Um Toque Chanel !!!


Um pouco de inspiração parisiense neste loft de 146 metros quadrados, na cidade de Zurique – Suíça, nem tanto pela sua arquitetura, mas sim pelas cores e tecidos utilizados. A arquiteta Daniele Claudio Taddei, criou para este cliente um apartamento com uma aparência de “Chanel”, e pensou neste nome em virtude dos vários detalhes em aço preto e fundo luminoso, que aparecem por toda a casa, vestindo-a com uma elegância moderna e bem estruturada.

Nesta construção da década de 80 foram trocados o piso e as paredes, dando lugar a madeira clara e escura, mantendo-se assim o aspecto clássico, as colunas de concreto ficaram aparentes para um maior contraste de materiais. A aparência contemporânea deste espaço foi conseguida através de uma mistura de cores minimalistas, como o branco, bege, cinza e café, com pequenos toques de vermelho em alguns móveis e detalhes. As diversas texturas e cores dos tecidos utilizados nos sofás e almofadas ajudam na sensação de aconchego e conforto deste loft.

Para ampliar o espaço, muitas paredes foram substituídas por vidro. O banheiro foi completamente reformado, dando lugar a uma grande caixa de vidro, com uma lavanderia e um lavabo para hóspedes.

As escadas foram substituídas e o piso de madeira existente foi tratado com pigmentos coloridos. A cozinha ampliada com uma bancada de aço inoxidável. Vigas de madeira, estruturas de metal e pilares de concreto maciço ajudam a manter o carácter industrial do apartamento. As esquadrias pretas ao redor dos vidros inspiraram o nome do projeto,  Um Toque de Chanel, uma alusão aos ternos e roupas clássicas desta marca.

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Uma Casa Em Nova York.


Depois de morarem em uma casa alugada no Soho por alguns anos, os australianos Jeremyville e Megan Mair (ele, um cartonista de renome), decidiram arriscar e investir na compra de uma casa em Nova York. Eles pesquisaram todas as áreas do norte de Nova York até o Harlem, East Village, West Village. “Nós procuramos por todos os lugares para encontrar o preço mais justo e o maior espaço possível, próximo a Manhattan, e que fosse uma área bem valorizada”, diz Jeremy. Esta busca intensiva levou-os a Stuyvesant Heights, um bairro histórico, onde ambos gostaram do grande senso de comunidade desta região.  “Na verdade muitos australianos mudaram-se para este bairro, há também um café australiano chamado Brunswik, bem na nossa esquina, com umas comidinhas deliciosas”,diz Jeremy.

A casa não estava em péssimas condições, mas já tinha sido subdividida em três pequenos apartamentos, nesta casa de cinco andares. O casal não perdeu tempo na restauração da casa para transformá-la novamente em uma única casa de família. Uma cozinha no terceiro andar foi removida, dando lugar a um quarto bem espaçoso, com sala de estar conectada. A escadaria original e linda, foi restaurada com a ajuda de um carpinteiro local, que aproveitou os corrimões originais, escondidos no porão, e milagrosamente em perfeitas condições. Cinco lareiras de mármore também foram descobertas durante o processo de renovação, escondidas sob inúmeras camadas de tinta, todas recuperadas conforme as originais.

Megan e Jeremy também atualizaram o esquema de cores por toda a casa. Uma paleta cinza e branco clássico foi utilizada nas salas principais, e um cinza musgo no chão do quarto. “Queríamos atingir um toque clássico, mas contemporâneo”, diz Megan.

“Nós renovamos e decoramos cada um dos cinco níveis da casa, mas nada muito grandioso. “Uma série de mudanças estéticas simples, que quando somadas criam uma nova casa.  “Posteriormente, a próxima fase é ajustar a iluminação e a instalação de mais da nossa coleção de arte. O que é interessante sobre esta casa, é que ela é muito diferente do estilo de Megan e Jeremy. Tendo vivido anteriormente cercados por um design contemporâneo em um loft, o casal foi totalmente inspirado pelas fortes características do período desta casa, e estavam dispostos a abraçar a sua estética.

