A Camisa Polo !!!


Uma das peças queridinhas do guarda-roupa de muitos homens, sua praticidade e seu estilo versátil são perfeitos para montar visuais básicos, sem muitos segredos, mas que ficam com um estilo super elegante e perfeito. Sabe a famosa camisa polo? Que o brasileiro adora rotular como uniforme de playboy e “coxinha”? Ela é utilizada como uma opção menos formal que a camisa social e mais formal que a camiseta. Mas sabia que ela foi feita originalmente para ser usada em um esporte? Aí você pensa “claro que sabia, olha o nome dela, foi feita para jogar polo”. Errou. Ela foi feita para jogar tênis! E sua história se confunde com a de uma marca bem famosa.

A camisa polo foi inventada em 1926 ,  pelo jogador de tênis, Jean René Lacoste (Le Crocodile), de onde vem o logotipo da marca francesa Lacoste.
Lacoste foi o principal responsável pela primeira vitória de seu país na Taça Davis e colecionou títulos nos famosos torneios de Roland Garros, Wimbledon e Forrest Hills.
O apelido foi dado pela  agência de notícias Associated Press, quando  ex-jogador de tênis René Lacoste apostou que faria um bom jogo com o capitão da seleção francesa, durante a tradicional Taça Davis em 1923. O prêmio seria uma mala, confeccionada com pele de crocodilo. Mais do que a mala envolvida na aposta, René ganhou o apelido do próprio animal. Seu amigo ilustrador, Robert George, desenhou-lhe então um crocodilo que foi bordado no blazer que usava nas quadras de tênis.
O tenista gostou tanto da “brincadeira” que mandou confeccionar para seu uso pessoal um lote de camisas em algodão com uma malha ventilada e confortável, produto que virou a sua marca registrada.
Lacoste achava que as camisas com colarinho duro e gravata  usadas   para praticar tênis na época , eram  pesadas e desconfortáveis,  eram incômodas camisas de estilo clássico, em tecido tramado com duas teias, de mangas compridas.
Já as suas confortáveis camisas pólo, ele  usava  com a gola levantada a fim de evitar as queimaduras de sol. Somente quando a camisa se popularizou  que as golas passaram a serem usadas abaixadas.
A partir daí os tenistas, os jogadores de pólo e os de golfe passaram a usar a peça como uniforme o estilo das camisas criadas por René já invadiram a moda nas ruas e celebridades aderiram ao modelo. Até mulheres como Jacqueline Kennedy Onassis e Audrey Hepburn usaram o modelo diversas vezes.
Em 1972, Ralph Lauren pegou a camisa polo para sua própria linha, estabelecendo sua empresa de vestuário casual que seria a partir de então conhecido como “Polo”, uma ode ao esporte dos ricos e, portanto, um símbolo de destaque. Ele manteve o logotipo do polo player como um símbolo de sua marca. A partir do momento que Lauren começou a fazê-las, a camisa foi adotada em mais e mais armários dos homens. Usar a camisa transformou-se um símbolo do status.
Hoje em dia existem diversos modelos, cores e cortes diferentes para as camisas mas a modelagem tradicional continua, mantendo o visual mais sofisticado e básico. Usar uma camisa pólo é a opção perfeita para quem quer incrementar a produção e sair do estilo despojado sem apostar em muitas peças.
Esse é um item praticamente obrigatório no vestuário masculino, uma vez que consegue muito bem ser casual e chique ao mesmo tempo, podendo ser usado em inúmeras situações. Além disso, É o tipo de peça masculina que nunca sai de moda e que pode ser utilizada nas mais diversas ocasiões e de várias maneiras, com shorts, jeans, calça de alfaiataria, blazer, cardigan e por aí vai. Confiram nas fotos abaixo vários exemplos.
Som de Craig David – Walking Away

a
 a
a
a
a
a
a
a
a
a
Precisa de ajuda? Quer organizar o seu guarda roupa? Duvidas para combinar peças que já tem? Entre em contato pelo blog, ou pelo E-mail nunoalmeida61@gmail.com
Anúncios

Um Amor De Verão !!!!


Amores de Verão, intensos, românticos, inesquecíveis!!!! Como esta casa no campo, onde o dono e sua família relaxam e são felizes. “Há 30 anos, alguns membros da família nos convidaram para ver uma casa que eles tinham acabado de construir nesta pequena cidade de Segóvia, na Espanha. Nós nos apaixonamos imediatamente pelo local”, diz Sofia Calleja, decoradora do SCV Estudio.  “Era uma aldeia autêntica, com seus animais de fazenda e uma padaria com forno de barro, o único lugar para comprar pão.” Daqueles lugares onde parece que o tempo parou.

