se para Nova York em 1992, assumindo o apartamento de Pierson no Lower East Side, onde viveu pelos 20 anos seguintes. Durante esse tempo, ele construiu seu negócio em um império de mobiliário doméstico pequeno, mas notavelmente influente, onde seu próprio design mistura-se amigavelmente com antiguidades e outras criações artesanais feitas por artesãos com a mesma mentalidade. “O negócio cresceu apenas organicamente. De alguma forma eu ainda sinto que não sei exatamente o que estou fazendo ”, diz o maestro, apesar de muitas evidências em contrário.

Som de Cat Stevens – Ruby Love

 

Townhouse em Amsterdã !!


Esta Townhouse em Amesterdã tem uma entrada muito bonita e um jardim acolhedor e muito bem aproveitado, com mobiliário externo maravilhoso. A casa foi construída há 100 anos e está em excelente estado até hoje. Parece que o tema da arquitetura histórica continuará por dentro, mas não, o design interno é surpreendente e tem soluções modernas. A gama de preto e branco contrastante é diluída com toques coloridos em móveis, tecidos variados e objetos únicos de diferentes épocas. Vamos entrar?

Som de Queen – Who Wants To Live Forever

Um Caso de Amor !!!!


Alguns anos atrás, como uma forma de a parabenizar pelo ótimo trabalho, conhecidos em comum começaram a telefonar para Elizabeth Ingram para lhe dizer que Alton Brown gostava de vários restaurantes que ela projetara em Atlanta, que incluem Beetlecat, Marcel, Superica El Tigre, e agora, Golden Eagle.

Mas havia apenas um problema: “Ela não sabia quem eu era, então não fazia sentido para ela!” Isso pode parecer difícil de entender para qualquer um que já tenha se conectado à Food Network nas últimas duas décadas: Brown é o criador e apresentador do Good Eats , e principal comentarista do Iron Chef America e do Cutthroat Kitchen, de lá, seu curriculum vitae continua. Mas este mês, na frente de amigos e familiares em Charleston, ele adicionará mais um título ao seu currículo: o de marido de Ingram.

Talvez a ignorância inicial de Ingram em relação a Brown se devesse ao seu próprio nível de sucesso: na indústria de design de restaurantes, bares e residências, Ingram tem sido uma designer muito requisitada desde o tempo em que Brown trabalhava na televisão; no ano passado, ela até lançou sua própria linha de móveis, que inclui elegantes bancos, cadeiras e sofás. Apesar de muitos projetos, Ingram encontrou tempo para participar de uma noite de autógrafos de  Brown para seu livro, EveryDayCook , em outubro de 2016.

Brown deu a Ingram seu cartão, inicialmente esperando conseguir sua ajuda para refazer a sala de estar de seu escritório. Mas logo, ele precisou novamente de seus serviços: a reforma e a decoração de um apartamento em Marietta, na Geórgia, que Brown comprou sem saber como era o interior.

Em uma reviravolta do destino, a compra deste apartamento pode ter sido uma das melhores decisões que ele já fez. Depois de enviar um e-mail a Ingram dizendo que poderia ​​haver um upgrade na relação de trabalho, de um pequeno apartamento e um escritório a um grande loft, o casal embarcou em uma renovação de sete meses, e o início de um namoro que começou no verão de 2017. A capacidade de Brown de deixar Ingram seguir em frente no processo de design e a aptidão do casal para trabalharem juntos também ajudou no romance entre eles.

Logo logo, acabou se tornando a casa de Ingram. Ela agora reside no apartamento de três quartos estilo loft que ela inicialmente projetou para Brown. “Em algum momento, as reuniões se transformaram em encontros, diz ele. “Eu não vou mentir, comecei a ansiar por vê-la mais do que ao espaço.” O casal ficou noivo em abril de 2018, pouco mais de um ano depois de terminar o trabalho no apartamento.