“Nós abraçamos totalmente o período e estilo da casa, e decidimos que precisava de algumas peças antigas clássicas combinadas com um pouco de toque moderno”, diz Megan. “Eu cresci com belas antiguidades em casa da minha família, mas, até agora, Jeremy e eu vivemos com mobiliário e em interiores muito modernos, por isso mesmo foi um desafio divertido, começar a recolher antiguidades, e contrasta-las com peças contemporâneas”.

Tendo vivido em vários tipos de casas, tanto em Sydney e no exterior ao longo dos anos, o que Megan e Jeremy adoraram nesta casa é que cada andar tem seu próprio ambiente único e uma função específica. “Cada cômodo da casa agora tem uma função: a biblioteca, a sala de estar informal, sala de jantar, o estúdio de pintura no último andar”, diz Jeremy. “Eu gosto do conceito de sentimentos e momentos do dia específicos para cada quarto.”

“O nosso primeiro inverno nesta casa foi  brutal, então agora nós fechamos a casa no início de janeiro e vamos para Bondi Beach – Austrália, em Março, voltamos para Nova York” diz Jeremy, que tem um escritório em Sydney, e funciona onde quer que esteja. “Eu pessoalmente acho que preciso fugir da loucura de Nova York, como eu cresci em Tamarama, perto de Bondi Beach, sinto falta do mar. Em Nova Iorque a vida é muito diferente e muito formal, se comparada a uma cidade praiana, onde o estilo de vida é bem casual”.

Som de James Blunt – Cry


Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Decoração Eclética !!!!


Completamente destruído, e com uma reforma muito mal feita, nos anos 70, este apartamento em Madrid, no bairro Senado foi um achado, apesar de todos os problemas e obras a serem feitas.  A designer de interiores, Isabel López-Quesada, praticamente demoliu o apartamento e o reinventou com toda a liberdade, sem seguir regras definidas na reforma anterior. Uma aventura para a qual contou com a completa cumplicidade da proprietária e para a qual usou conceitos cosmopolitas, e acima de tudo, uma completa autonomia. O luxo desta obra foi a preservação do estilo original deste edifício do século XVIII, mantendo os materiais e elementos arquitetônicos, juntamente com outras preciosidades, como os frescos do teto da sala principal, com um valor estético enorme. As cores, nesta pintura, parecem ter literalmente escorrido para os tons da decoração desta sala, através da tonalidade de tecidos escolhidos pela decoradora.

A distribuição dos cômodos não segue referências ortodoxas, e para aproveitar a luz natural que entra das quatro varandas, ficam nos extremos, o escritório, aberto para a sala de estar, e o quarto principal. “Aqui colocamos algumas portas antigas, de madeira e vidro, para não esconder a lareira e dar uma maior sensação de espaço. Na parte mais privada deste quarto está a cama”, explica Isabel López-Quesada. Um ponto de sua desinibição criativa é a forma circular dada ao espaço de jantar, e o tapete com um padrão geométrico de poder visual inquestionável. O resultado? um pied-à-terre para um casal e seus convidados que transpira uma atmosfera fresca e elegante, graças a sua riqueza cromática e sofisticação na mistura de mobiliário. Puro charme.

Som de Carly Simon – The Right Thing To Do

 

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

A Casa de John Winning


Esta casa impressionante em Sydney pertence ao empreendedor e empresário John Winning. Este jovem proprietário é CEO do grupo Winning e fundador da Appliance on-line, o número um do comércio varejista on-line da Austrália, em utensílios de cozinha. Seu império começou com uma linha off-shoot em uma empresa familiar com 100 anos de idade, atualmente John lidera toda a empresa. A hashtag #winning nunca foi tão apropriada.

Esta casa enorme, de 1.100 metros quadrados datada de 1920, toda em tijolos era um antigo depósito, e teve o primeiro andar convertido em uma área totalmente aberta, com uma grande cozinha, sala de jantar, duas áreas de estar, um espaço de terraço ao ar livre e um quarto central “pod”, enquanto o piso térreo abriga vários quartos de hóspedes, uma piscina coberta, jardim interno e extensa área de entretenimento.

“Eu realizei um concurso de ideias com um punhado de arquitetos, e uma abordagem de design se destacou pela sua originalidade e uso do espaço”, explica John. Esse foi o esquema de Peter Ireland, que é o principal sócio do escritório Allen Jack + Cottier Architects. Peter propôs o jardim interno, no piso térreo com grandes janelas, que permitem a entrada de luz natural. Ele também é o responsável pelo alucinante quarto principal, e sinceramente a única coisa de que não gostei nesta casa.

