Bandana Style !!!


Som de Avicci ft Audra Mae – feeling Good

Quando se trata de acessórios para homens, a bandana é uma escolha clássica e atemporal. Este item simples, porém versátil, pode ser usado de várias maneiras e é perfeito para adicionar charme a qualquer visual. Longe de ser apenas uma peça para motociclistas e roqueiros, a bandana pode se adequar a qualquer homem quando usada da maneira certa. Então se você for se encontrar com amigos no fim de semana, ou para um evento casual, uma bandana pode ser um excelente complemento para sua roupa. Aqui vamos ver as várias maneiras como esses acessórios de tecido podem ser usados por homens.

Sempre digo que acessórios (como a bandana) são uma boa maneira de dar personalidade ao seu visual, pois escolhas pessoais nos pequenos detalhes acabam mostrando mais sobre seu estilo e te diferenciando do restante, sobretudo atualmente quando as roupas masculinas parecem tão minimalistas. Contudo, acessórios também são uma grande fonte de dúvidas e resistência masculina, muita gente trata como frescura, outros acham difícil encaixar no look sem exagerar.

O que é uma bandana? Uma bandana clássica geralmente é um pedaço de pano triangular ou quadrado. As bandanas estão na indústria da moda há muitas décadas. Geralmente apresenta um padrão estampado. A princípio, uma bandana pode parecer um acessório um pouco hippie, mas se usada da maneira certa, é mais uma escolha clássica e atemporal.

O algodão é um material leve, macio e respirável, também fácil de dobrar, para que você se sinta confortável ao usá-lo. Este material é ideal para looks casuais, mas ela pode ser também de seda ou de outros materiais.

  • Tamanho – 50 X 50 cm (em média);
  • Tecido – algodão nas versões clássicas, mas pode ser também de seda, poliéster ou outro tecido leve;
  • Cores – as mais comuns são vermelho, preto e azul marinho, porém existem até multicoloridas;
  • Estampas – é impossível não pensar nas bandanas com estampa monocromática paysley, entretanto caveiras, micro estampas, corações, estrelas e ramos estilizados são bem comuns nesse tipo de peça.

A bandana em volta do pescoço é provavelmente a maneira mais fácil e popular de usar este lenço. Não é muito complicado, e pode funcionar para ocasiões casuais e mais formais. Apenas dobre ou torça, coloque-o em volta do pescoço e dê um nó na frente ou de um lado. Se a sua bandana for grande o suficiente, você pode até usá-la como um cachecol. Apenas uma coisa a seguir, esteja sempre atento à cor da sua bandana. Escolha tons mais fortes, como vermelho ou preto, para adicionar um pouco de emoção ou usar tons neutros e suaves para roupas que já possuem cor. Você pode usar uma bandana para complementar uma camiseta e uma jaqueta de couro. Bandanas também podem funcionar para aquecer o seu pescoço, dependendo de como estão amarradas.

Estes lenços podem também ser usados na cabeça, no pulso, envolvendo a sua perna ou mesmo pendurado no bolso traseiro do seu jeans, mas isso é para os jovens, homens maduros devem usar no pescoço, ou como lenço de bolso.

Sobrepondo a Jaqueta Trucker !!


Algumas roupas são usadas de determinada maneira por pura convenção, a jaqueta jeans é um exemplo disso, pois ela, via de regra, aparece sobrepondo outras peças como camisas, malhas e camisetas. Entretanto, ninguém está proibido de usar sua jaqueta, ou trucker, de outras maneiras.

Além de criar uma camada intermediária entre um item mais pesado, como um casaco ou parka, a jaqueta ainda empresta seu estilo e a textura do jeans para deixar o look mais rústico e descolado, o tipo de solução visual que gera curiosidade e admiração.

Som de Indila – Derniére Danse

QUEBRANDO O JEANS TOTAL !!

Um dos usos mais comuns da jaqueta jeans nesse caso é para criar uma base double jeans que será quebrada pelo casaco ou parka, geralmente em tons de marrom, bege ou verde.

 

CONTRASTANDO COM LOOK RETRÔ !!

