Brunello Cucinelli


Som de Justin Timberlake – Can’t Stop The Feeling

 

“A beleza salvará o mundo”. Esta citação do escritor russo Fiódor Dostoiévski aparece na primeira página do site da Brunello Cucinelli, a mais importante companhia de moda italiana especializada em cashmere. Logo em seguida, há uma imagem do fundador homônimo com a frase “O grande sonho da minha vida sempre foi trabalhar para a dignidade moral e econômica do ser humano”. Eis, em poucas palavras, a filosofia na base da empresa.

Embora menos conhecida do que impérios da moda  italiana como Prada e Gucci, a Brunello Cucinelli é mais um ícone da alta moda, que fatura 450 milhões de euros e cresce 10% ao ano. A companhia vale 1,5 bilhão de euros na bolsa, e seu fundador tem 67% do negócio. No total, são 122 boutiques espalhadas pelas mais badaladas avenidas da moda do mundo (no Brasil, está no Shopping Cidade Jardim, em São Paulo). O carro-chefe são seus delicados pulôveres de cashmere, produzidos à mão e vendidos por milhares de euros por peça. Mas a empresa é também reconhecida por uma gestão única dos funcionários e da cidadezinha onde está instalada.

Desde que fundou a empresa em 1978, na pequena e pitoresca vila medieval de Solomeo, localizada entre as colinas da Umbria (200 quilômetros ao norte de Roma), Brunello Cucinelli procurou combinar a produção de alta moda com sua visão humanista, sua paixão pela arte e pela filosofia. As regras são claras: fim do expediente às 17:30 para todos, sem marcar ponto na entrada, nada de horas extras e e-mails e telefonemas proibidos fora do horário de trabalho. Quase uma heresia na era dos workaholics. Mais: os funcionários são pagos 20% a mais do que a média salarial do setor. A estrutura da empresa foi realizada com materiais sustentáveis, onde até a cantina foi projetada como se fosse um restaurante típico italiano. Os funcionários dali se vestem com camisas da empresa, produzidas pela casa, que podem comprar com enormes descontos. No preço de varejo, uma camiseta básica pode custar 300 euros, uma bermuda 700, um pulôver 1.000. “Somente quem está rodeado pela beleza consegue ser criativo”, diz Cucinelli.

Cucinelli se tornou um dos estilistas e empresários mais amados da Itália, também por sua paixão pelo território onde nasceu e fundou sua empresa. Nos últimos 30 anos, ele “adotou” a vila de Solomeo, criando uma fundação que adquiriu, e reformou todos os palácios históricos da vila medieval, trazendo-os de volta a seu antigo esplendor. Começando pelo castelo do século 12, que transformou metade em boutique e metade em museu.

Cucinelli bancou de seu próprio bolso também a reforma das estradas, da iluminação pública e até das casas de outros proprietários. O objetivo era deixar a vila mais bonita. E por isso também adquiriu todos os galpões industriais abandonados que deturpavam a paisagem e derrubou-os. Chegou a construir um pequeno teatro em estilo renascentista, desenhado por ele próprio e com bustos de mármore de pensadores e escritores clássicos. Hoje, Solomeo se tornou uma pequena joia arquitetônica no centro da Itália. “Meu objetivo era deixar um legado para esse lugar, pois sempre acreditei que temos que valorizar nossa terra, não estragá-la”.

Cucinelli decidiu investir em cashmeres quando tinha 22 anos. Sua família é do campo, da Campagna. Quando era adolescente, seu pai o levou junto aos seus 13 irmãos para a cidade, onde passou a trabalhar numa fábrica de concreto. “Todos os dias meu pai voltava para casa humilhado, sendo ofendido e maltratado constantemente por seus superiores ou colegas. Foi aí que jurei que qualquer coisa que eu fizesse na vida, faria para dar dignidade às pessoas”, explica Cucinelli. “O imperador romano Adriano sempre dizia: eu nunca conheci alguém que depois de um elogio não se sentisse melhor”.

O empresário é otimista com o momento atual da moda. Para ele, os jovens, que até há pouco tempo não usavam nada além de calças jeans, descobriram o prazer de ter um armário elegante. “Ternos clássicos mas descolados, sem o rigor e a rigidez desconfortável da época dos nossos pais, também estão ganhando força”. Ao mesmo tempo, diz Cucinelli, estão redescobrindo o valor da qualidade das roupas. “Comprar menos e desperdiçar menos, mas comprar algo de qualidade. São esses os produtos que eu quero oferecer”.