As crianças de Sofia eram pequenas e as férias em família na natureza eram um plano perfeito, então eles compraram um terreno onde existia essa casa encantadora. “Era muito claro para nós que deveria ser um pequeno abrigo, fácil de manter. Sempre amei essas casas de campo com portas e toda a carpintaria pintada de branco, então a pintamos assim”.

As crianças cresceram e Sofia e seu marido continuaram indo, fieis à sua casa. Nós entramos e nos transportamos para outra época. No corredor, deixamos a altura dupla do teto para dar mais sensação de amplitude. “O chão é feito de ardósia natural. Para torná-lo mais aconchegante, colocamos tapetes de vime e cortinas de linho duplas.” A atmosfera é maravilhosa, mas aconchegante. Qual o segredo? “A chave é escolher cores claras e relaxantes e procurar materiais e tecidos naturais”. Na sala também há truques de quem sabe o que faz, a mesa de centro, estofada com um algodão listrado, é um pufe/mesa que serve tanto para o café como para relaxar com as pernas para cima. Não se esqueçam que esta é uma casa para descansar!!!

A cozinha parece de brinquedo, pequena, mas muito prática. Foram usados azulejos brancos originais, e uma bancada de ardósia natural. Uma cozinha típica da aldeia, onde os módulos baixos são cobertos com cortinas de linho rústico branco. Sua distribuição funcional em paralelo leva ao exterior, ao canto de estar no jardim, facilitando as tarefas de trazer lanches e refeições de um lugar para outro.

Subindo até o andar de cima, uma charmosa escada de madeira nos leva aos diferentes cômodos e ao banheiro, também rústico como o restante da casa. O quarto principal me encantou e me fez lembrar do filme “Little Women”. “Eu queria dar uma sensação romântica e muito rural com o tecido de linho florido em cores suaves e as mesas de cabeceira brancas. Pintei toda a carpintaria branca para obter mais luz. O pequeno balcão da janela é onde os pássaros veem buscar comida. É uma história de amor rural ou não”?

Sofia e sua família aproveitam o jardim desde o café da manhã até o jantar. “Nós cobrimos tudo com ardósia e construímos um lugar onde plantamos algumas frutas. As espreguiçadeiras são o nosso lugar favorito para passar o tempo, tomando um chá verde frio e olhando para as estrelas …” As mesas laterais são boas companheiras para atender às necessidades de cada momento. O detalhe definitivo para uma atmosfera de boa noite? Uma guirlanda de luzes e lanternas.

Esta é a história de um amor de verão que se repete a cada ano por três décadas. Sofia e sua família aproveitam esta casa durante feriados e fins de semana. Um amor que perdura. Este é um grande e verdadeiro amor !!!! ❤

Som de James Taylor – That’s Me Upon The Jukebox

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Arnaldo Danemberg !!!!!


“Que sorte você teve!”. A frase, proferida por Tilde Canti, papisa do mobiliário brasileiro, marcou os primeiros passos do então iniciante Arnaldo Danemberg no universo do antiquariato. Na ocasião, o rapaz, que costumava sugerir ao pai a compra de diversos itens para a casa (tais como porcelana, mobiliário e toalhas antigas), acabava de comprar um par de cadeiras brasileiras Dona Maria I/Sheraton Brasileiro. E foi a partir dali que o carioca, fiel frequentador de diferentes leilões de arte no Rio de Janeiro, dava os primeiros passos no ofício que o acompanharia por mais de três décadas.

O resultado de anos de trabalho pode ser conferido no endereço da Avenida Atlântica, no edifício Chopin, ao lado do Copacabana Palace. É ali que o profissional guarda suas peças preciosas, frutos de pesquisas em museus e o caminhar pelo interior da Europa, em fazendas, feiras e leilões, locais especiais para o encontro de mobiliário e muita história. Baús, mesas e cadeiras em madeira, além das porcelanas, são alguns dos achados do Antiquário que leva o nome do dono.

O antiquário carioca Arnaldo Danemberg se sente à vontade em São Paulo. “Eu me estabeleci aqui. Sou parte da cidade e a cidade é parte de mim.” Há um ano e dois meses ele se transferiu de um apart-hotel para este pied-à-terre no Jardim Paulista, a poucos metros da filial do seu novo antiquário, abertura que motivou sua vinda para a capital paulista. Enquanto sua mulher, a psicanalista Katia Danemberg, com quem é casado há 35 anos, estabelece as regras decorativas no apartamento da família no Leblon, no Rio de Janeiro, este território paulistano reflete em seus elementos (e nos detalhes) o gosto, a trajetória e a alma de Arnaldo.