Este look com trench coat e chapéu me agrada muito, pois o toque retrô que essas peças dão contrasta com a essência rebelde e jovem da jaqueta jeans, aliás esse é um dos grandes baratos de adicionar a jaqueta denim, o contraste.

 

LOOK ARRUMADINHO !!

Se você quer montar um combo onde a jaqueta jeans está mais alinhada com as peças comportadas, invista em um item com pouca ou nenhuma lavagem, a cor índigo, típica desse tipo de tecido, vai torná-lo mais discreto.

 

MODERNIZANDO O TERNO !!

Aberta ou abotoada, a jaqueta jeans também pode ser usada com terno, ou blazer em uma combinação com ares de transgressão, principalmente para quem acha que o traje social é intocável. Para manter o clima, escolha um par de tênis de couro branco com design clean.

 

COM UM CARDIGÃ OVERSIZED !!

Outra opção é vestir a jaqueta sobreposta por um cardigã de espessura média ou grossa, usando a trama do tricô e do jeans como elementos para criar um visual diferente.

 

PARA O FRIO AMENO !!

As sobreposições não precisam ser apenas com peças pesadas, você pode jogar um colete de nylon por cima da jaqueta jeans e finalizar com uma camiseta, esse é o tipo de combo que dá para usar tranquilamente em um dia em que o frio não é tão intenso.

 

ROCKER EM DOBRO !!

Uma jaqueta de couro com modelo similar a trucker não funcionaria bem aqui, mas a perfecto tem essa gola que destaca a peça de jeans como se ela fosse uma camisa. O conjunto ganha um inusitado estilão rocker bem bacana!

 

INSPIRAÇÕES !!

Combat Boots !!!


Você provavelmente vai pensar em parkas, cachecóis, gorros e casacões quando se trata de roupas desenhadas para o inverno, mas a primeira coisa a ser pensada deveria ser o calçado. Nos dias frios os pés são os primeiros a sentir a mudança de temperaturas. Coturnos são a opção resistente que protege e resistirá ao teste do tempo com facilidade. Com origens nas forças armadas que remontam ao Império Romano, estas botas há muito tempo são uma forma de dar mais aderência ao enfrentar lama, gelo, neve e terrenos complicados.

Coturnos são uma ótima escolha para o guarda-roupa de qualquer homem. Eles ajudam a criar uma aparência casual e são perfeitos para mudar sua roupa favorita. Pode ser usado desde com um terno para o escritório, até criar uma aparência descontraída todos os dias. Eles são realmente sapatos versáteis.

Se você planeja fazer algo extenuante ou ao ar livre, lembre-se de tomar algumas atitudes para cuidar deles. Use  sempre  formas para sapatos quando não os estiver usando, para manter o formato e a estrutura, e isso serve para todos os calçados de couro. Limpe a poeira e use um pano úmido, se necessário. Tratar o couro de vez em quando também vai fazer com que eles durem mais, e ao longo do tempo envelhecerão lindamente a cada passo que você der.

Botas e roupas de trabalho combinam perfeitamente, assim como camisas e gravatas e café com pão de queijo. O melhor de tudo, é não ter medo de misturar as texturas das suas botas. Camurça marrom ou nubuck, por exemplo, combinam perfeitamente com jeans escuros.

Este modelo de botas podem ser uma maneira fácil de melhorar uma aparência simples. Eu uso o meu com qualquer tipo de jeans e até com calças de alfaiataria, o truque é evitar calças muito compridas, caso contrário você não consegue ver a “perna” da bota. Mantenha a altura ajustada ou enrole as bainhas com a mão mesmo. Para um visual elegante e minimalista, use com uma camiseta monocromática e uma jaqueta bem cortada.

Se você tiver a sorte de trabalhar em um escritório moderno pode intercalar os oxfords com um par de botas para mostrar alguma criatividade no local de trabalho. Para evitar excessos, em vez de usar a tradicional aparência desgastada, procure estilos com um leve brilho. A combinação com calças de alfaiataria, uma camisa polo de malha e casaco leve, faz com que ninguém suspeite que você acabou de enganar o sistema de calçados no seu trabalho.