A nova coleção da Brunello Cucinelli traz uma boa variedade de peças masculinas para o dia a dia sem exageros ou itens exóticos, são malhas, casacos longos, ternos slim fit, camisas e calças cargo flat que permitem um bom intercâmbio e sobreposições ousadas e modernas. As cores misturam a neutralidade do marinho e do cinza aos marrons quentes e toques de laranja para criar pontos de interesse no look. Os beges vem para equilibrar e ajudar nos combos diurnos. Os padrões de xadrez europeu clássico como o Príncipe de Gales e o Argyle  estampam algumas peças, mas o destaque vai para a riqueza de texturas vinda de tecidos pesados de lã ou do veludo cotelê.

Cucinelli chamou a sua coleção de outono The Art of Blend, e não é de surpreender. “Hoje há o desejo de uma vida bem equilibrada. O consumo está se tornando mais ético”, ele disse durante a apresentação da coleção em seu showroom. “Os homens realmente não se importam em mudar seu guarda-roupa em cada temporada; Basicamente, eles não gostam de jogar fora coisas velhas. É por isso que misturar o velho com o novo tornou-se uma nova linguagem de moda”.

O estilo de Cucinelli não se desvia de algumas regras já testadas, e ao longo dos anos, manteve-se fiel à sua elegancia, que juntamente com um bem arrumado, mas descontraído senso de estilo, está no cerne de sua visão. “Em moda masculina, pequenos detalhes fazem toda a diferença”, disse o designer. “E com a jaqueta certa, um homem pode facilmente ficar elegante.” Daí a ênfase de Cucinelli em seus blazers, com um ajuste mais clean. Combinados com calças soltas, e bem cortadas, eles fizeram um novo modelo de terno Cucinelli. Menos formais, se usados com camisas jeans, gola alta, polos, ou mesmo simples t-shirts de algodão, ou combinados com intermináveis ​​interpretações individuais seguindo o capricho de seu dono. Vamos ver a coleção?????

Precisa de ajuda? Quer organizar o seu guarda roupa? Duvidas para combinar peças que já tem? Entre em contato pelo blog, ou pelo E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Versalhes em Berlim !!!!!


Thomas Rook é um estilista e designer de interiores, natural de Munique, mas filho adotivo da cidade de Berlim há aproximadamente 10 anos. Ele decidiu construir o seu próprio lar na capital onde menos é mais, quebrando todos os esquemas de estética  desta cidade.

A reforma deste apartamento original de 1901, o típico “cortiço”, é deslumbrante, nele tinha morado uma velha senhora que acabou falecendo, e por acaso, Thomas comprou este apartamento transformando-o em um lugar de luxo.

” Encontro a minha inspiração nos antigos palácios, minhas raízes estão no sul da Alemanha, e sempre admirei tradições e artesanato local, que assim como a história cultural são uma fonte de inspiração para mim”. Beirais, portas, e até os antigos aquecedores cobertos de azulejos ainda estão lá, para contar a história da cidade e do edifício. O charme original é mantido com suas características de estilo e seus máximo detalhes. Thomas quis recuperar a alma deste espaço combinando-o com o estilo cosmopolita de Berlim.

O maravilhoso papel de parede é do designer sueco Sandberg, os azulejos da cozinha foram escolhidos de um artesão de Berlin, bustos e obras foram resgatados de lojas de antiguidades, um sofá antigo de seus avós foi forrado novamente. Os quadros são de Harald Erath, seu parceiro atual,(não gostei nada, principalmente do redondo na cabeceira da cama), e o banheiro tem um estilo romano adorável.

Ao fazer uma turnê pelo apartamento podemos ver o piso com inspiração no palácio de Versalhes. “A minha casa reflete a minha fixação pelos estilos e cores que eu admiro ,” diz Thomas.

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Halcyon House


Som de The Weeknd – I Feel It Coming

Os dias mais tranquilos e despreocupados do verão australiano são desfrutados no Boutique Hotel – Halcyon House, a propriedade praiana mais exclusiva da Austrália. O antigo hotel de surf transformou-se em hotel de luxo, e está situado em um dos melhores locais de surf do país e em uma das cidades mais idílicas à beira-mar – Cabarita Beach, Norte de Nova Gales do Sul. A área tem uma história rica e animada. A cidade cresceu a partir de uma existência predominantemente agrícola, com a agricultura de cana-de-açúcar e madeira. Ficou conhecida pela sua beleza e atrações turísticas, aproximadamente na década de 1950. Atrações como esqui aquático no lago Bogangar e até mesmo um barco com fundo de vidro no antigo Cabarita Pub. O que não muda é a beleza natural e os prazeres simples e atemporais que tornam Cabarita um lugar único.