Brown não está apenas dizendo isso porque a arquiteta que ele contratou em breve será sua esposa também, mas ele afirma que nunca morou em um lugar em que não quer sair para trabalhar de manhã, e em que mal pode esperar para chegar em casa no fim da tarde.

Som de Michael Bublé -Feeling Good

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Precisa de ajuda? Quer organizar o seu guarda roupa? Duvidas para combinar peças que já tem? Entre também em contato pelo blog, ou pelo E-mail nunoalmeida61@gmail.com

60 Metros Quadrados Com Um Super Terraço!!!


A sala é muito pequena, mas é muito agradável graças á estufa, que lhe dá muito charme. Os sofás têm uma distribuição simétrica e oposta, foram escolhidos em uma cor verde água porque juntamente com o branco, é uma das cores que definem a decoração da casa. Além disso, sofás têm um truque, porque eles se transformam em uma cama confortável quando necessário. E os pufes, combinando, aumentam o espaço, e impedem que ele seja muito estático.

 

Toda reforma é a história de uma transformação. E no caso desta pequena casa em Sitges, província de Barcelona, a fábula do patinho feio que se transforma em um lindo cisne aconteceu. “Quando a vi pela primeira vez, queria fugir, muito escura, deprimente, cheia de umidade e com um pátio que parecia uma selva”, lembra Blanca, a proprietária. Apesar de tudo, ela deu a esta casa uma segunda chance. Mas desta vez ela foi acompanhada por  Gabriela Conde, estilista, decoradora de El Mueble e amiga íntima de Blanca. Se alguém pudesse fazer um milagre que fosse Gabriela.

Os escassos 60 m 2 desta casa foram espremidos ao máximo com soluções bem estudadas, e com móveis com mais de uma função. Com a ajuda da arquiteta técnica Blanca Figueras o pátio que era antes impraticável, foi transformado no oásis de paz que é agora. Para fazer isso, eles esvaziaram a terra inteira para nivelá-la e deixá-la como está, porque haviam três degraus que comiam todo o espaço. De fato, com 80 m 2 , o pátio é a parte mais utilizada da casa durante o verão.

Com o exterior sintonizado, o trabalho mudou para o interior, que foi completamente transformado. Aquela caverna escura e inexplorada, Gabriela transformou em uma casinha cheia de luz, com espaços otimizados e soluções quase mágicas. O grande sucesso e o que dá esse charme especial é a madeira que cobre as paredes, o piso e a cobertura do teto, tudo em branco. “Eu fui inspirada pelas casas nos Hamptons  mas com um ponto mais rústico, com madeira crua e toques vintage.” E foi um sucesso! “Agora é uma casa para onde sempre queremos voltar”, confessa Blanca.

Som de Ed Sheeran – Perfect

A meia parede que separa o quarto da cozinha foi decorada com uma lareira falsa, feita de madeira recuperada “para dar um pouco de graça a uma sala muito pequena”, explica Gaby. É um design feito sob medida pelo decorador. A tela, com diferentes corais, é um aceno para o mar tão perto.

 

A mesa de jantar, projetada pela decoradora, tem rodas para movê-la de acordo com as necessidades. Blanca gosta de receber em casa nessa mesa, que também serve como área de estudo e trabalho, já chegaram a reunir 10 pessoas. O armário é um projeto de Gabriela feito com ferros recuperados. “Eu tinha na minha cabeça a ideia de fazer um armário, mas não encontrava o que eu tinha em mente. E vagando pelo Antic Centro vi esses três ferros jogados no chão, e logo vi que era isso que eu precisava”.

 

“O espaço agora ocupado pela cozinha deve ter sido a sala de estar, mas Branca queria uma cozinha grande, porque é onde ela e suas filhas ficam no inverno. Por isso, trocaram, a cozinha de lugar, que é um dos maiores espaços da casa “, lembra Gabriela. Como está aberto para a sala de estar, também desfruta de muita luz natural.

