A Casa Mais Linda De Gotland !!


Esta casa é conhecida como a “fazenda mais bonita de Gotland” na Suécia. Se é verdade ou não,não cabe a nós decidirmos, mas é decididamente é muito charmosa. A casa de calcário branco do final do século XIX, cercada por árvores antigas e imponentes, terras aráveis, e localizada na popular Storsudret, fica perto do mar e das praias arenosas.

Tudo foi reformado de maneira cuidadosa e a casa, com seus 300 metros quadrados e todas as 54 janelas, é arejada e iluminada. Seis quartos e cozinha, dos quais quatro quartos, distribuídos por 1,5 andares e porão. A casa inclui um terreno de 7.090 metros quadrados, com árvores de folha caduca altas e sebes que protegem e formam um limite com os campos abertos ao redor. Na fazenda, há também um laranjal, um depósito e um celeiro.

Não apenas a casa foi reformada, como o jardim também recebeu uma transformação e tanto. Um novo gramado foi preparado e plantios em estilo inglês foram feitos, incluindo árvores frutíferas, terra de jardim, sebes, flores cortadas, algumas centenas de rosas e centenas de lavanda que cercam casas e caminhos de cascalho. A iluminação de jardins e árvores dá uma sensação acolhedora, assim como uma ruína do antigo celeiro cria um toque pessoal e criativo.

Quando você chega a esta mansão, é recebido por uma entrada magnífica com escadas de pedra e belas portas duplas. No chão do corredor, há mármore de Carrara com aquecimento, e em frente há um luxuoso banheiro, com banheira embutida, torneiras exclusivas de latão em estilo antigo e mármore de Carrara em todos os lugares.

O quarto principal é um antigo salão com piso de madeira e teto com vigas, e na sala há uma lareira e tetos também com vigas sólidas. De lá, você chega por portas duplas à cozinha luxuosa, construída no local, com bancos em mármore de Carrara, todos os acessórios e torneiras em latão e uma lareira. Da cozinha, existem saídas para o pórtico e para a lavanderia, onde as máquinas estão escondidas atrás de móveis feitos sob medida.

O piso superior é composto por uma sala de estar com mansardas em duas direções, um luxuoso banheiro e dois quartos. No chamado “prédio dos fundos”, há quartos e salas de 50 metros quadrados com armários embutidos.
O local é uma das áreas mais pitorescas de Gotland. A vila é composta por igrejas, fazendas, campos e campos misturados com charnecas com baixos arbustos de zimbro, pântanos, bosques, prados e muralhas de paralelepípedos.
No fundo do jardim, há também um laranjal e uma estufa com janelas bonitas e antigas que convidam a grandes e longos almoços e jantares quando o clima não é apropriado para comer fora. Adjacente ao laranjal, há um pátio disposto sobre lascas de calcário.
Som de John Barry – Somewhere In Time

*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*

Um Paraíso Na Suécia !!


Quando Kristina Didriksson e Anders Klang se conheceram há dez anos, Anders já estava morando em Stengården em Österlen, Suécia e há três anos Kristina se mudou. Desde então, eles reformaram e consertaram o quintal juntos. Eles fizeram de tudo, desde trocar o telhado, construir uma estufa e um terraço até a construção de um estúdio onde Kristina pode pintar. Para Kristina, que morava em uma casa de rua no meio do centro de Lund, a mudança foi fantástica.

Kristina, que freqüenta a escola de arte de Sara – a academia sueca de arte realista – em Simrishamn, agora tem planos de desenvolver seus negócios com cursos de arte no quintal. Ela planeja oficinas onde grupos de artistas podem estudar, pintar e, em paz e tranquilidade, apreciar as vistas e a luz do local.  “Entrei em outra fase da minha vida agora que estou entrando na educação artística. É muito legal poder realizar seu sonho e continuar fazendo o que eu amo na minha idade. Nunca é tarde demais”.

No começo, este lugar parecia um pouco desolado. “De repente, você está quase sozinho, quase não há vizinhos aqui. É algo com que você precisa aprender a conviver, finalmente eu me acostumei e tudo o que preciso está a uma distância razoável daqui”. Este ambiente é importante para uma pessoa criativa que precisa de calma e inspiração.

Aqui a proprietária é forçada a usar sua criatividade porque não há outras tentações. Na cidade, existem rotas de fuga, como encontrar amigos, dar um pulo na cidade ou fazer um lanche. Aqui você tem que viver com você mesmo, não há outra saída.

