Paris Rive Gauche !!


Existem alguns interiores em que o meu pensamento imediatamente sugere: “Uma pessoa criativa mora aqui”. É a partir dessa premissa  que escolhi o post de hoje, um loft único em três níveis no 13º distrito de Paris, com o seu próprio jardim e um grande estúdio criativo com teto de vidro. O proprietário é um arquiteto, e para ele não é apenas uma casa, mas também um espaço de trabalho inspirador, incomum, charmoso e lindo!!!

Localizada em um bairro em constantes mudanças urbanas, chamado de “Paris rive gauche”, esta casa, totalmente redesenhada por um arquiteto, tem uma área de 245 m2 e um jardim de 97 m2.

A entrada abre para um vasto volume onde as linhas limpas e contemporâneas se encaixam perfeitamente com o antigo. A sala de estar, sala de jantar e cozinha totalmente equipada são um exemplo. As áreas organizadas em torno de um fogão a lenha e com vários acessos, permite a passagem direta ao jardim e sua antiga garagem convertida em oficina.

No primeiro andar, dois quartos espaçosos com armazenamento compartilham um banheiro, há um outro banheiro separado e um vestiário.

No segundo andar está o coração deste loft: um estúdio de artista de verdade e seu telhado de vidro monumental trazendo um brilho e luz natural a qualquer hora do dia, desfrutando de um teto com altura de 5,30 metros e uma varanda com vistas para o jardim.

É por uma escada de metal em espiral que se chega á suite do casal, com vista para todo o espaço social, bem como ao terraço no telhado com área de  21 m2.

Para melhorar esta propriedade, um porão atualmente convertido em lavanderia e grande depósito, oferece um ótimo espaço.

A calma absoluta, a luminosidade, os belos volumes e a renovação contemporânea de sucesso fazem desta propriedade um local de vida raro e excepcional.

Som de John Mayer – Belief

Cabana na Floresta!!!


Lareira, cobertor, uma floresta, um lugar para fugir da cidade, esta casa reúne tudo o que a proprietária da empresa de moda Meisë e sua família queriam. É simplesmente, perfeita e inesquecível.

“Meu marido sonhou com uma típica cabana nórdica de madeira para se lembrar das suas origens, meio holandês, meio dinamarquês”, diz Noelia Peinado, espanhola e criadora da empresa de confecção Meisïe. “Para nós dois, foi um sonho, uma casa de madeira no meio da floresta.”

Para esta casa, Noelia e seu marido buscaram um estilo mesclado, um pouco como a família dele. “A casa é um pouco nórdica, mas também com um certo ar dinamarquês, tem tapetes indianos, pedras de montanha por fora e paredes cinza por dentro.” Acima de tudo, este casal gosta da floresta, e por isso usaram janelas grandes sem cortinas, apenas com persianas, para aproveitarem a paisagem. Outro desejo era apostar em espaços tão amplos e transparentes quanto possível na sala de estar e na sala de jantar.

Noelia Peinado e seu marido, Marc Sorensen, como já falei, são os criadores da Meisïe, que significa ‘menininha’ em holandês, e é um termo muito usado na família de Marc. “Como eu compro muitos tecidos para Meisïe, com o que me resta, faço as almofadas e tecidos para a minha casa”, diz ela.

A cozinha fica aberta para a sala de jantar com um café bar, mas pode ser fechada com portas móveis na cor cinza e quase até o teto. O rack do vinho foi copiado de um restaurante na França. É feito sob medida na parede. Pequena, e em forma de U, esta cozinha com muitas gavetas é bastante confortável, em microcimento, que combina com as paredes de ardósia e móveis de madeira. Os móveis foram projetados pelo proprietário.

A varanda e o terraço são os lugares favoritos deste casal. Tomar café da manhã aqui com um cobertor, é um  momento único. “Às vezes vemos cervos pela manhã”, diz Noelia.

Som de Kate Bush – This Woman’s Work

Uma Casa em Oxfordshire !!!


Quando os donos atuais viram essa ex-casa paroquial do século XVIII em Oxfordshire, foi amor à primeira vista, e com a ajuda da decoradora Ema Sims – Hilditch modificaram todo o seu interior.