A história de Halcyon House começou em 2011 com a compra do hotel ‘Hideaway’ pelas irmãs nascidas em Brisbane, Siobhan, e Elisha Bickle com seus maridos Adam Flaskas e Dave Wadley. Os dois casais compraram a propriedade com a intenção de criar um refúgio para abrigar suas famílias nos feriados. Não demorou muito para as irmãs decidirem alterar seus planos de férias e permitir que outros compartilhassem a experiência de seu tesouro à beira-mar. Este foi o primeiro empreendimento hoteleiro dos dois casais que lideraram o altamente bem-sucedido mercado de albergues para mochileiros e o Victoria Park na cidade de Brisbane.

Halcyon House sofreu extensas reformas sob o comando da renomada arquiteta Virginia Kerridge e da designer de interiores Anna Spiro. Vinte e um quartos individualmente concebidos e duas suítes foram criados com um sentido definitivo de nostalgia à beira-mar, perfeito para criar memórias. O hotel é agora liderado pelo revolucionário italiano  Mauro De Riso. Nascido em uma família que administra e possui hotéis de luxo, sua paixão, charme e experiência em hotéis de 5 estrelas é transmitida a toda a equipe Halcyon.

Paper Daisy, o restaurante e bar, teve o seu nome escolhido pelas flores silvestres que florescem no promontório de Norrie, nas proximidades. O Chef Ben Devlin, comanda a cozinha costeira australiana, com ênfase em produtos orgânicos locais que são cultivados no jardim perto da cozinha, ou provenientes de fazendas próximas.

Com um aclamado design, aliado ao serviço de profissionais e a deliciosa comida e bebida, este lugar oferece o cenário ideal para fins de semana, celebrações, reuniões corporativas e casamentos memoráveis ​​e românticos. Halcyon House define um tipo diferente de férias na praia, proporcionando uma experiência de luxo simples refletindo os verões australianos de antigamente.


Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Cottage Home !!!!


Muito embora seja agradável e charmoso uma certa dose de rusticidade em casas de madeira, elas agora podem ser também deslumbrantes, modernas e coloridas no seu interior, sem no entanto perder as suas características tradicionais de casa de lenhador. Até mesmo o exterior, pode ser claro e contemporâneo sem desmerecimento da arquitetura.

A casa deste post, tem uma cozinha bastante espaçosa, organizada e contendo apenas os aparelhos estritamente necessários. O principal destaque é o fogão moderno que é a peça central deste espaço. Sua superfície de prata brilhante contrasta com a combinação de teto e paredes brancas, a mesa clara e os armários em tom de verde oliva bem escuro. Na verdade, todo o espaço tem uma beleza única graças a estes contrastes.

Os espaços de estar e jantar são bem iluminados, com janelas elaboradas que maximizam o efeito da luz natural. As cores claras nas paredes e teto estão em perfeita harmonia com o piso de madeira, tapete marrom grosso, e os móveis muito confortáveis. Os sofás e poltronas são forrados com tecidos de cores claras em diversas texturas.

A decoração obedece ao mesmo esquema de cores em toda a casa. Os banheiros, quartos e corredores são coloridos, bem espaçosos e decorados apenas com e essencial, aqui não há espaço para frescuras. Entrando nesta casa você jamais diria que está em uma cabana de madeira, a reforma foi absolutamente maravilhosa. Foram quatro meses de reformas contínuas, muito planejamento, algumas despesas extras e muitos detalhes que transformaram esta antiga casa de montanha neste charmoso e aconchegante lar.

Cadeiras clássicas adirondack tornam este alpendre o lugar perfeito para sentar e apreciar a paisagem.

 

Os pequenos detalhes fazem a diferença, como o sino minúsculo e os ganchos de ferro e louça em estilo vintage.

 

Foto da cozinha antes !!!!!

 

A casa foi reformada, mas eu gostei dela ter mantido os tetos de madeira escura original, mas pintando-os de branco. O azulejo colocado do piso ao teto faz com que as paredes pareçam muito mais altas.