” O primeiro andar tem o meu quarto principal, descrito na Irlanda como uma “caverna”, uma suite acusticamente isolada, em fibra de vidro, como um casulo, que fez com que eu fechasse o negócio com este arquiteto”, explica John. O “pod” tem que ser visto para ser apreciado. Há algo de cartoon sobre esta central escultural, que foi desenvolvida com a mesma tecnologia usada na construção de barcos.

Para além destes elementos arquitetônicos espetaculares, o designer  é responsável por distintos detalhes do interior deste antigo armazém. Kelly trabalhou diretamente com John na seleção de móveis e acessórios que refletem seus interesses e uma rica sensação de história da família. “Kelly criou um dramático e altamente pessoal mise-en-scene “, diz John. Algumas de suas peças favoritas incluem sua mesa de jantar de 12 lugares, confeccionada com vigas de Oregon que foram recuperadas, bem como um sofá georgiano adquirido do set de O Grande Gatsby !!!!

Na verdade, embora esta casa seja incomum, é também um espaço surpreendentemente. Do lado de fora, você realmente não tem a mínima ideia do que vai encontrar no interior. “Eu amo o facto dela ser modesta, vista de fora. Se você passar em frente da casa você não tem ideia do que está lá dentro, mas assim que você entra, começa uma sensação de estar em um lugar qualquer do mundo”. Na verdade, há uma nítida sensação de ser transportado para outro lugar, uma experiência um tanto surreal. Esta é uma casa criada sem quaisquer limites para a imaginação, e isso é uma coisa muito rara. Vamos entrar?

Som de Cat Stevens – The Wind

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Reforma Geral


RECEPÇÃO CALOROSA: Na entrada, uma porta antiga foi usada para criar um armário. O piso, em argila artesanal, é coberto por um tapete artesanal de de lã virgem. A mesa industrial e o busto em terracota esmaltada são de Lou & Hernández.

 

Na reforma desta casa andaluza do século XVIII, o escritório de interiorismo de Lou & Hernández  manteve as antigas vigas que estavam escondidas em tetos de gesso, restaurou os pisos e fez cópias das janelas da época. Esta obra deu uma nova vida e sabor a esta residência, com uma mistura de peças antigas e outras artesanais.

QUARTO:  A decoração do quarto é marcada pela mistura de peças com um toque industrial, como as mesas de cabeceira modernas, e toques antigos, como a cabeceira acolchoada. A colcha é da Zara Home.

 

ATMOSFERA:  A luz natural, suavizada por cortinas de tule, realça a cor dos azulejos de demolição em xadrez. Sobre a cômoda, uma composição única de molduras pretas, procedentes da loja de  Lou & Hernández, assim como a luminária preta de chão.

 

BANHEIRO: O móvel do lavatório foi desenhado pelos decoradores tendo como base um antigo aparador.  No piso, foram colocados azulejos hidráulicos de um antigo hospital. Do chão até metade da parede, revestimento com azulejos artesanais em um tom neutro, que contrasta com o resto da parede pintada em um tom de morango vibrante. A madeira do móvel da pia e espelho ajuda a criar uma atmosfera que exala charme.

 

ELEMENTOS CARISMÁTICOS: Na reabilitação deste edifício, os tetos de abóbadas caiadas de branco com vigas de madeira foram preservados. Sua presença traz personalidade aos espaços, aumenta a marca registrada da construção e acrescenta uma nota sutil de calor.

 

ANTIGUIDADES SÃO TENDÊNCIA: Na sala de estar um sofá chesterfield em couro com acabamento envelhecido e uma cadeira antiga estofada em veludo brocado. O piso hidráulico é da casa original, ele foi restaurado e recolocado.

 

TOQUE CHIC: A decoração exala um delicioso tom de “revival ” conseguido com móveis de latão cromado, lustres de cristal, e espelhos em formato de sol. As luminárias de cerâmica e os vidros de cristal desempenham um grande papel nesta decoração.