Som de Weeknd – Blinding Lights

O terraço, localizado em um canto do pátio circundante, é um lugar aconchegante para se sentar durante o dia ou à noite. Kristina tem planos de construir um telhado de vidro para que possa ficar aqui mesmo quando chove. Os vasos são comprados em uma loja local e o mobiliário é de área externa aguentando bem tempos chuvosos.

 

 

Esta casa tem uma localização fantástica, com vistas completas sobre o Mar Báltico e, às vezes, até a ilha de Bornholm.

 

Na grande sala da família, também é a sala de jantar. Aqui a mesa e as cadeiras forradas em diferentes tecidos foram compradas em leilão.

 

A cozinha, perto do quintal é aconchegante e rural. A pequena ilha da cozinha oferece espaço de trabalho extra. O banco antigo foi uma pechincha em um antigo mercado de pulgas. Logo ao lado da cozinha há outra sala de jantar.

 

A segunda sala de jantar, com uma mesa que recebe mais convidados.

 

 

 

Na mesa do jardim, um arranjo de flores de verão colocadas  em um vaso antigo de cobre enferrujado.

 

 

No pátio de paralelepípedos, há também uma mesa de jantar para que você possa desfrutar do lindo roseiral.  Kristina encontrou o tampo da mesa em estado bruto, e as duas pernas em um mercado de pulgas.

 

 

A sala está equipada com um sofá e uma poltrona de modelo howard. O baú grande é perfeito para usar como mesa de centro, e fornece armazenamento extra. O quadro é de autoria da proprietária.

 

O estúdio é o lugar onde Kristina prefere ficar e pintar. Aqui existe uma calma agradável e a luz é linda. As próprias obras de Kristina estão penduradas nas paredes.

 

Um belo canto em frente á lareira. O sofá Chesterfield combina perfeitamente com as poltronas de estilo.

 

 

O estúdio de Kristina tem uma mesa no andar superior, espreguiçadeira e um banheiro menor. Anteriormente, apenas uma área sem utilidade que Kristina e Anders foram renovando.

 

Detalhes do banheiro

 

O quarto é decorado romanticamente com uma cama que ficava na casa quando Anders se mudou e foi completamente recuperada. A cama é dos EUA e estava em mogno escuro, que Kristina repintou em tons mais claros.

 

Um pátio com bancos fixos está localizado ao lado do laranjal. Faz com que toda a superfície seja um lugar perfeito para os hóspedes. Cadeiras e mesa comprados em leilão.

 

O projeto mais recente foi  a construção do laranjal. Aqui a família pode desfrutar de noites frias de outono e dias quentes de primavera, mas também durante todo o verão.

 

 

Tota Penteado !!


Há uns anos vi em uma revista a casa da designer de interiores Tota Penteado, e desde então planejava mostrar esta casa linda aqui no blog. O terreno tem 450m², sendo 350m² de área construída, e fica localizado no Jardim Petrópolis em São Paulo. Se a casa é maravilhosa? Bom, já já você vai entender meu encantamento por essa morada de ares italianos e peças cheias de história, mas que, principalmente, se resume em uma lar real e usável. Casa com cara de casa!

Há quase 6 anos resolveram realizar um sonho antigo de sair do apartamento em que moravam nos Jardins, e procurar um lugar que desse uma condição confortável de ter o seu escritório em casa. Ela foi em busca de bairros residenciais e começou a andar pela Chácara Santo Antonio, Chácara Flora e Jardim Petrópolis, foi quando se encantou por essa casa à primeira vista.

“Sempre me inspirei na Toscana quando pensava em algo para mim. Como a casa tinha uma pagada térrea, enxerguei a possibilidade de abrir todos os espaços e integrar inclusive a lateral, onde tenho meu pequeno jardim e horta. Quebrei tudo, estruturei com vigas metálicas, e substitui as paredes por portas e janelas. Todos os acabamentos são rústicos, com pisos em tijolos que lembram os de demolição, fulget na parte externa, e muitas plantas misturadas fazendo uma composição com a fachada.

Som de Kygo – Stole The Show

Rústica e Charmosa !!


Na Espanha, Astúrias, esse antigo estábulo foi transformado em uma brilhante casa de campo, graças às grandes aberturas com telhados de vidro. Construído em 1750, agora adota um estilo atemporal, com paredes de pedra, algumas das quais não foram tocadas nem pintadas.

Uma profusão de verde e um muro de pedra nos alertam, estamos nas Astúrias. Especificamente na cidade de Lledías, no que era um estábulo para cavalos e gado que estava fechado há 72 anos.