 

Os toques de madeira rústica destacam-se nesta casa em tons neutros.

 

Detalhes!!!!

 

 

Sala de visitas antes

 

Um plano aberto deste piso, com a sala de estar e de jantar.

 

 

Sala de visitas com a lareira antes.

 

Os tetos e paredes foram todos pintados de branco, mas as guarnições das janelas foram mantidas em sua madeira natural e original, o contraste ficou lindo!!!!

 

 

Quarto do casal antes.

 

 

Todos os quartos são numerados!!!! Outro ponto de contraste, a porta preta com os tons de madeira – ideias !!!!!

 

Banheiro antes.

 

Uma velha banheira e tubulações de latão parecem que sempre estiveram aqui.

 

 

 

Quarto antes.

 

Pequenos e estudados detalhes. A mesinha de cabeceira é um banco antigo.

 

 

Quarto antes.

 

 

 

Banheiro antes.

 

Quarto das crianças antes.

 

 

Antes

 

Antes

 

Porta de correr preta que dá para a lavanderia.

 

Lavanderia antes.

 

Maquina de lavar e de secar ficam escondidas pelas duas portas pretas!!!!

 

 

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Misturando Estilos!!!!


Som de Lisa Stansfield – Never Gonna Fall

Só podia ser o lar de uma editora-chefe, esta casa tem bastante personalidade e praticidade sem no entanto perder o romantismo e aconchego de uma casa de família. Foi exatamente o que a editora-chefe da Sunset Magazine, Irene Edwards, conseguiu nesta reforma e decoração. Mesmo demorando dois anos para aprovar o projeto final desta casa, ela definitivamente fez um trabalho incrível. Irene adora misturar estilos, o que é visto em toda a sua casa. Ela incluiu vários estilos, incluindo luminárias modernas, toques de preto brilhante e guarnições pretas nos tetos, bem como fotografias surpreendentes em diferentes áreas.

Outra coisa a notar é a mistura do tema rústico nesta casa do século 19 com toques modernos. Várias janelas foram acrescentadas por toda a casa para permitir que a luz natural seja aproveitada ao máximo. Ela também  gosta de plantas e flores que não apenas decoram os ambientes mas dão uma fragrância calmante a esta residência.

A decoração é clara, com alguns tons negros, e piso de madeira, que dá um ar de rusticidade aos ambientes. Ela é uma amante do luxo, como podemos notar por alguns acessórios em ouro nas diferentes áreas, incluindo os trilhos das cortinas, torneiras do banheiro, uma luminária de mesa, bem como um lustre completamente fora do normal. Esta casa define conforto e luxo que são misturados em um cenário antigo.

Irene comprou esta casa em estilo vitoriano com mais de um século na área da baía e enfrentou alguns desafios durante a reforma, como fiação elétrica, encanamento original e tantas outras coisas. O produto acabado é a prova positiva de que ter um designer ao seu lado pode ajudar muito.Esta casa foi concluída em pouco mais de um ano. Irene trabalhou com a designer de interiores Lynn K. Leonidas para dar vida ás suas ideias sonhadas, e o resultado é impressionante.

Nesta casa, Irene exemplifica como os detalhes de design fazem toda a diferença. Adoro as guarnições pretas por todo o teto, na maioria dos ambientes. Luminárias modernas e fotografias espalhadas fazem com que esta casa imponente do século 19 seja totalmente atual. O velho mundo e o mundo moderno se misturam por todos os cantos. Na sala de jantar, uma mesa de fazenda clássica é ladeada por duas cadeiras vintage e outras mais modernas brancas. As cortinas do chão ao teto acrescentam um toque tradicional que justapõe lindamente com a fotografia moderna e a luminária de teto.

Embora seja quase impossível escolher um espaço favorito nesta casa, a “piéce de résistance” é a linda cozinha. Dramáticos tetos de altura vertiginosa dão espaço para armazenamento da grande coleção de livros de receitas. Há uma bela mistura de acabamentos e texturas na cozinha, incluindo os maravilhosos azulejos de parede, estantes com olhar industrial desenhadas pela proprietária, com tubos e placas de pinho, bancadas de mármore e luminárias de latão. A cozinha assume um pouco a sensação de local do artesão, mas em perfeita harmonia com a vibração do resto da casa.