Na frente da igreja bem cuidada com vista para a linda aldeia de Oxfordshire há um par de portões de ferro, ligeiramente atrás da estrada. Os afortunados que passam por esses portões e se aventuram pela estrada de cascalho e faias são recompensados ​​por uma visão de beleza particularmente inglesa: uma ex-casa paroquial, construída em pedra de Cotswold e coberta de glicínias, com suas abundantes flores roxas liberando nuvens de um perfume inebriante.

Esta casa paroquial foi construída no final do século XVIII, e depois ampliada em 1817, e em meados do século XIX, quando foi acrescentado um oratório em estilo renascentista gótico. Isto deu-lhe uma formação incomum e criou um pátio, que os proprietários usam como uma área de refeições ao ar livre. Além do prédio principal, há um celeiro e um estábulo, ambos agora usados ​​pela equipe que cuida dos jardins, que incluem vastos relvados terminando em plantações, áreas ajardinadas muradas, um pomar e uma piscina.

Os atuais proprietários compraram a propriedade em 2012, quando o filho mais velho tinha oito anos e os gêmeos  quatro. Tendo decidido que era hora de sair de Londres, foi uma decisão fácil para eles se mudarem para essa parte do país. “Meu marido cresceu nesta área, sua família ainda está aqui e tivemos uma casa de fim de semana nas proximidades”, explica a proprietária. No entanto, eles estavam determinados a esperar pela casa certa. Foram muitos meses antes de serem convidados a ver essa propriedade, que ainda não estava no mercado. “Assim que entrei, soube que era minha”, lembra a dona. Um casal com quatro filhos, morava aqui e parecia uma casa de família muito feliz. Cerca de dois meses depois, estávamos nos mudando de Londres.

Pouco depois de se mudarem, eles entraram em contato de Emma Sims-Hilditch, cujo nome havia sido passado por um amigo. “Expliquei que queríamos camas para os gêmeos e que não tínhamos móveis”diz ela. Tendo vivido em casas mais contemporâneas anteriormente, eles quase não tinham mobília do estilo ou tamanho certos. De repente, tinham uma casa grande e não sabiam o que fazer com ela. No entanto, quando fui ao site da Emma, ​​pensei: “Esse é o meu estilo, é assim que eu quero viver”. Para a designer de interiores Emma, ​​foi um projeto dos sonhos. ‘Eu me apaixonei pela arquitetura e pelas proporções clássicas da casa. A estrutura é muito elegante e tem muitas características originais”.

Emma começou pela sala de visitas, que percorre toda a extensão da casa e tem cinco janelas de caixilhos inteiros. Seu ponto de partida foram as cortinas que estavam lá quando os proprietários se mudaram, feitas de linho pesado em um design floral em estilo vintage. “Pensamos que seria ótimo usar algo que já pertencia à casa e o tom das rosas é perfeito para este quarto”, diz Emma.

Na sala de jantar, um tecido também serviu como ponto de partida, neste caso, uma estampa de cena de caça em um colorido rosa aqua e azul escuro, que foi usado para as cortinas. “Muitas vezes o esquema de decoração para uma casa inteira parte de um único tecido”. “Os donos recebem muito, então a sala de jantar precisava de um interior diferente do resto da casa. A pintura cria uma atmosfera escura e convidativa. As outras áreas de estar são mais descontraídas, particularmente a cozinha. Com seus armários e bancadas em mármore Carrara e lustre “Compiegne Leaf” de Vaughan, é um espaço bem harmonioso.

O mesmo pode ser dito do primeiro andar, cujo destaque é o quarto do casal. É muito fresco e arejado. “Para as cortinas, usamos um dos meus tecidos preferidos. Os abajures amarelos podem não combinar com o roxo das cortinas, mas de alguma forma esse contraste é parte do que faz este quarto funcionar. Neste andar além do closet do quarto principal, há dois quartos vagos.

Acima é o andar das crianças. Aqui a decoração é divertida. Um dos garotos é louco por críquete, então seu quarto tem papel de parede com tema de críquete e puxadores de bolas de críquete nas portas do armário. Outro quarto tem papel de parede Ralph Lauren em um design náutico e as camas iguais. Esta casa é maravilhosa, mas ao mesmo tempo com vida familiar.

Som de Phil Collins – One More Night

O Charmoso La Belle Vue !!