“Estava tão abandonado, que um castanheiro com galhos enormes invadiu tudo o que hoje é a sala de estar”, lembra a proprietária. Somente ela, com a ajuda do construtor Antonio Peláez, conseguiu que, em apenas seis meses de trabalho, os castanheiros centenários sejam apenas uma bela vista das janelas de ferro e vidro que ela mesma projetou e que um ferreiro local executou. “Para esta casa, eu queria um ar moderno e leve, não queria uma típica casa de campo com vigas e cores escuras, estava procurando um interior mais fresco e moderno”, explica.

As vigas de castanheiro no térreo também são originais, foram preservadas por sua estética, pois as que realmente sustentam a laje no piso superior são as colunas e vigas de ferro. “O piso térreo também é um piso de castanheiro não tratado e polido”, explica a proprietária. As grandes janelas enchem a sala de jantar com luz e verde o tempo todo, combinando vime e cadeiras de madeira.

No corredor, foi feito um gabinete de ferro personalizado que permite a entrada de luz e dá um ar chique com efeito de estufa a toda a casa. Foi projetada uma escada caiada de branco com uma grade de ferro. A lareira de cimento também é design da proprietária.

O piso superior era o palheiro. As paredes foram deixadas sem tratamento. Pintadas de branco, são um cartão postal rústico. “No banheiro, eu decidi colocar a pia no meio, porque me pareceu muito melhor, era assim que as mesas de cabeceira costumavam ser”, explica a dona. O piso é de cimento pintado com tinta de barco e o teto bem isolado tem vigas de carvalho. As paredes são de pedra pintada diretamente, sem estuque ou outro tratamento qualquer.

Som de Years & Years – king

Um Paraíso em Seattle !!


Escondida na beira de uma encosta densamente arborizada na Ilha Whidbey, uma ilha pitoresca a uma hora de carro ao norte de Seattle, no Noroeste do Pacífico, lugar de uma mistura de artistas, artesãos, agricultores e capitães do mar, a Whidbey Farm foi concebida como um refúgio natural para uma família multigeracional. Com vista para fazendas pastorais, um lago de pesca e um celeiro da virada do século, o arquiteto aproveitou sua localização cênica para mergulhar a casa na paisagem de uma maneira discreta que “honra tanto a atemporalidade da floresta quanto herança agrícola do local ”. Uma paleta de materiais locais, duráveis ​​e acabamentos naturais, combinados com a frase modernista do menos é mais, imbui sutilmente a casa com uma estética rústica que, no entanto, parece contemporânea.

A pedido do proprietário, foi tomado muito cuidado para preservar os grandes abetos no local, de modo que a casa deslizasse entre eles, ao envolver uma modesta clareira na borda da floresta. Definida livremente por um muro de pedra baixo de origem local, a clareira foi sutilmente transformada em um pátio natural cheio de arbustos e samambaias nativos e permeado por caminhos . Construída em torno do pátio, a casa consiste em dois volumes retilíneos de tamanho modesto que separam as áreas de estar dos aposentos privados e um terceiro volume que funciona como uma casa de hóspedes. Canalizando o minimalismo discreto da Glass House de Philip Johnson e a intimidade com a natureza de Frank Lloyd Wright, na casa Fallingwater, os volumes de cedro vermelho e de vidro combinam-se harmoniosamente com o terreno natural, trazendo a beleza da paisagem para dentro.

Centralizada em duas ilhas de cozinha, a área de estar e jantar em plano aberto se abre perfeitamente para um terraço com deck. A suavidade natural do teto de cedro vermelho, armários personalizados de teca e aletas de janela de carvalho é justaposta à lareira de pedra robusta e bancadas em granito preto texturizado, enquanto o piso de concreto liso preenche o natural e o artificial. A paleta de materiais reflete a beleza natural dos arredores, que a família pode desfrutar através dos vidros do chão ao teto, que oferecem vistas deslumbrantes da floresta e das terras agrícolas. Não podemos deixar de imaginar a felicidade relaxante de cozinhar uma refeição em família em meio a pinheiros balançando ao vento e o gado pastando no prado abaixo.

Uma paleta semelhante de madeiras suaves, piso de concreto quente e texturas de gesso é usada nas áreas privativas da casa. Apesar da decoração minimalista, a casa foi projetada com a família em mente, com várias portas e arte nas paredes esculpidas pelo patriarca da família décadas atrás, quando jovem médico, preenchendo seu tempo entre os pacientes. As peças instilam uma conexão significativa entre o passado e o presente da família, além de encapsular seu relacionamento duradouro com o local.