 

Os móveis, feitos com madeira recuperada e acabamento fosco, dão uma aparência muito natural e aconchegante à cozinha. Para proteger a área do fogão, Gabriela optou por um vidro discreto, mas muito prático. “detesto cozinhas assépticas, então criei algumas prateleiras para deixar a louça à vista, dá mais vida.”  Os móveis foram projetados pela decoradora. Olmos.

 

Seguindo o estilo da cozinha, que tem um estilo vintage, foi escolhida uma pia em estilo, e para dar um ar de cabana foi criada uma placa de zinco decorativa, e que serve de anti respingo.

 

Tudo é mais do que pensado nesta casa. Como a ausência da geladeira. “Eu não coloquei a geladeira da cozinha, porque ela rompia com a estética. Portanto criei gavetas frigoríficas gigantes para ter à mão tudo o que uso diariamente .” Revestidas com a  frente do resto dos armários, passam completamente despercebidas.

 

Apesar de ser pequeno, parece uma suíte. “Eu abri a sala para evitar que fosse minusculo, e parece que a sala pertence ao quarto. As cortinas são muito leves e dão privacidade,” diz Gabriela. A cabeceira, feita com um tecido rústico, dá um toque especial e aconchegante.

 

As camas têm 135 cm, para que possam dormir quatro se forem amigas”, explica Gabriela. Eles foram projetados pela decoradora. Algumas caixas embutidas na frente dos beliches servem como mesas de cabeceira. A peça de mobiliário é uma peça recuperada e pintada.

 

O camarim, que era a antiga cozinha, foi aberto para o quarto das meninas para deixá-lo mais confortável, assim o quarto de Amelia e Clara não ficou tão confinado.

 

Como o resto da casa, o banheiro é pequeno, mas cada detalhe foi cuidado. O espelho do tipo livro, uma peça única recuperada do Cassai Home, e a cortina original do chuveiro, feita com uma rede de pescadores, dão charme, assim como as torneiras.

 

Além de dar o ar marroquino que a decoradora queria para o pátio, é muito agradável no verão. Refresca a atmosfera e o som da água é muito relaxante.

 

A casa fica abaixo do nível da rua, criando ainda mais a sensação de cabana escondida. Por ser acima de tudo, uma casa de verão, a designer de interiores Gabriela Conde, responsável pela reforma, instalou um chuveiro ao ar livre para limpar a areia da praia antes de se entrar na casa. Também é usado pelas filhas do proprietário, Clara e Amelia, como uma ducha ao ar livre descongestionando o único banheiro da casa.

 

A pérgula semi-suspensa fornece sombra para a área de refeições verão.  “Eu não queria para fazer um alpendre porque teria perdido grande parte do espaço. É por isso que eu escolhi esta pérgola, coberta com caniço, para dar um ar mais natural “, explica Gabriela. A mesa e os bancos, feitos de madeira bruta , foram feitos sob medida e desenhados pelo decorador.

 

Gabriela Conde é a decoradora desta casa. Comprou parte da mobília do pátio em Marrocos. ” Nós queríamos que fosse muito alegre e natural, com um ar marroquino. Daí a pequena fonte, que também me serviu para separar a sala de jantar. Unifiquei as paredes com esta cor de camelo”. Cadeiras de corda e mesas marroquinas. O piso, que simula o microcimento, é uma tinta epóxi especial para chão.

 

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Precisa de ajuda? Quer organizar o seu guarda roupa? Duvidas para combinar peças que já tem? Entre também em contato pelo blog, ou pelo E-mail nunoalmeida61@gmail.com

A Casa de Arnaud Zannier !!


Nesta casa belga do hoteleiro francês Arnaud Zannier há uma qualidade de vida atemporal. A elegante vila rural não muito longe de Aalter, entre Ghent e Bruges, é cercada por um extenso jardim e um bosque, é difícil dizer à primeira vista quando ela poderia ter sido construída. O seu telhado de palha e interiores requintados mas relaxantes nos faz pensar em tendências de moda e decoração. A casa parece enraizada em seu cenário, com uma riqueza de materiais orgânicos que lhe conferem beleza e aconchego.