Após muitos anos de procura (sim, nós visitamos mais de 60 casas) nós literalmente tropeçamos nesta pequena jóia. A casa foi construída em 1857 e tem todos os detalhes bonitos dessa época, as janelas velhas, estuque, portas altas, lareiras, azulejos feitos à mão em padrões surpreendentes e acima de tudo a vista. Uma vista deslumbrante das vinhas e do campo, em dias claros podemos ver todo o caminho até os Pirinéus. A casa foi construída por Baulac, que era um dos fazendeiros mais prósperos da região, e no porão ainda há um sistema de vinho intacto, com cinco grandes tanques de vinho. Com cuidado, renovamos o lugar e criamos uma casa de hóspedes onde você pode descansar tanto fisicamente como mentalmente. Uma casa onde tanto a sua alma como o seu corpo ficam calmos. Nós a preenchemos com coisas lindas que cuidadosamente selecionamos e restauramos. Coisas que procuramos nos mercados, e lojas de antiguidades locais.

Aproveite a vida, descanse o seu corpo e alma, saia com amigos, ganhe perspectivas. Bem-vindo B & B La Belle Vue, na pequena aldeia de Neffiés no sudoeste da França. Encontra-se no coração da zona vinícola de Languedoc e a apenas meia hora de carro do Mar Mediterrâneo. “É a nossa casa e esperamos que seja também a sua casa durante algum tempo. Com cinco quartos decorados individualmente, serviços personalizados e nossa experiência, oferecemos acomodação para aqueles que gostam de viajar de uma maneira diferente”.

Os quartos são espaçosos e têm varandas francesas com vistas deslumbrantes e um banheiro privado com duche e banheira. Aqui se dorme bem em camas de alta qualidade, com lençóis de linho antigos bordados à mão e travesseiros generosos. Os quartos são mobiliados com móveis franceses antigos. Algumas coisas são design de artesãos locais produzidos exclusivamente para esta casa. Em cada quarto há roupão de banho, chinelos, secador de cabelo, toalhas para o chuveiro e piscina, bem como um saco de toalhas de praia e guarda-sol. Cada um dos seis quartos tem seu próprio nome.

Som de Gilbert Bécaud – Je Reviens Te Chercher

Florença:

JULIETTE:

COLETTE:

CLOTHILDE:

BLANCHE:

YVONNE:

Um Caso de Amor !!!!


Alguns anos atrás, como uma forma de a parabenizar pelo ótimo trabalho, conhecidos em comum começaram a telefonar para Elizabeth Ingram para lhe dizer que Alton Brown gostava de vários restaurantes que ela projetara em Atlanta, que incluem Beetlecat, Marcel, Superica El Tigre, e agora, Golden Eagle.

Mas havia apenas um problema: “Ela não sabia quem eu era, então não fazia sentido para ela!” Isso pode parecer difícil de entender para qualquer um que já tenha se conectado à Food Network nas últimas duas décadas: Brown é o criador e apresentador do Good Eats , e principal comentarista do Iron Chef America e do Cutthroat Kitchen, de lá, seu curriculum vitae continua. Mas este mês, na frente de amigos e familiares em Charleston, ele adicionará mais um título ao seu currículo: o de marido de Ingram.

Talvez a ignorância inicial de Ingram em relação a Brown se devesse ao seu próprio nível de sucesso: na indústria de design de restaurantes, bares e residências, Ingram tem sido uma designer muito requisitada desde o tempo em que Brown trabalhava na televisão; no ano passado, ela até lançou sua própria linha de móveis, que inclui elegantes bancos, cadeiras e sofás. Apesar de muitos projetos, Ingram encontrou tempo para participar de uma noite de autógrafos de  Brown para seu livro, EveryDayCook , em outubro de 2016.

Brown deu a Ingram seu cartão, inicialmente esperando conseguir sua ajuda para refazer a sala de estar de seu escritório. Mas logo, ele precisou novamente de seus serviços: a reforma e a decoração de um apartamento em Marietta, na Geórgia, que Brown comprou sem saber como era o interior.

Em uma reviravolta do destino, a compra deste apartamento pode ter sido uma das melhores decisões que ele já fez. Depois de enviar um e-mail a Ingram dizendo que poderia ​​haver um upgrade na relação de trabalho, de um pequeno apartamento e um escritório a um grande loft, o casal embarcou em uma renovação de sete meses, e o início de um namoro que começou no verão de 2017. A capacidade de Brown de deixar Ingram seguir em frente no processo de design e a aptidão do casal para trabalharem juntos também ajudou no romance entre eles.