Estas botas clássicas, que parecem semelhantes às usadas pelos soldados, adicionam instantaneamente um toque rustico a qualquer conjunto. Perfeito para roupas casuais e de fim de semana, combat boots ficam melhores quando combinadas com outros designs mais ousados. Para fixar o visual, escolha uma paleta de cores escuras e opte por tecidos resistentes nas calças.

Botas de combate ou coturnos, são algo mais do que apenas uma tendência, e têm uma longa história por trás deles. Botas de combate eram usadas apenas por soldados e ninguém imaginaria que elas se tornariam uma declaração de moda. Elas se originaram dos assírios, uma população de guerreiros que lutavam a pé e, portanto, precisavam de calçados adequados. Botas de combate percorreram um longo caminho desde então. Elas serviram o exército inglês e todos os exércitos durante a Primeira Guerra Mundial na forma de Hesse Boots.
O exército dos EUA recebeu botas de combate que não tinham pé direito e esquerdo, elas se moldavam ao longo do tempo nos pés dos soldados. Hoje em dia as botas de combate atingem um alto nível de conforto e os pés sofrem menos nos atos de pular, correr e andar. Eles também são adequados para todos os climas e todas as condições meteorológicas. Essa é a razão pela qual eles são tão populares na moda também.

Som de Lori Carson – I Saw The Light

A Calça Xadrez !!


Uma maneira de se sobressair sem muito esforço? Xadrez. Uma maneira de adicionar charme a uma roupa de outono / inverno sem exageros? Xadrez. A calça que vai fazer toda a diferença nesta temporada? Xadrez. Sim, elas podem ser ousadas ​​e sim, elas podem não ser tão fáceis de usar, mas se você acertar, as calças xadrez são uma das maneiras mais elegantes de cobrir sua metade inferior. Mais importante, e talvez surpreendentemente, elas são incrivelmente versáteis e podem fazer a diferença tanto em roupas formais como casuais.

Uma profusão de padrões foi desfilada nas passarelas de outono / inverno 2018 de Thom Browne a Kenzo, e de E. Tautz a Dries Van Noten. “É verdade que a maioria dos homens não pensa duas vezes antes de usar um blazer ou uma camisa mais ousada , mas um par de calças xadrez que não fazem parte de um terno ainda são vistas com um certo medo. Exagere e vai parecer fantasiado, mas se você acertar o equilíbrio, é uma ótima maneira de redirecionar foco de um visual, que para a maioria dos homens ainda é baseado em uma jaqueta ou em alguma outra peça de roupa externa.

Obter o equilíbrio certo envolve manter o resto de sua roupa neutra e contida, deixando as calças como centro das atenções. Eu conheço gente que têm a confiança para misturar estampas e padrões com maestria, mas isso é difícil de fazer. O visual de sprezzatura (ver post) é um pouco forte demais para o mundo real. “No ambiente de trabalho tente usar um micro xadrez como um Príncipe de Gales e combine com blazers e malhas lisas.

Podem até dizer que o dress code acabou, e que o casual tomou conta do mundo, mas a personalidade que costumava ser expressa através de gravatas ou lenços de bolso pode ser mostrada em uma calça xadrez especialmente com ternos, jaquetas e calças que podem usados separadamente, começando a se tornar mais populares. Eu adoro calças xadrez e tenho muitas, cada vez que vejo uma padronagem diferente já quero aumentar o meu guarda roupa.

Som de Maxi Priest – Wild World

 

Precisa de ajuda? Quer organizar o seu guarda roupa? Duvidas para combinar peças que já tem? Entre em contato pelo blog, ou pelo E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Sprezzatura !!!!!


O que diabos esse homem está fazendo com a sua gravata? Ele se vestiu com muita pressa? O que aconteceu com o colarinho saindo pra fora? Se segure com a suposição de que ele simplesmente não sabe se vestir. Esses pontos que você critica podem, na verdade, ser expressões de “sprezzatura”, a arte de se vestir sem arte. Pelo menos aparentemente.