A casa foi construída nos anos setenta e aumentada várias vezes antes de Arnaud e sua esposa Julie a comprarem  em 2007. Eles a desmontaram completamente até o osso. Os quartos foram reconfigurados, novas janelas e portas foram introduzidas e o terraço do jardim redesenhado. Foi uma transformação completa, criando uma casa acolhedora para os Zanniers, e foi também a primeira de uma série de colaborações com o arquiteto belga Johan de Groote, que tem trabalhado com Arnaud em uma série de projetos de hotéis desde então.

“Sempre me interessei por arquitetura e design, e aprendi muito morando na Bélgica”, diz Arnaud. “Descobri diferentes estilos e ideias sobre modos de vida que são particularmente flamengos. Isso me ajudou a criar hotéis com interiores atemporais, que é o modo como eu moro em casa. Nossa casa é um lugar maravilhoso para as crianças, e os jardins são um ótimo playground. Tínhamos algumas ideias fortes e sabíamos de que estilo gostávamos, mas precisávamos da ajuda de um especialista, e foi assim que nós conhecemos Johan”.

Julie e Arnaud se conheceram em um colégio interno na Suíça quando tinham apenas 17 anos, antes de se mudarem para Paris para cursar a escola de administração. Houve um breve estágio de Arnaud com a empresa da família em Lyon, antes de se mudar para Londres, onde trabalhou com a marca de sapatos Kickers. Sua filha Zoe nasceu em Londres, assim como a marca de calçados de Arnaud, NDC (abreviação de Nom de Code). Com lojas próprias agora em Bruxelas e Paris, a NDC é especializada em calçados de couro para homens e mulheres feitos à mão, com lojas na Itália, em Portugal e na Espanha.

Seis anos atrás, Arnaud lançou o grupo Zannier Hotels, abrindo seu primeiro hotel nos Alpes franceses com uma abordagem de design baseada em seu próprio amor por espaços simples, mas sofisticados, com serviços de luxo. O Le Chalet Zannier em Megève tem a forma de uma micro vila, com um salão principal e bar em um novo edifício com vista para as montanhas e a cidade, além de um restaurante e spa nos andares mais baixos. É também um lugar onde toda a família pode se reunir. Os filhos de Arnaud adoram esquiar, por isso o resort, com sua grande variedade de pistas, é uma grande atração. “Muitos hoteis de luxo usam os mesmos designers de interiores e arquitetos em todas as filiais no mundo todo, e os hotéis têm a mesma aparência onde quer que estejam”, diz Arnaud. “Queremos que Zannier seja reconhecido por uma experiência de qualidade e interiores únicos. A ideia é que com o tempo, os interiores dos hotéis ganhem caráter único.

Som de Supertramp – School

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Precisa de ajuda? Quer organizar o seu guarda roupa? Duvidas para combinar peças que já tem? Entre também em contato pelo blog, ou pelo E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Michael Bastian !!!!!


 

O designer de moda masculina, Michael Bastian, fez deste apartamento na cidade de Nova York a sua casa por mais de duas décadas e agora compartilha o mesmo com o marido Mike Vasquez . “E continua em transformação”. Michael encontrou este apartamento de 650 metros quadrados no West Village e alugou-o imediatamente. “Eles vão ter que me carregar para fora daqui”, diz ele, e pode-se facilmente entender o porquê. Centralmente localizado no mesmo bairro que as casas de Julianne Moore e Sarah Jessica Parker, é uma daquelas raridades com controle de aluguel tão bem adaptada aos seus inquilinos que é difícil imaginar outras pessoas morando lá. A maioria dos móveis e objetos no apartamento foi escolha de Michael (Mike mudou-se quando o casal se casou em junho passado), mas dado que seus gostos são parecidos, vale dizer que a estética primordial é reflexo do casal.

É um espaço bem masculino e confortável. Muitos quadros e arte pendurados, paredes em tons de carvão, antiguidades misturadas com tesouros encontrados nas ruas, esses elementos se juntam para formar uma mistura visual assim como as coleções de moda pelas quais Michael é tão bem conhecido.