 

PEGADA VINTAGE: A mesa de centro é uma peça com acabamento rústico, estrutura de ferro e tábua de madeira em olmo. Detalhes antigos como o lustre de cristal e o espelho em ouro velho, mesas ninho em latão e candeeiro de mesa. Tudo da loja dos decoradores.

 

NATURALIDADE MÁXIMA: O espaço reservado para a sala de jantar tem um piso hidráulico recuperado. Ao redor da mesa belga em madeira, duas cadeiras antigas estofadas com algodão rústico e duas cadeiras orientais.

 

CONFORTÁVEL E FUNCIONAL: A cozinha tem acesso direto ao pátio, que a inunda de luz natural. Móveis, feitos sob medida, contrastando madeira laqueada preta com bancada em silestone branco.

 

FORMAS RESPEITADAS: Nas obras de remodelação desta casa as formas originais, como janelas e portas foram substituídas por réplicas exatas, respeitando a arquitetura original.

 

MATERIAIS RECUPERADOS: Além da grande variedade de pisos, que cobrem o chão, em sua maioria antigos, os móveis foram escolhidos de acordo com a estética desta casa. Couro envelhecido e estofados de brocado, mesas de ferro e madeira natural.

 

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

 

 

 

Villa Sola Cabiati !!!


 

 

O VILLA :

Quando os convidados chegam de barco e vislumbram pela primeira vez o Villa Sola Cabiati, uma das villas de maior renome do Lago di Como, são surpreendidos por sua beleza harmoniosa. A escadaria dupla com uma balaustrada de pedra cinza, eleva-se a partir da água para o grande portão de ferro encimado por um “S” dourado e uma coroa. As colunas de pedra do portão, cobertas com estátuas de figuras míticas e animais, lembram um mundo de conto de fadas encantador, e convidam os hóspedes para entrarem através de seus portais. Além do portão ficam quatro jardins, cheios de flores, bem ao estilo italiano. Neles, o vermelho, branco e cinza dos seixos do lago formam um arabesco multi-colorido.

Villa Sola Cabiati, a residência de verão dos Duques Serbelloni, é uma villa em estilo barroco, cujo corpo central foi encomendado pelo Duque Del Carretto no início dos anos 1500. Na segunda metade dos anos 1700, o Duke Gabrio Serbelloni, adicionou as abóbadas arredondadas e as varandas à fachada, dando ao Villa, o seu aspecto atual.

Um medalhão de pedra que carrega o brasão da família Sola Cabiati, bem na fachada, com o lema da família, villulae quietem, esculpido, convida os hóspedes a dias de repouso e tranquilidade. A propriedade passou para os Condes de Sola Cabiati e seus herdeiros através do casamento e não mudou de mãos desde então. No piano nobile ( andar principal de uma grande casa) do Villa Sola Cabiati  ficam os magníficos quartos decorados por Muzio Canzio e Francesco Conegliano, ambos alunos de Tiepolo.

Também neste piso se encontra o museu privativo da família, que os hóspedes podem visitar somente na presença de um membro da família qualificado para acompanhar e orientá-los. Em exposição no museu, o mobiliário original do apartamento napoleônico do Palazzo Serbelloni em Milão, onde Bonaparte e sua esposa, Josefina de Beauharnais, ficaram brevemente. Poucos dias antes de Milão e o Palazzo Serbelloni terem sido bombardeados em agosto de 1943, o mobiliário foi levado para o Villa para sua segurança. A maior parte do Palazzo foi queimado no incêndio que se seguiu, mas estes tesouros inestimáveis, incluindo a cama de Napoleão  foram felizmente salvos da destruição. No último andar do museu são as salas que pertenceram a Giuseppe Parini, tutor das crianças Serbelloni em seus estudos humanísticos e Abbot Paolo Frisi, que lhes ensinou matemática.

Som de Farinelli – Lascia Ch’io Pianga

AS SUITES:

O Villa oferece aos seus clientes um apartamento charmoso e espaçoso, assim como cinco suítes, cada uma com um quarto e sala de estar. Embora todos os quartos tenham sido recentemente renovados e equipados com o que tem de mais recente em conforto e tecnologia, eles ainda mantêm o seu estilo original.

Cada quarto nos faz  lembrar de épocas passadas em 1700, as cores dos tecidos adamascados nas paredes complementam ou contrastam com as cores do Lago di Como visíveis das janelas do Villa.

