Em Tróia !!!!!!!


Noemi Marone Cinzano não pretendia apaixonar-se por este lugar. Ela simplesmente estava explorando, os arrdores e sua curiosidade a levou a um lugar maravilhoso, uma extensão isolada de pântanos e bosques atrás das dunas de uma praia incrivelmente longa na Península de Tróia, em Portugal. Os 50 acres de terreno ficam lado a lado com o último recuo do terreno de seu amigo Christian Louboutin, o designer de calçados francês, o que tornou ainda mais sedutor este lugar. Noemi, a herdeira muito loira e muito bronzeada da marca de vermute italiana, já tinha uma casa linda, uma propriedade e vinhedo na Argentina, onde produz Bodega Noemía de Patagonia, um premiado e biodinâmico Malbec. Mas ela gostou da ideia de se mudar para a Europa, de estar mais perto de seus dois filhos já adultos com o seu ex-marido, o Conde Gelasio Gaetani d’Aragona Lovatelli, um escritor que também é vinicultor notável. Apesar da proximidade da propriedade portuguesa ao resort Jet-Set da Comporta, ela achou esta região maravilhosamente discreta, como ela diz, “um pequeno segredo”.

Noemi comprou o terreno, derrubou a casa da década de 1980, e convocou um amigo de longa data, o reverenciado designer de Londres, Cinzano comprou o pacote, derrubou seu prédio inexistente na década de 1980, e convocou um amigo de longa data, o reverenciado designer londrino, John Stefanidis, para criar o novo refúgio. Stefanidis é um elegante egípcio conhecido por suas esplêndidas decorações e cujos clientes incluem Westminsters e Rothschilds. Primeiro trabalhou com Cinzano no início da década de 1990 em sua antiga casa em Londres, uma bela casa Regency chamada Broom Villa. “John tem um estilo muito mediterrâneo, e ele gosta de luz”, explica Cinzano.

Ele ficou mais do que satisfeito em assumir a tarefa. “Noemi é maravilhosa e muito chique, ela sabe como ninguém fazer uma atmosfera agradável”. Estes clientes têm uma vida adorável, e um talento nato na família. O irmão de Cinzano, Enrico, fundou o Projeto Alabama, a casa de moda artesanal americana, antes de se tornar um admirado designer de móveis, e seu bisavô Giovanni Agnelli foi o criador da Fiat.

A proprietária explicou a Stefanidis que queria usar a residência de Portugal durante todo o ano, e que seria mais um refúgio do que um lugar para entreter convidados. “Uma casa egoísta”, disse ela. Dois quartos de hóspedes e nada mais. Ele desenhou os planos para um andar térreo com espaços de fácil fluxo, um pequeno segundo andar para uma sala, quarto de hóspedes, e uma varanda convidativa com vista para a lagoa da propriedade, as dunas, e mais adiante, o Atlântico. “É tão silencioso e inspirador”, diz Cinzano. “Eu tenho um amigo que quer escrever um livro aqui”.

A paleta de cores gira em torno de seus matizes preferidos. “Sim, eu gosto de rosa e verde”, ela diz com uma risada enquanto corre a mão carregada de esmeraldas sobre sua blusa de linho rosa pálido e brinca com um pendente colombiano de esmeralda natural. O chão da cozinha é de cimento framboesa, um dos quartos de hóspedes é acentuado com um tom de gerânio, as cadeiras de jantar da varanda são rosa flamingo, a mesa de jantar é pintada de verde e o hall de entrada é pintado com o brilhante pó de esmeralda brasileira. Desde que Cinzano vendeu a Broom Villa alguns anos atrás e armazenou o seu conteúdo, ela tinha uma quantidade razoável de mobiliário e peças de arte para a nova casa, incluindo um par de mesas reais do século XIX, pertencentes ao avô dela, e um quadro de Aldo Mondino, retratando  Lord Byron, que aparece sobre a lareira. “Ela trouxe o passado, por assim dizer”, diz Stefanidis.

Cinzano e Stefanidis preencheram a casa com as criações de seus amigos. Stefanidis também produziu várias peças únicas, incluindo, uma mesa de centro com uma marchetaria poética do vento e estrelas em madrepérola e lápis Lazuli. “Para refletir o romance do lugar”, ele explica.

O paisagista francês Louis Benech, um amigo de Cinzano que também estava de férias na região, ajudou a planejar o jardim, e o fazendeiro espanhol Fernando Martos completou as plantações, incluindo um bosque de laranjeiras e limões, uma horta e 15 mil pinheiros. “Portugal é um dos maiores produtores de pinhões”, observa Cinzano. Ela também tem uma pequena vinha. Ao lado da lagoa, Cinzano construiu o que ela chama de ” pagode”, um pavilhão ao ar livre onde ela se senta com seus cães, 14 ao todo, e observa o por do sol sobre o oceano.

 

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com