Logo logo, acabou se tornando a casa de Ingram. Ela agora reside no apartamento de três quartos estilo loft que ela inicialmente projetou para Brown. “Em algum momento, as reuniões se transformaram em encontros, diz ele. “Eu não vou mentir, comecei a ansiar por vê-la mais do que ao espaço.” O casal ficou noivo em abril de 2018, pouco mais de um ano depois de terminar o trabalho no apartamento.

Brown não está apenas dizendo isso porque a arquiteta que ele contratou em breve será sua esposa também, mas ele afirma que nunca morou em um lugar em que não quer sair para trabalhar de manhã, e em que mal pode esperar para chegar em casa no fim da tarde.

Som de Michael Bublé -Feeling Good

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Precisa de ajuda? Quer organizar o seu guarda roupa? Duvidas para combinar peças que já tem? Entre também em contato pelo blog, ou pelo E-mail nunoalmeida61@gmail.com

60 Metros Quadrados Com Um Super Terraço!!!


A sala é muito pequena, mas é muito agradável graças á estufa, que lhe dá muito charme. Os sofás têm uma distribuição simétrica e oposta, foram escolhidos em uma cor verde água porque juntamente com o branco, é uma das cores que definem a decoração da casa. Além disso, sofás têm um truque, porque eles se transformam em uma cama confortável quando necessário. E os pufes, combinando, aumentam o espaço, e impedem que ele seja muito estático.

 

Toda reforma é a história de uma transformação. E no caso desta pequena casa em Sitges, província de Barcelona, a fábula do patinho feio que se transforma em um lindo cisne aconteceu. “Quando a vi pela primeira vez, queria fugir, muito escura, deprimente, cheia de umidade e com um pátio que parecia uma selva”, lembra Blanca, a proprietária. Apesar de tudo, ela deu a esta casa uma segunda chance. Mas desta vez ela foi acompanhada por  Gabriela Conde, estilista, decoradora de El Mueble e amiga íntima de Blanca. Se alguém pudesse fazer um milagre que fosse Gabriela.

Os escassos 60 m 2 desta casa foram espremidos ao máximo com soluções bem estudadas, e com móveis com mais de uma função. Com a ajuda da arquiteta técnica Blanca Figueras o pátio que era antes impraticável, foi transformado no oásis de paz que é agora. Para fazer isso, eles esvaziaram a terra inteira para nivelá-la e deixá-la como está, porque haviam três degraus que comiam todo o espaço. De fato, com 80 m 2 , o pátio é a parte mais utilizada da casa durante o verão.

Com o exterior sintonizado, o trabalho mudou para o interior, que foi completamente transformado. Aquela caverna escura e inexplorada, Gabriela transformou em uma casinha cheia de luz, com espaços otimizados e soluções quase mágicas. O grande sucesso e o que dá esse charme especial é a madeira que cobre as paredes, o piso e a cobertura do teto, tudo em branco. “Eu fui inspirada pelas casas nos Hamptons  mas com um ponto mais rústico, com madeira crua e toques vintage.” E foi um sucesso! “Agora é uma casa para onde sempre queremos voltar”, confessa Blanca.

Som de Ed Sheeran – Perfect

A meia parede que separa o quarto da cozinha foi decorada com uma lareira falsa, feita de madeira recuperada “para dar um pouco de graça a uma sala muito pequena”, explica Gaby. É um design feito sob medida pelo decorador. A tela, com diferentes corais, é um aceno para o mar tão perto.

 

A mesa de jantar, projetada pela decoradora, tem rodas para movê-la de acordo com as necessidades. Blanca gosta de receber em casa nessa mesa, que também serve como área de estudo e trabalho, já chegaram a reunir 10 pessoas. O armário é um projeto de Gabriela feito com ferros recuperados. “Eu tinha na minha cabeça a ideia de fazer um armário, mas não encontrava o que eu tinha em mente. E vagando pelo Antic Centro vi esses três ferros jogados no chão, e logo vi que era isso que eu precisava”.

 

“O espaço agora ocupado pela cozinha deve ter sido a sala de estar, mas Branca queria uma cozinha grande, porque é onde ela e suas filhas ficam no inverno. Por isso, trocaram, a cozinha de lugar, que é um dos maiores espaços da casa “, lembra Gabriela. Como está aberto para a sala de estar, também desfruta de muita luz natural.