O amor pelas texturas e padronagens estende-se através dos quartos na parte de cima da casa. Irene fez uma escolha ousada no quarto principal, com papel de parede em motivo toile de jouy por toda parte. Eu não gosto muito desta padronagem, ainda mais em preto, mas o ambiente foi equilibrado com uma cama clássica, como uma cadeira de meados do século, mesa lateral em acrílico e luminária de chão bem moderna. O quarto tem ainda uma espreguiçadeira para torná-lo mais funcional.

Acho que esta casa presta uma bela homenagem aos detalhes históricos e clássicos de uma era vitoriana ao mesmo tempo em que é completamente funcional para a vida familiar de hoje, é também visualmente deslumbrante.

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

A Casa de Calvin Klein!!!


A casa do fashion designer Calvin Klein em Miami me lembra muito as suas coleções de roupa, linhas suaves e puras, sem nenhum exagero e muitos materiais naturais. Escondida no meio de uma floresta densa de vegetação tropical, tem muita madeira, muitos tecidos em algodão branco, poucos móveis, enfim um convite ao descanso e relaxamento para quem vive o estresse diário do mundo da moda.

A habitação em estilo colonial, foi construída em 1929 e adquirida por Calvin Klein em 1999 para se tornar o seu retiro privado. Com cerca de 500 metros quadrados e cinco quartos com banheiros, grande parte do mobiliário e antiguidades foram escolhidos pelo designer Axel Vervoordt.

Esta bela propriedade me agrada por várias razões: O pátio maravilhoso e a sua planta em que todos os quartos são voltados para o exterior, criando uma atmosfera relaxante e aconchegante.  No interior, o branco é a cor dominante, mesmo nas vigas de madeira, que são pintadas em tons de areia. Os espaços foram todos abertos e com ares diáfanos, inclusive a área entre o banheiro e o quarto principal.

Nos pisos, a combinação de madeira crua de demolição, com os mesmos tons das mesas e bancos de madeira que carregam história, e um concreto liso, oferece uma sensação de lugar sem artifícios ou frescuras. Claro, há toques contemporâneos, tais como portas de ferro e janelas, boas soluções para uma atmosfera clara, onde a luz natural entra por todos os cantos. Sejam bem vindos e uma boa Páscoa para todos!!!!!!!

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Com Que Calça Eu Vou ???


O guarda-roupa do homem sábio é construído de uma forma bem simples, camiseta para a praia (ou fim de semana), um par de Oxfords para o trabalho (ou eventos sociais) e o blazer para praticamente todas as ocasiões.

Apesar da moda masculina estar cada vez mais perdendo as clássicas características de um antigo dândi (a geração mais nova nem vai saber o que esta palavra significa), ainda permanecem alguns itens clássicos que nunca vão perder a sua influência. O blazer é um deles. É a peça que você usa para se vestir para uma entrevista de emprego, ou para qualquer outra situação da sua vida em que queira impressionar, ou estar mais alinhado. Styling nem sempre é uma coisa simples e fácil, na verdade grande parte dos homens ainda perde muito tempo na escolha certa para combinar o seu blazer com um par de calças. Por isso mesmo escolhi algumas das melhores combinações separadas para que vocês levem menos tempo para decidir o que vestir.

Som de lori Carson – I Saw The Light

Blazer Navy + Chinos Beges

Um clássico indiscutível. Se essa combinação de duas cores essenciais no guarda roupa masculino não lhe der uma aparência elegante, dificilmente outra combinação o fará. Honre a pegada de tradicionais uniformes de estudantes ingleses com um blazer estruturado que seja realmente azul marinho, e nenhum outro tom, e deixe a ocasião ditar sua escolha dos chinos para mais ou menos sofisticados.

Blazer Desestruturado + Jeans

Você quer a silhueta das linhas de um blazer, mas o conforto de um cardigan? Eliminada a estrutura interna de um blazer regular, (forro e enchimentos), este estilo não estruturado é mais leve, mais moderno e não  tem o corte tão ajustado ao seu corpo, tornando-o ideal para aqueles que acham o paletó tradicional, quase uma camisa de forças.

Pelo caimento deste casaco sem estrutura interna, mantenha o resto do seu visual consistente com um par de jeans escuros ou chinos ao invés de uma calça mais formal.

Blazer Xadrez + Calça Neutra

Tudo bem, se você acha o blazer tradicional e de uma cor lisa muito antiquado ou careta, sempre tem a opção de escolher uma boa estampa para acabar com a monotonia. Não precisa ser uma coisa exagerada, um sutil Príncipe de Gales ou para os mais arrojados um xadrez grande em cores básicas, vai dar um destaque á sua roupa e você não será mais um entre tantos outros. Neste caso é melhor manter as calças em cores lisas, afinal chamar a atenção é bom, mas nunca de uma forma errada. A mesma regra pode ser aplicada para um blazer liso com calças em xadrez.