Mas por que alguém tentaria fazer isso, em uma cultura cheia de regras em relação a roupas? A sprezzatura traz um toque de rebeldia, é um truque de estilo sem ser revolucionário. É também um meio de sinalizar sua individualidade, mesmo que você use roupas convencionais. Acima de tudo, aqueles que conseguem ter sprezzatura, e tentarem fazer com que seja uma linha tênue entre o estilo certinho e o estilo despojado, ganham o título de serem cool. Sprezzatura é uma maneira de se vestir que transgride a maneira aceita de se vestir, mas ainda assim aderindo às suas roupas típicas.

Se uma gravata é normalmente usada de modo que o lado estreito fique atrás da parte mais larga, é sprezzatura usá-la ao contrário. Se o final de um cinto é geralmente dobrado em uma laçada, é sprezzatura deixá-lo pendurado, mas você precisa encontrar a sua própria maneira de se distinguir.

A ideia de sprezzatura, no entanto, antecede o uso comum da palavra “cool” por cerca de 400 anos. Foi em 1528 que Baldassare Castiglione cunhou a palavra em seu livro “O Cortesão”, efetivamente um livro de autoajuda para aqueles que querem subir na vida, seguindo os caprichos da aristocracia. O livro foi um best-seller, um blockbuster, na sua época. Em termos de estilo, sprezzatura sugeria o tipo de homem que parecia elegante sem esforço, embora nunca excessivamente formal. A palavra-chave era “sem esforço”. Tudo parecia fácil e nada forçado, como se o homem em questão simplesmente parecesse estar vestido sem se importar com modismos, mais ou menos como no caso das mulheres, que passam horas no salão para parecer que acabaram de sair de casa.

Enquanto os ingleses tentaram este estilo, já no século 19, foram os italianos que mais aproveitaram. “Historicamente esta expressão é fundamental para a ideia de estilo da Itália”, observa Alessandro Sartori, diretor artístico da Ermenegildo Zegna.  “Você vê isso na maneira de misturar roupas formais com roupas esportivas, na brincadeira com texturas, tecidos sem brilho ao lado de texturas mais brilhantes. Há sempre uma maneira de se vestir muito italiana que se encaixa no estereótipo.

O italiano Gianni Agnelli, da família por trás da dinastia de fabricação de carros da Fiat, também encarnou a sprezzatura para o século XX. Ele usava a gola desabotoada, o relógio por cima do punho da camisa, ele sempre usava a gravata um pouco fora do centro e um pouco desfeita, seus ternos trespassados sempre desabotoados (um pecado mortal na alfaiataria), às vezes ele usava chinelos ou botas de caminhada com a alfaiataria, ainda que amassada, perfeitamente amassada. Ele quebrou as expectativas habituais de moda e não se preocupou com isso.

É como eu sempre digo, dê a um italiano as mesmas roupas que se usam na Alemanha ou no Reino Unido, por exemplo, e ele ainda encontrará um toque diferente. É por isso que você pode ir a qualquer lugar do mundo e perceber um homem italiano de longe.  A aparência geral é um pouco “acabou de sair da cama”, embora uma cama de um hotel cinco estrelas na Costa Amalfitana, sem nada para fazer, apenas absorver os olhares de admiração.

Sprezzatura é dominar completa e perfeitamente a arte de se relacionar com as pessoas, de decorar a casa ou de vestir-se bem, de forma que essas difíceis tarefas pareçam completamente sem esforço, planejamento ou preocupação, o que faz com que o resto do mundo te odeie por conta disso. Sem esforço, apesar de todos os livros de etiqueta que são lidos, a pesquisa e escolha cuidadosa do look, o tempo passado em frente ao espelho arrumando o cabelo e a aparente naturalidade ou desinteresse no comportamento quando sua ambição tem um alvo bem específico. Por isso não se engane: o objetivo desta indiferença toda é sempre chamar a atenção, se destacar, ser percebido, reconhecido, admirado e conquistar o outro.

Som de Robin Schulz – Sugar

Veja um pouco do Pitti Uomo, em Florença !!!!