A sala de jantar expressa o bom mix do apartamento. Ao redor da mesa francesa Luís Filipe, de nogueira, do século 19, um baile de cadeiras nacionais: exemplares da Regência Inglesa e do estilo D.Maria no país, do hibridismo brasileiro e do neoclassicismo inglês convivem em harmonia, num décor que ainda passeia pelos cristais, pela porcelana e pela fotografia, por vezes, dos séculos 20 e 21.

No living, uma parada triunfal. “Veja esta mesa lateral do início do século 19, de cerejeira. Um mel! É macia. É o tempo…”, diz Arnaldo, enquanto acaricia a madeira. Junto ao armário francês do final dos anos 1800, feito de carvalho dourado, ele aponta para a marchetaria delicada que enobrece ainda mais o móvel, no qual se veem pereira e marfim.

Seguem-se um baú espanhol de exército, uma mesa anglo-indiana de teca e carvalho, uma mesa de ourives portuguesa que serviu de altar no casamento de sua filha (ele, aliás, comprou o ateliê inteiro do fornecedor) e uma série de outras relíquias.

Som de Nina Simone – Feeling Good

 

No Interior Da França !!!!!


Nesta bela casa de campo francesa há inúmeros detalhes na decoração, e dos mais variados estilos. Olhando de repente parece que o interior está ligeiramente confuso, mas olhando com mais atenção aos detalhes, toda a casa começa a evocar apenas ternura e muito charme. Quadros, pratos, figurinhas de animais e antiguidades, nesta casa podemos sentir a alma e a vida real. Os franceses são fantásticos para criar espaços como estes. Não consigo entender como tem gente que só gosta de coisas modernas, como tem gente que gosta de casa clean. Queria ter encontrado mais fotos desta casa, mas infelizmente não consegui, vou ficar mortalmente curioso com o resto da casa. Um bom fim de semana para todos vocês e continuação de um ótimo feriado!!!!!

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

A Casa de Brady Tolbert !!!


Uma sala de estar, com paredes básicas em bege e branco e um sofá de veludo cinza, com esta descrição  não se espera muito da casa do designer Brady Tolbert. Adicionemos as luminárias elegantes, que apresentam uma estrutura na forma de globo dourado, tapetes brancos e plantas, e temos uma área convidativa de sala de estar, que qualquer visitante ficará encantado. Um espaço onde você pode relaxar e aproveitar o tempo com a família e os amigos depois de um dia difícil.

As áreas da cozinha e da sala de jantar também combinam maravilhosamente. A cozinha tem bastante dourado, com uma luminária dupla pendurada no centro deste espaço. As prateleiras abertas, sustentadas por mãos francesas de metal dourado, ajudam a criar uma sensação de espaço maior, os objetos de madeira assim como as muitas panelas de cobre quebram a rigidez do branco total. Panelas de cobre penduradas, ao lado do canto do café, criam um espaço acolhedor e convidativo para as visitas. Um fogão a gás completamente branco, e a geladeira preta são os destaques nesta cozinha.
Um recanto de refeições cria uma atmosfera acolhedora e convidativa, para desfrutar de uma xícara de café da manhã ou almoço simples com familiares e amigos. A mesa branca com cadeiras de aço dourado e assentos pretos conversam perfeitamente e o padrão do piso xadrez preto e branco, criando um tema único.
O quarto principal possui luminárias de chão e de parede trazendo mais luz indireta para este cômodo. Uma cama grande, com um banco de madeira aos pés, para armazenamento, oferece um espaço limpo e acolhedor para relaxar no final do dia. As ripas de madeira penduradas nas paredes são perfeitas para armazenamento, ou mesmo para adicionar alguma decoração. Uma cadeira de canto, com peças de arte distintas na parede, convida á leitura de um bom livro. É o quarto mais despojado deste apartamento.
Um banheiro com temática vintage é a paixão deste morador. Um espelho simples com moldura em ouro (encontrado em toda a casa), pia branca, paredes de azulejos e velas perfumadas, completam o espaço perfeitamente. Vocês podem observar o estilo vintage, com um toque moderno de peças como os metais, criando um espaço verdadeiramente espetacular.
Brady Tolbert nasceu e cresceu em Utah, e adquiriu esta casa onde mora há aproximadamente 4 anos. “Desde uma idade muito jovem, sempre prestei muita atenção ao design das formas, que as pessoas que me rodeavam não entendiam muito bem. Alguns chamaram isso de “especial”, minha avó chamou isso de “consciente” e minha mãe chamou isso de “normal”. Mas, o amor e o desejo do que eu chamo de design me levaram a uma vida abundante em criatividade. Tudo o que acabou acontecendo durante meu tempo na escola deve ter funcionado quando comecei a trabalhar como estagiário sob o comando de Frank Gehry, em Washington, DC”.
Som de Michael Kiwanuka – Cold Little Heart