O senso de estilo pessoal de Michael é mais eclético do que tradicional. Ele descreve a casa como “um pouco de tudo que foi construído em câmera lenta ao longo dos últimos 20 anos”. E embora haja algo democrático sobre a mistura como um todo, ele dá preferência ao estilo americano. “Quando as pessoas falam sobre estilo americano (vestuário),  acham que é social ou de rua, sem nada intermediário”, ele observa. “É meio o mesmo com os interiores, é clássico ou moderno. Mas eu acho que nenhum deles realmente cai em uma categoria exclusiva”.

Michael atribui seu olhar para a decoração para a experiência de trabalhos passados. Antes de começar sua própria marca, o estilista deixou a Sothebys, Tiffany’s, Bergdorf, e em seguida, Ralph Lauren, onde aprendeu a regra do estilo magpie: “Nunca deve ser apenas um tipo de coisa”. É como uma parede de casa por exemplo, “nunca deveria ser só de pinturas ou apenas fotografias, mas uma mistura dos dois. Esta filosofia se estende muito além das próprias paredes das salas de Michael. Tapetes vintage misturados com arte, armários de cozinha cheios de pratos que não combinam, um busto com colar de conchas e outro com uma máscara de Carnaval, toques de magia com estilo.

Som de Justin Bieber – Company

Na entrada, uma reprodução de Warhol encontrada na esquina da Fifth Avenue e 11th Street fica pendurada em uma parede pintada de cinza.  Abaixo, uma cômoda   vintage em estilo Império Americano recebe um par de luminárias de níquel polido.

 

Envelhecido até a perfeição. Há dez anos atrás, Michael pintou as paredes da sala de estar com uma mistura de dois tons de branco, que foram envelhecendo até hoje. As poltronas que cercam a lareira foram um presente de um amigo na década de 1990, e Michael troca periodicamente o tecido em preto e branco.

 

Atrás do sofá de camurça, há 16 fotografias encontradas sem as molduras em um mercado local de pulgas. “Foi um daqueles domingos quando você está no mercado com seus amigos e todo o mundo só quer ir tomar café , e lá estava eu peneirando pilhas de fotos antigas”, lembra Michael. Embora as impressões fossem dois dólares cada uma, as molduras  aumentaram este preço dez vezes, mas o resultado final valeu a pena.

 

Como as coleções de Michael, seu apartamento apresenta toques deliciosamente peculiares justapostos com coisas claramente práticas. Na sala de estar, um antigo banco de piano (outro presente da rua) entra como uma mesa de centro, do tamanho ideal para o espaço pequeno. O robô estilo steampunk atraiu os olhos de Michael em uma loja de objetos de segunda mão.

 

Uma cômoda bombê  forrada em lagarto falso serve como uma base para um canto charmoso. Detalhes, como um abajur feito de um antigo vaso, e uma cesta tecida a mão mostram a propensão de Michael por rusticidade.

 

Original do apartamento, um armário de cozinha deliciosamente dilapidado, que Michael personalizou com uma camada de tinta em tom de maçã, exibe pratos vintage, copos e louças muito lindas para ficarem escondidas.

 

O “escritório” de Michael consiste em uma antiga mesa de madeira, ladeada por um busto mascarado e uma luminária de Bunny Williams . A fotografia em preto e branco de um salva-vidas, obra do fotógrafo Matt Albiani , se encaixa em uma parede coberta de outras obras.

 

No quarto, uma cama de ferro de Ralph Lauren Home, é feita com lençóis que combinam com a tonalidade das prateleiras da cozinha. Ao lado da cama, uma estátua africana fica de guarda atrás de uma bandeja de cortiça com óculos, um copo e uma pequena topiaria.

 

Aulas de decoração: Toques simples como uma enorme garrafa de água para bochechar, e uma escova em um copo de prata são formas fáceis de elevar a aparência de qualquer banheiro.

 

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com