Apartamento Antonietta:

Suíte Gianvico:

Suíte Amalia:

Suíte Andrea:

Suíte Alberica:

Suíte Nora:

 

O LAGO:

O visual é de encher os olhos, todo o lago é cercado de cidadezinhas de fachadas em tons pastéis debruçadas sobre suas águas, e quase não se percebe quando acaba uma e começa outra. A estradinha que margeia o lago (beeeem estreita) descortina belas panorâmicas do alto (e tem estacionamentos estratégicos nos mirantes mais bonitos). O centrinho histórico de Como é lindo, e as ruelas ao redor do imponente Duomo são super elegantes.

Bellagio, a meros 30 quilômetros de Como, localizada no ponto exato em que o lago se abre em dois braços, é linda e compacta, perfeita para ser percorrida inteirinha a pé (a cidade de Como, ao contrário do que eu imaginava, é enorme). Você vai se sentir praticamente dentro de uma locação de cinema: Doze Homens e Outro Segredo, de Steven Soderbergh e diversas sequências de 007 foram filmados por aqui. Há barcos frequentes que ficam transitando de uma cidadezinha a outra, e ver todo esse cenário a partir da água é ainda mais especial.

Por todo canto há as deliciosas delis italianas vendendo vinhos, massas artesanais, azeites e trufas. Impossível sair de mãos vazias.

SERVIÇOS:

O Villa Sola Cabiati tem estacionamento privativo, uma piscina exterior, solário e um heliporto na parte de trás. Todos os quartos estão equipados com um cofre, telefone com linha direta internacional, e uma televisão por satélite com filmes pay per view. O Hotel está disponível para eventos, casamentos e festas privadas.

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Uma Casa Artesanal !!!!!


O que o proprietário, Henk Teunissen mais gosta é a concepção de móveis e artesanato, com a mesma paixão ele criou esta casa para a sua família. Vocês gostariam de visitar? Venham e divirtam-se!

Uma casa de família é o lugar onde podemos ser verdadeiramente autênticos, responde Henk Teunissen, o proprietário desta casa, com o conhecimento de quem tem dado muitas voltas por este mundo. “Este é o meu refúgio, uma casa para viver e me reunir com a família e amigos. Quase todas as noites são convidados, amigos, família, ou amigos dos nossos filhos. A minha esposa Saskia adora cozinhar e receber.”

Uma outra paixão, que também se reflete nesta casa, são os materiais naturais e acabamentos artesanais. O mesmo que o levou a criar Rivièra Maison, uma empresa holandesa de mobiliário, que é caracterizada pela habilidade na confecção e estilo, entre o nórdico e o rústico. Os móveis de sua empresa vestem todas as áreas da casa. “Eu amo a madeira irregular e pisos de madeira antigos, inspiração para o design das mesas de centro. Gosto também de peças em cristal, como os lustres da sala, e rattan, nós temos muitos acessórios e cadeiras com este material. Fazemos a parte artesanal em Java e deixamos secar naturalmente, aproveitando as diversas nuances de cor, cada um é diferente do outro. O tom dos estofados de linho também varia, os corantes não são idênticos. É o que eu chamo de perfeitamente imperfeito. Eles são tons neutros, para que possamos mudar a cor dos acessórios de acordo com a temporada.”

A casa fica a cerca de vinte minutos da cidade. Foi construída em 1920 e transportada para este lugar, onde cresceu Saskia, para terem um ambiente melhor para os filhos. A casa não tinha sido renovada desde os anos setenta. “Nós reformamos o interior e construímos a varanda e a piscina, para termos um lugar de relaxamento. A casa foi cercada de verde, com roseiras, figueiras, bambu e flores brancas. As janelas de guilhotina, caixas das persianas e portas francesas foram feitas sob medida, assim como os móveis da cozinha, combinando com a pedra preta da Bélgica, amamos o estilo de Long Island. Nós também demos preferência por materiais de demolição. As lajotas de mármore da entrada são recuperadas, e o chão da cozinha foi feito de antigas mesas de trens canadenses “.

Para criar sua suíte espaçosa, Henk juntou dois quartos. Hoje é um ambiente aconchegante e cheio de detalhes, fazendo um convite ao relaxamento.

 

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com