 a
 a
 a
 a
 a
 a
 a
 a
a
 a
 a
a
a
 a
 a
 a
a
 a
 a
 a
 a
 a
a
 a
a
Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Um Loft Industrial!!!!!


Um loft maravilhosamente escondido no coração de Jordaan, o bairro mais descolado de Amsterdã com cerca de 371m2 com jardim e pátio é único por várias razões. O layout, os toques finais, as possibilidades de combinar vida do dia a dia com o trabalho, os materiais bonitos, a sensação ao mesmo tempo intimista e calma no meio da cidade. Este lugar é realmente maravilhoso, com toda a beleza de Amsterdã literalmente ao virar da esquina.

A casa tem uma profundidade única e está dividida em três andares. Uma série de características especiais deste loft são: Um estúdio totalmente independente com sua própria entrada, os tetos com vigas antigas de madeira, lindas paredes de tijolo á vista, a profundidade da propriedade, alguns lugares com uma altura de quase 6 metros! A grande cozinha aberta está  equipada e localizada no centro da casa e perto do jardim, o que torna o interior e exterior quase uma coisa só.

Às vezes, quando estou pesquisando inspiração, há casas que me encantam imediatamente. Este loft no centro da cidade de Amsterdã é definitivamente uma dessas casas. A casa é um enorme, tem um pátio acolhedor e até mesmo um estúdio separado no último andar. As paredes expostas de tijolo e aço dão à casa uma vibração industrial, mas também muito acolhedora, um verdadeiro luxo.

Som de Don McLean – Vincent

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Hotel 1898 The Post !!!!


Olhando de um lado para a Igreja de São Nicolau, na cidade de Gante, e de outro para o Graslei , um cais na margem direita do rio Leie, temos este hotel maravilhoso, o 1898 The Post, que ocupa um lugar de referência literal no centro histórico da cidade belga. O novo hotel de luxo, de propriedade do Grupo Zannier, está a poucos passos de distância das outras duas famosas torres de Gante – a Catedral de Saint Bavo e the Belfry e está localizado onde era há tempos atrás, um grande escritório de correios, que ainda possui a torre do relógio com 54 metros de altura.

Projetado em estilo neogótico pelo arquiteto Louis Cloquet, que iniciou a construção do prédio em 1898, o hotel abrange dois andares, tem 38 quartos unidos através de seu design contemporâneo e historicamente respeitoso com a assinatura de Geraldine Dohogne. Uma tonalidade verde escura nas paredes, azulejos de mármore dos banheiros em formas octogonais e acessórios retro em bronze escuro são acabamentos simples e contemporâneos que elevam os antigos móveis e a decoração interna, dando-lhes um ar pessoal.

Os quartos recebem nomes de acordo com o seu tamanho, das antigas salas onde eram carimbadas as cartas, que medem 19 metros quadrados, até a suite mais luxuosa, o Loft, de 65 metros quadrados. A maioria dos quartos tem tetos de altura dupla e pavimentos em madeira, aumentando a sensação de espaço. A Tower Suite, embora não seja o maior quarto, medindo 36 metros quadrados, é o espaço mais marcante. Com suas vistas de 360 ​​graus da cidade circundante e seu design duplex octogonal, ficar aqui é uma experiência de conto de fadas.

O espaço compartilhado, como The Kitchen e o Cobbler – uma acolhedora sala de estar com lareira e um exclusivo bar de cocktails, respiram uma atmosfera de tempos passados, com pinturas e livros como adereços. Os esboços iniciais de Cloquet criam o corredor que conduz à área de recepção e os selos de cera das famílias aristocráticas mais antigas da Bélgica são transformados em quadros, enquanto os cartões postais autênticos do início do século XX se situam no topo das mesas de cabeceira.

Todos esses detalhes minimamente pensados, juntamente com a conservação dos caixilhos de janelas originais, escadas, partes de pedra dos andares, gárgulas e estátuas expressivas da fachada, fazem com que os hóspedes do 1898 The Post tenham uma experiência de hospitalidade intrigante, confortável e tranquila.

Som de Boy George – Crying Game

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com