De todas as diferentes visões que a casa oferece, talvez a mais imersiva seja a da pequena fogueira escondida na encosta logo abaixo do prédio, na beira do prado. Pegar o pôr do sol sobre a propriedade enquanto você se senta ao redor da lareira com um copo de vinho pode ser a experiência mais relaxante que podemos imaginar em tempos difíceis de pandemia.

Som deliciosamente triste de Michael Kiwanuka – Cold Little Heart.

*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*

Charmoso em Madri !!!


“A primeira vez que vimos este apartamento, ficou claro que era exatamente o que estávamos procurando, um espaço grande, brilhante e antigo, mesmo estando completamente pintado de vermelho escuro.” Kenneth Lopez e Mario Anton, especialista em publicidade digital e artista, respectivamente, são os novos moradores deste imóvel em Madri, localizado no bairro Palacio. A Europa conta com muitos imóveis realmente lindos, com as características originais praticamente intactas, e esse em especial, está com sua estrutura interna preservada. A construção é do início do século XIX.

“No edifício todo, a nossa é a única casa que tem o piso preservado, assim como a distribuição original dos quartos”, contam eles. Com os seus 190 m2 , varandas voltadas para a rua e pé direito com mais de três metros, o apartamento tem aquela disposição um tanto palaciana de espaços intercomunicados. “Evoca o passado, tempo em que havia um ambiente para cada atividade, ler, costurar, dormir e receber.

Os proprietários tentaram manter esse espírito, e todos os espaços têm um papel de destaque. Eles realmente conseguiram, porque todos os espaços são utilizados. Com a sensação de estar diante de um tesouro histórico, as mudanças que empreenderam foram mínimas. “Sabíamos que apenas pintar as paredes de branco bastaria para destacar o piso de ladrilhos e todos os objetos que pensávamos acomodar”, recordam. Além da cor, a intervenção limitou-se a reformar os dois banheiros e instalar uma cozinha moderna ao lado do antigo fogão a carvão.

“Era o único que existia e não hesitamos em mantê-lo”, diz Kenneth. Mantiveram também a pia de mármore antiga na lavanderia, que é usada como cantinho para jardinagem, um dos  hobbies do casal. As portas e janelas não foram repintadas, e tem esse branco amarelado, resultado da ação da luz e da passagem do tempo. “Demos prioridade à história sobre a praticidade. No começo, pensamos em expandir a sala, mas rapidamente decidimos não tocar em nada. Agora estamos felizes”, dizem eles.

Na hora de definir a decoração, eles se inclinaram para um estilo francês do século XIX, no qual há espaço para peças icônicas dos anos 1960 e 1970 e obras de arte de amigos e artistas emergentes. “Nos sentimos como nos séculos XVIII e XIX, quando as pessoas começaram a viajar e colecionar, com aquele fascínio por curiosidades e objetos exóticos. “Quando compramos o apartamento, procuramos coisas alinhadas com os espaços, e com a mesma importância. O apartamento é lindo!!!

Som do filme O Piano de Michael Nyman

 

Um Loft na Polônia !!


Muitas vezes, a decoração de interiores pode indicar um país de origem, mas, neste caso, a aparência é enganosa. Olhando as fotos desse loft moderno e muito charmoso, logo pensei que era um dos muitos imóveis industriais chiques do Brooklyn ou de outros distritos de Nova York, tetos altos, enormes janelas pretas, espaços abertos e dormentes de ferro aparentes. Mas não, este é um novo projeto da Shoko Design e está localizado na Polônia. Os interiores são realmente impressionantes, espaços enormes, design elegante, grandes árvores em vasos, e um resultado deslumbrante.

O apelo desta habitação, em que os tons frios do estilo industrial encontram os tons quentes da madeira, reside principalmente na sua diversidade. Vários materiais, formas imaginativas, cores naturais, plantas e acessórios originais. Tudo aqui tem uma ordem clara e, no entanto, o todo parece agradavelmente aleatório e caótico. O interior está longe de ser estático ou chato. Em toda a sua naturalidade, segue a liberdade da natureza por trás de uma grande área envidraçada.