Precisa de ajuda? Quer organizar o seu guarda roupa? Duvidas para combinar peças que já tem? Entre em contato pelo blog, ou pelo E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Safari Jacket !!


A história do casaco safári !!

Imaginem os soldados britânicos do final do século 19 da Guerra dos Bôeres, vagando pelas planícies da África do Sul, incapazes de encontrar seu inimigo, engajados como estavam nessa nova forma de guerra não cavalheiresca conhecida como “guerrilha”. Claro, não ajudava que os soldados britânicos usassem túnicas em vermelho, e os africânderes, apreciando a vantagem de se misturar à paisagem usavam cáqui. Oficiais do alto comando britânico pensaram que tinham que fazer alguma coisa, e pouco depois veio a primeira roupa militar britânica para dar um passo em direção à paleta de beges, castanhos pardos e tons de oliva ainda usados ​​hoje em dia. O traje resultante? uma jaqueta de quatro bolsos em caqui, que seria adotada por caçadores, que também precisavam ser menos visíveis para suas presas.

É a roupa preferida por ícones de estilo, como Ernest Hemingway e Clint Eastwood, que historicamente não ligava para se vestir para o jantar, preferindo uma roupa para caçar o jantar. Mesmo assim, a jaqueta safári ainda divide opiniões.

Isso porque acertar nesta roupa fará qualquer um parecer cool, mas em caso de erro, você vai parecer um participante de Great White Hunter. Mas pergunte a qualquer especialista em moda masculina, e ele logo dirá que vale a pena o risco. Não importam os benefícios práticos como espaço para levar suas coisas e ser leve o suficiente para usar durante todo o verão. A jaqueta  safári é um clássico do design, seja a legítima, ou uma das muitas interpretações da moda, e pode ser a única jaqueta legal que você vai precisar para os meses mais amenos.

Leve em conta a praticidade da jaqueta de campo, em estilo militar, um tecido resistente de algodão ou mistura de algodão, uma peça folgada de comprimento médio com quatro bolsos de fole no peito e no quadril. Agora mude para um tom de bege, em um tecido mais leve e respirável como linho ou algodão e adicione detalhes como uma gola aberta, dragonas e um cinto para acrescentar charme ao conjunto. Aí está a jaqueta safári.

Saint Laurent, que tem o crédito de ter empurrado a moda para o mainstream, era fã deste estilo. Mas há uma boa razão para designers como Tom Ford, Ralph Lauren e marcas como Abercrombie e Barbour terem versões também. Simplesmente funciona. Quando está muito quente para uma jaqueta normal, mas o evento pede algo mais elegante do que apenas uma camisa, a jaqueta safári é a solução inteligente.

“A jaqueta safári é agridoce – pode parecer que você está usando uma fantasia, mas o fato é que é ótima para o verão”, diz o diretor criativo da Gieves & Hawkes , John Harrison.

Além disso, também não é uma peça de alta costura. Isso não significa que um modelo de boa qualidade não possa ser usado nos próximos anos. Apenas pense na cor cáqui e em algodão, um clássico. Sua versatilidade é bem documentada, e é o acompanhamento ideal para o jeans ou sarja.

A jaqueta  safári foi projetada para ser a estrela do show, então permita que ela assuma o controle e evite usar qualquer outra coisa que tente competir com ela por atenção. Em caso de dúvida, as peças básicas são a ordem do dia, por isso jogue-o sobre uma simples camiseta e jeans escuros, com tênis minimalistas.

Assim como outras peças no hall da fama de roupas masculinas, é possível vestir a jaqueta safári de forma casual ou mais elegante. Você usá-la sobre uma camisa, gravata e calças de flanela escuras para um look elegante, ou com jeans e docksiders para uma ocasião menos formal. Tente deixar a jaqueta aberta, mas amarrando o cinto no meio para um look diferente e com estilo.