 

Os móveis, feitos com madeira recuperada e acabamento fosco, dão uma aparência muito natural e aconchegante à cozinha. Para proteger a área do fogão, Gabriela optou por um vidro discreto, mas muito prático. “detesto cozinhas assépticas, então criei algumas prateleiras para deixar a louça à vista, dá mais vida.”  Os móveis foram projetados pela decoradora. Olmos.

 

Seguindo o estilo da cozinha, que tem um estilo vintage, foi escolhida uma pia em estilo, e para dar um ar de cabana foi criada uma placa de zinco decorativa, e que serve de anti respingo.

 

Tudo é mais do que pensado nesta casa. Como a ausência da geladeira. “Eu não coloquei a geladeira da cozinha, porque ela rompia com a estética. Portanto criei gavetas frigoríficas gigantes para ter à mão tudo o que uso diariamente .” Revestidas com a  frente do resto dos armários, passam completamente despercebidas.

 

Apesar de ser pequeno, parece uma suíte. “Eu abri a sala para evitar que fosse minusculo, e parece que a sala pertence ao quarto. As cortinas são muito leves e dão privacidade,” diz Gabriela. A cabeceira, feita com um tecido rústico, dá um toque especial e aconchegante.

 

As camas têm 135 cm, para que possam dormir quatro se forem amigas”, explica Gabriela. Eles foram projetados pela decoradora. Algumas caixas embutidas na frente dos beliches servem como mesas de cabeceira. A peça de mobiliário é uma peça recuperada e pintada.

 

O camarim, que era a antiga cozinha, foi aberto para o quarto das meninas para deixá-lo mais confortável, assim o quarto de Amelia e Clara não ficou tão confinado.

 

Como o resto da casa, o banheiro é pequeno, mas cada detalhe foi cuidado. O espelho do tipo livro, uma peça única recuperada do Cassai Home, e a cortina original do chuveiro, feita com uma rede de pescadores, dão charme, assim como as torneiras.

 

Além de dar o ar marroquino que a decoradora queria para o pátio, é muito agradável no verão. Refresca a atmosfera e o som da água é muito relaxante.

 

A casa fica abaixo do nível da rua, criando ainda mais a sensação de cabana escondida. Por ser acima de tudo, uma casa de verão, a designer de interiores Gabriela Conde, responsável pela reforma, instalou um chuveiro ao ar livre para limpar a areia da praia antes de se entrar na casa. Também é usado pelas filhas do proprietário, Clara e Amelia, como uma ducha ao ar livre descongestionando o único banheiro da casa.

 

A pérgula semi-suspensa fornece sombra para a área de refeições verão.  “Eu não queria para fazer um alpendre porque teria perdido grande parte do espaço. É por isso que eu escolhi esta pérgola, coberta com caniço, para dar um ar mais natural “, explica Gabriela. A mesa e os bancos, feitos de madeira bruta , foram feitos sob medida e desenhados pelo decorador.

 

Gabriela Conde é a decoradora desta casa. Comprou parte da mobília do pátio em Marrocos. ” Nós queríamos que fosse muito alegre e natural, com um ar marroquino. Daí a pequena fonte, que também me serviu para separar a sala de jantar. Unifiquei as paredes com esta cor de camelo”. Cadeiras de corda e mesas marroquinas. O piso, que simula o microcimento, é uma tinta epóxi especial para chão.

 

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Precisa de ajuda? Quer organizar o seu guarda roupa? Duvidas para combinar peças que já tem? Entre também em contato pelo blog, ou pelo E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Uma Casa Portuguesa!!!


Chegou a hora de contar e mostrar um pouco sobre a nossa casa, mostro tantas casas maravilhosas no blog e aproveito tantas ideias para mim mesmo que resolvi compartilhar com vocês o lugar onde me sinto mais feliz. Nos mudamos para este pequeno prédio de apenas três andares há aproximadamente cinco anos, e foi a melhor escolha que poderíamos ter feito. Anteriormente morávamos em uma casa enorme, no bairro Hugo Langue com três andares, um jardim enorme e espaço de sobra para uma família de seis pessoas. Eu e Ruth temos quatro filhas, Manuela, Carolina e as gêmeas Joana e Lucia. É uma família grande e a casa acompanhou todo o crescimento das quatro crianças. Muito espaço para brincadeiras, e uma área externa que sempre foi muito bem utilizada, tanto pelas nossas filhas como pelos cinco cachorros que tínhamos na época. Construímos até uma casa de madeira em cima de uma grande árvore, na parte frontal da casa para as crianças. Fomos muito felizes neste lugar, e recordo com saudades do tempo em que ali vivemos cada vez que passo perto. Foi nessa casa que nos casámos, em um almoço fantástico, com nossos familiares e melhores amigos, não foi um casamento de arromba, mas foi um casamento que as pessoas se lembram até hoje, 20 anos depois.