Os raios do sol passam para a sala de estar através de janelas gigantes, que, juntamente com outros elementos, lembram o interesse dos proprietários pelo estilo industrial. A vida aqui, não é apenas incrivelmente espaçosa, mas também agradavelmente luminosa. Isso também é possível pela grande quantidade de materiais naturais utilizados, que aquecem e transformam o todo. A natureza também é representada aqui por várias plantas distribuídas pelos espaços. Graças a elas e à predominância de elementos naturais, este interior nos dá uma impressão de frescor e aconchego.

A combinação de dois estilos aparentemente diferentes adiciona personalidade a esta casa. A cor preta do metal frio combina perfeitamente com os tons quentes da madeira, as vigas aparentes e as paredes de tijolos atraem a atenção. A alternância de materiais e estilos dos quais são feitas as cadeiras na mesa de jantar em madeira sólida é fresca e divertida.

Ao olhar para este loft criado pelo estúdio de design Shoko, percebo não apenas um engenhoso quebra-cabeça de estilos, mas também peças individuais que graças à sua originalidade, vêm à tona. Isto é especialmente percebido na mesa de centro atípica na sala de estar, cadeiras modernas, portas de cozinha, várias luminárias, pinturas distintas ou tecidos interessantes. O espaço da TV ou da ilha da cozinha certamente merecem atenção. Como um todo, um banheiro de tirar o fôlego com um belo mosaico ou um quarto com uma cama luxuosa e aconchegante certamente me chamaram a atenção.

Som de Simple Minds – Don’t You (Forguet About Me)

 

Uma Casa Fazenda Na Catalunha !!


Esta casa, uma antiga fazenda espanhola, dobrou seu espaço de estar graças a um anexo recém-construído, que combina perfeitamente com o estilo do edifício. Os proprietários confiaram o design de interiores à decoradora e estilista Gabriela Conde, para passarem as férias de verão e fins de semana com a família. O projeto de extensão foi confiado ao arquiteto da BCA Arquitectes, Albert Blanc, que criou um espaço aberto e envidraçado onde foi colocada a sala, mantendo os quartos na parte mais antiga.

A história desta casa começa há alguns anos atrás, quando seus atuais proprietários compraram uma pequena fazenda em uma pequena cidade em Empordà, na Catalunha. Eles a renovaram e a decoradora fez uma reforma para adaptá-la às necessidades de um segunda residência.

Com a reforma, a fazenda original viu seu espaço dobrar com a construção de um edifício anexo, que foi usado para a grande área do dia. O projeto de expansão foi encomendado a um escritório de arquitetura que procurou integrar um edifício volumétrico mais moderno, com espaço aberto compartilhado e paredes de vidro, com a construção original, reservada para os quartos.

Para fazer os dois edifícios parecerem esteticamente como se fossem apenas um, os proprietários voltaram-se para Gabriela, que optou por unificar materiais. Pisos de microcimento, que dão continuidade a todos os espaços da casa, paredes de pedra, algumas mais novas que outras, madeira e unidade cromática. Como esta casa é para ser apreciada durante todo o ano, o decorador procurou uma combinação de cores que não fosse muito escura, que pudesse ser aconchegante no inverno, mas também fresca no verão: “Eu brinquei basicamente com três cores, todas muito naturais, o camelo, que unifica paredes e tetos na área diurna, diferentes tons de verde, na carpintaria da cozinha, e nos quartos uma cor de azulejo”.

A cozinha, apesar de totalmente nova, lembra as de nossas avós, com o balcão e a grande pia de mármore, a mesa de trabalho recuperada, que dá um toque rústico, ou os móveis com molduras que combinam armários com prateleiras. “Fico horrorizado com as cozinhas modernas, onde tudo é integrado, com uma aparência de laboratório. Para mim, é preciso viver uma cozinha, com panelas à vista”, explica o decorador. A cozinha é uma mistura tão pessoal quanto original. Com uma estética tradicional, a concepção do espaço não poderia ser mais moderna: é fechada em uma caixa que não alcança o teto para não fragmentar um espaço tão aberto. E, para conectar os diferentes ambientes, uma estrutura envidraçada que integra as portas.

No quarto das crianças, a pedra exposta das paredes nos lembra que estamos na fazenda original. Uma estrutura em forma de caixa de madeira define a área de descanso enquanto integra as três camas. O espaço ao pé da cama foi usado com um guarda-roupa completo, projetado com a mesma madeira do beliche. E, para torná-lo mais leve, decidiu-se fechá-lo com cortinas de linho, que também dão um toque country ao espaço.