A menos que vá para uma festa a fantasia, não tente o “utilitário total”. Se você estiver usando uma jaqueta safári, evite usar calça cáqui, calças de combate ou chapéu de mato. É importante reapropriar a jaqueta de safári de sua configuração original como uma peça de luxo para evitar parecer alguém que perdeu sua espingarda. Esta jaqueta tem um certo padrão, mas diferentes materiais podem fornecer diferentes efeitos. O linho envelhece bem, transformando-se em uma jaqueta que assumirá uma aparência desgastada; a camurça tem mais uma sensação de roupa de noite, então funciona bem para homens com um guarda-roupa mais inteligente; enquanto as opções em couro oferecem isolamento adicional durante os meses mais frios.

Som de Ten Sharp – You

Precisa de ajuda? Quer organizar o seu guarda roupa? Duvidas para combinar peças que já tem? Entre em contato pelo blog, ou pelo E-mail nunoalmeida61@gmail.com

A Camiseta Breton !!!


 

Atualmente o padrão listrado é muito comum na moda masculina, mas seu sucesso com os homens não é novidade, sua história começa no início do século XIX, na marinha francesa e passa por altos e baixos até chegar aos tempos modernos.

A primeira leva dessas malhas foi criada na Bretanha com uma trama bem unida de lã para proteger os marinheiros do vento frio, da chuva e dos respingos do mar. A peça deu resultado e passou a figurar na indumentária naval como uma segunda pele sob o uniforme, em 1858 um decreto da Marinha Francesa tornaria camisas e camisetas desse tipo parte do uniforme de maneira oficial.

É interessante notar que a Breton, assim chamada por causa de seu local de origem, tinha um número específico de listras quando produzida pela tradicional grife Saint James: eram 21 listras brancas de 20 mm de largura e vinte e uma faixas azuis de 10 mm de largura no dorso, 15 listras brancas e 14 ou 15 listras azuis na manga (a lenda afirma que o número de listras deveria representar cada uma das vitórias de Napoleão sobre os britânicos). Outra característica marcante desse tipo de roupa é a gola canoa, ligeiramente mais aberta que a gola careca das camisetas comuns e que facilitava ao marujo vestir ou desvestir a malha com rapidez. Hoje em dia a peça pode ser encontrada com diversas adaptações como mangas curtas e gola careca, mas ainda é chamada de Breton de uma maneira mais genérica.

Os jovens marinheiros que lutaram na primeira guerra mundial trouxeram para o cotidiano o costume de usar a blusa Breton. Quando chegaram os loucos anos 20, que mais tarde culminaram na grande depressão, também trouxeram o jazz e um movimento literário riquíssimo do qual fizeram parte Hernest Hemingway e F. Scott Fitzgerald, nesta época a Breton já havia se tornado comum.

O pontapé final para jogar a peça na moda da época foi dado quando Coco Chanel surgiu vestindo uma blusa Breton em uma foto que correu o mundo e ainda hoje é muito conhecida.

No início década de 60 os rebeldes da geração beatnik adotaram o item quase como um uniforme e não demorou muito para que atores como James Dean e Robert Redford fossem vistos e fotografados usando uma malha destas. Mais tarde, nos anos 70, os punks do Ramones mostraram que as listras horizontais ainda não tinham perdido seu fôlego. Os anos 80 e 90 foram marcados por camisetas com desenhos grandes e chamativos, padrões como as listras náuticas foram empurrados para nichos, como a roupa usada por pessoas abastadas para velejar, tornando o visual antes rebelde e estiloso em algo pejorativo.

Por sorte os anos 2.000 resolveram resgatar muito do que foi sucesso nos anos 50 e 60, xadrez e listrados estavam de novo no guarda-roupa do homem agora mais aberto a combinações ousadas e experimentações, ao mesmo tempo que uma admiração pelo visual retrô fez com que o público masculino olhasse para as peças clássicas com carinho e reverência.

Nos últimos anos assistimos uma verdadeira febre das roupas listradas e é interessante notar que tudo isso surgiu com uma malha de lã para proteger marinheiros franceses há mais de dois séculos!!!!

Som de Aretha Franklin – I Say A Little Prayer

Precisa de ajuda? Quer organizar o seu guarda roupa? Duvidas para combinar peças que já tem? Entre em contato pelo blog, ou pelo E-mail nunoalmeida61@gmail.com