Bom, as crianças cresceram, a casa se tornou grande demais, havia salas que nem usávamos mais, só quando recebíamos, e as despesas de um lugar grande são sempre enormes, jardineiro, empregados, segurança etc, etc. Decidimos mudar para um apartamento, em princípio nas redondezas, já que o bairro era conhecido e bastante sossegado. Eu sempre quis uma varanda grande, que suprisse a falta do nosso jardim. Procurei durante quase um ano pelo lugar dos nossos sonhos em todas as agências imobiliárias pela internet, até que vi as fotos deste apartamento, e de cara quis que fosse nosso. Tinha apenas um problema, só dois quartos para seis pessoas. Parecia impossível, mas a todo custo quis ver ao vivo. Nos encantamos na primeira visita e já fazíamos planos para nos adaptarmos a este espaço, principalmente pela área externa, que nos levou a fechar negócio. Um apartamento no primeiro andar, com uma área externa em que eu já planejava fazer um pequeno jardim? Não tinha muito o que pensar. O segundo quarto era gigante e foi transformado em 2 quartos menores, cada um com duas camas. Paredes foram derrubadas, portas foram abertas e banheiros foram completamente destruídos e renovados.

Como encaixar móveis de uma casa com 800 metros quadrados em um espaço bem menor? Isso também foi fácil, mas ao mesmo tempo dolorido para mim que sou apegado aos meus móveis, mas sabia que era um novo momento na nossa vida e que a página tinha que ser virada. Separamos as peças mais importantes, as que nos traziam recordações de família, coisas herdadas e trazidas de viagens memoráveis, e o resto foi vendido em um Garage Sale pelo Facebook. Tudo vendido, e assim nos mudamos em um feriado de Carnaval. As crianças foram para casa dos avós, eu e Ruth trabalhamos sem parar, e na quanta feira de cinzas a casa estava montada e pronta para ser habitada.

Eu sempre gostei de decoração de interiores, adoro fazer cenários e mudanças na casa. Um sofá revestido de um outro tecido, paredes pintadas de outra cor, móveis que mudam de lugar, isso eu faço constantemente e parece que sempre fica melhor, o espaço e a circulação melhoram. Casa para mim tem que ter história e tem que ser cheia, acho espaços clean muito impessoais, tipo saguão de entrada de um hotel. Claro que chega uma hora que não cabe mais nada e aí só compro se tiver que me desfazer de alguma outra peça, é muito bom entrar em uma loja de móveis ou coisas de casa e pensar “é tudo lindo demais, mas não preciso e não tenho mais espaço”, é libertador. Me lembro sempre de quando era menor e adorava olhar para dentro dos apartamentos quando passeávamos de noite, e ver como as pessoas viviam, o que aparecia no pequeno quadrado das janelas, já naquela época eu era um apreciador de decoração de interiores.

As crianças não são mais crianças (que pena), a mais velha, Manuela foi morar sozinha a duas quadras da nossa casa, Carolina, a do meio foi morar no Rio de Janeiro com a avó, as gêmeas continuam morando conosco por enquanto, e aí a última reforma foi fazer um quarto para cada uma. Aqui em casa as reformas nunca terminam, sempre tem alguma coisa a ser melhorada ou modernizada, nada pior do que uma casa que não se renova, tem gente que mora com a mesma decoração dos anos 70, o mesmo papel de parede, o mesmo tecido nos sofás, bom, tem gente que não liga a mínima para onde mora nénom? Acho triste e deprimente. Muito bem vindos á nossa casa em que estilos se misturam, o moderno se dá com o mais antigo, antiguidades convivem com objetos de design, um apartamento com cara de casa, uma casa com cara de loft. Boa semana para todos!!!!

Som de Justin Timberlake – Say Something

 

 

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Precisa de ajuda? Quer organizar o seu guarda roupa? Duvidas para combinar peças que já tem? Entre também em contato pelo blog, ou pelo E-mail nunoalmeida61@gmail.com