É difícil visualizá-lo, mas, como Gabriela nos lembra, o espaço ocupado pela suíte era a antiga sala de estar, enquanto o banheiro atual era a cozinha. O decorador usou o verde que tínhamos visto na cozinha no quarto. Um verde que dá cor aos armários, com frentes de espelho. Além da cama de dossel, que veste e preenche um espaço generoso em metros, o decorador optou por um papel de parede que dá um calor extra ao espaço. “Me apaixonei por esse papel de parede listrado, que simula um acabamento têxtil”.

Um banheiro sem espelho? É o que pode parecer à primeira vista. Mas o decorador nos surpreende com uma solução tão engenhosa quanto eficaz, os espelhos estão do lado oposto das janelas. Basta fechá-los para desfrutar de um espelho, sem dúvida, único.

Som de Art Garfunkel – A Heart In New York

 

Villa Na Úmbria !!!!


Esta villa, na Úmbria, região italiana vizinha da Toscana, é um ótimo exemplo de tradição clássica aliada ao conforto das casas modernas. O designer cuidadosamente preservou e restaurou os tetos abobadados, o piso de parquet e a alvenaria. Mas esta casa me chamou a atenção por várias soluções maravilhosas. Por exemplo, um fogão a lenha na cozinha, ideal para a culinária italiana, onde muitos pratos são feitos no fogo. Também gostei muito do quarto com beliches, uma solução que raramente parece elegante, mas tudo deu certo por aqui. Preste atenção ao luxuoso chuveiro de mármore e banheira de pés no quarto. E detalhes como um suporte para guarda-chuvas adaptado de um barril ou uma composição de castiçais de madeira tornam o interior não apenas bonito, mas também criativo. E isso sem mencionar as lindas paisagens que se abrem das grandes janelas.

Som maravilhoso e emocionante de U2 – Àndra Tutto Bene

Calma e Tranquilidade em Paris !!!!!


Olhando para o interior deste apartamento em Paris, somos imediatamente imbuídos de calma e tranquilidade. Tudo graças aos tons de terra, areia e vegetação. A Designer deliberadamente não sobrecarregou o espaço com pequenos detalhes, de modo que toda a atenção fica concentrada nos belos transbordamentos de tecidos e cores, bem como na geometria pensada de móveis e decoração. As grandes janelas francesas deixam entrar o máximo de luz, portanto, em um dia ensolarado, todo um espetáculo de sombras e destaques se desenrola aqui. Os proprietários, além disso, tiveram muita sorte de ter um pátio aconchegante, escondido de olhares indiscretos. Esta obra foi da designer e cenógrafa Emilie Bonaventure.

O apartamento ocupa o que antes eram os estábulos de um hotel, e está distribuído por vários níveis, num total de 180 metros quadrados, com dois quartos e três banheiros, dois dos quais com suíte. O terceiro é independente e “pode ​​ser usado de maneira mais prática pelos hóspedes ou para o banho depois de fazer ioga ou meditação no jardim”, diz Emilie, dando a ideia do contexto de exclusividade no qual ela criou seu novo projeto.

A proprietária, uma francesa, usa esta casa para estadias temporárias na capital e escolheu a designer porque ela morava no mesmo bairro: “uma área que eu realmente gosto, então ela achou que eu seria a intérprete certa para o ambiente doméstico ”, diz Bonaventure.

Aqui, ela realizou um trabalho de pesquisa mais concentrado em materiais e móveis. A inspiração é a Grécia antiga e Roma, com as vibrações de branco e pedra que enchem os quartos com um estilo refinado e acabamentos sempre naturais, sofisticados o suficiente para não parecerem falsos.

“Reuni diferentes peças de autores franceses e belgas que, com certeza se tornarão importantes ao longo do tempo”. Feito com belos materiais relacionados ao mundo clássico – mármore, alabastro, juntamente com os dois tipos diferentes de mármore travertino em alguns banheiros,  eles deram uma espécie de pátina para a casa, que parece ter sido usada e não nova em folha. “Estou feliz com isso, é uma confirmação da maneira como gosto de projetar. Por exemplo, o piso de madeira do período entre os séculos 18 e 19 foi encontrado no norte da Bélgica,” diz ela. Há também os móveis originais dos anos 60 e 70, que compõem o coração do trabalho de Bonaventure, a parte que mais lhe interessa, que é precisamente a seleção do melhor design que ela encontra. “Peças de qualidade sem nenhuma ostentação, você tem que brilhar sem mostrar seu esplendor”.

Som de Dimitri & Vegas – Stay a While