Blazer de Tweed/Lã + Jeans

Para dias mais frios, o blazer de lã ou tweed é o ideal, e mais uma vez deverá ser usado com calças de cor lisa, que podem ser de lã, jeans ou chinos, conforme a ocasião. A combinação mais certeira para dias de folga, e tempo mais frio, um blazer de lã texturizada com jeans garante que você fique quente sem perder a elegância. Aqui, um par de sapatos Oxford combinam perfeitamente, assim como botas Chelsea (aquelas do elástico lateral).

Blazer Navy + Calças de lã cinza

Muitas vezes, a melhor maneira de se destacar é aderindo aos clássicos. O terno azul marinho é o companheiro mais confiável do guarda-roupa do homem, e ao usá-lo como uma combinação de duas peças você será sempre uma combinação certeira. Quebrar as regras não é fácil, mas às vezes resulta em uma coisa boa, como é o caso quando combinado com calças cinzentas. Dar um descanso para o terno completo não significa que você fique menos elegante, mantenha a parte de cima e dará um ar um pouco mais casual ao seu terno, além de poder mudar o seu look mais vezes com o mesmo casaco.

Blazer Preto + Calças Cinzentas

Regras? Quem precisa delas? É um equívoco comum que as calças devem ser sempre mais escuras do que o que é usado na parte de cima. Assim como usar calças jogger fora das academias e vestir terno com tênis, esta é mais uma regra de estilo que agora você pode quebrar sem medo nenhum. Esta combinação simples pode ser aplicada a uma variedade de ocasiões. Mais formais, com uma camisa ou até um cardigan por baixo, ou com uma simples camiseta para dias mais casuais.

Tons de Azul

A tendência vem desde a roupa do menino bebê, mas não posso pensar em uma cor melhor para nós homens do que azul. Menos sombrio do que preto, não tão chato como cinza, mas ainda assim tão acessível como ambos, esta é uma cor que não pode em hipótese nenhuma faltar no seu guarda-roupa. Então, por que não usá-la de cabeça aos pés? Para um ar mais sofisticado, tente uma abordagem em cima de vários tons, um blazer e um par de calças com tons mais escuros ou mais claros entre si.

Tons de Terra

A menos que você tenha muito dinheiro e possa gastar em um monte de roupa, é sempre bom considerar a qualidade da roupa e que peças que você já tem e pode combinar. O que significa que você precisa de cores que joguem bem umas com as outras. Esta regra vale especialmente para a alfaiataria. O preço das camisetas pode permitir que você compre uma dúzia delas, mas blazers? Tons de terra como off-white, bege, camelo, castanho, verde cáqui, ocre  são sempre bem vindos. E não só eles funcionam bem quando usados ​​juntos e com cores mais abertas, como as últimas produções dos designers sugerem que eles estarão em alta para o próximo ano também.

Calças brancas + Blazer cor de pedra

Enquanto o preto, cinza e marinho permanecerão sempre o alicerce do guarda-roupa masculino, tente calças brancas usadas com um blazer cor de pedra para um estilo que é elegante sem ser formal. Opte por calças em um tecido de linho, ou misturado com algodão e dobre a barra no tornozelo, adquirindo instantaneamente a maneira de vestir dos italianos chamada de sprezzatura. Uma maneira bem estudada de se vestir e montar o seu look, parecendo o mais casual e despretensioso possível, quase como se você não tivesse perdido tempo algum na escolha.

Verde + Azul

A combinação de cor para os homens que não usam cores. Devido ao fato de que elas são vizinhas na roda de cores, há uma sinergia natural entre estes dois tons que combinam perfeitamente. Como todos os vizinhos, ter uma regra é sempre fundamental. Se você escolhe um verde garrafa intenso para a parte de cima, então as calças devem ser em um tom de azul com menos intensidade. Da mesma forma para um blazer azul e uma calça verde, afinal não queremos uma guerra territorial na nossa alfaiataria.

Precisa de ajuda? Quer organizar o seu guarda roupa? Duvidas para combinar peças que já tem? Entre em contato pelo blog, ou pelo E-mail nunoalmeida61@gmail.com