Grey House !!!!!


“Eu não sei por que sou atraído por coisas mortas”, diz o designer de interiores Sean Anderson quando fala da casa de East Memphis, que ele compartilha com seu parceiro e seus cães, Bentley, Watson e Cooper. “Eu sou atraído pela escuridão, gosto do mistério e da masculinidade que vem com a paleta”, diz ele, admirando a sensualidade incomparável do tom escuro comparado com outras cores.

Anderson gosta tanto de tons escuros que, quando o casal abandonou Memphis  e encontrou sua “casa para toda a vida” em cinco hectares arborizados e rodeados por fazendas de cavalos, Anderson decidiu pintar a área externa e interna com cores escuras.

“Talvez, isso venha da minha infância no Mississippi rural. Passei a maior parte do meu tempo ao ar livre, caçando tesouros e construindo fortes. E até hoje, a natureza é uma das minhas maiores inspirações”.

As coleções de insetos, os chifres de animais e as madeiras brutas colocados de uma forma estudada ao longo da casa de quatro quartos e quatro banheiros, são escolhas de design extraídas de memórias de infância, na mesma terra em que seu avô era fazendeiro. Anderson estima que esta casa tenha sido construída no final dos anos 80, ela tem três telhados inclinados, típicos de uma casa de estilo Tudor, mas o preto traz uma estética mais contemporânea, enquanto as persianas adicionam um toque de cor.

É um trabalho contínuo explica Anderson, e atualmente estão consultando um arquiteto sobre maneiras de retrabalhar a pegada desta casa para alcançar seu objetivo final, “uma fazenda moderna”.

Os interiores sempre foram encantadores, o suficiente para que o casal tivesse mantido da mesma forma como era quando eles receberam as chaves, e tiveram tempo suficiente para ver como os espaços acabariam sendo usados ​​antes que Anderson fizesse alguma alteração. “Uma casa conta a sua história, é a sua representação genuína, ou deveria ser “.  Ao trabalhar com seus clientes, há um equilíbrio diferente, mas quando se trata de equipar seu próprio espaço, Anderson quis criar um ambiente que imediatamente transmitisse quem ele é para qualquer visita que entrasse sem o conhecer.

Para adicionar profundidade, os pisos foram pintados de branco, um elemento que Anderson diz que realmente faz com que a casa fique mais luminosa. “É estranho porque sempre fui adepto do menos é mais, mas com esta paleta de cores e a decisão de desenterrar um sótão cheio de itens que ele estava coletando e escondendo “, agora é uma casa onde mais é mais”, ironiza.

E então, esses itens encontraram novos lugares dentro da casa de Anderson, uma coleção que é eclética, pessoal, e para alguns, um pouco intimidante.

Na sala de estar, a mesa de centro é uma porta de alçapão desgastada, e acima dela, entre outras 20 peças, uma  fotografia em preto e branco emoldurada de uma equipe de remo dos anos 1940, com a qual Anderson não possui nenhuma relação, a não ser a estética.

O casal achou que a sala de jantar, cheia de luz era muito formal  “essa não é a vida que levamos”, explicou. “Eu converti isso em uma sala de estar para café da manhã, e nós usamos todos os dias desde então”.

Foi usada uma parede inteira para exibir o segundo mural da galeria da casa (porque mais é mais, lembrem-se), um tributo não oficial ao homem que o criou. As flechas, exibidas dentro de nichos, vieram da casa de seus pais, no  Mississippi.  “Meu avô encontrou-as quando ele estava cultivando a terra”, acrescenta. Debaixo deles há uma antiga bancada industrial belga, bem desgastada  que Anderson considera uma de suas descobertas favoritas.

Curiosamente, a afinidade de Anderson pela “caçada”, por descobrir novos usos para as coisas antigas, pelo mistério e pela masculinidade por trás de uma escolha de cor não convencional, é transferida para aqueles que superam o limite. “Quando recebemos, os hóspedes sempre dizem, oh, nunca tinha visto isso”, diz ele. É um espaço semelhante a um museu que, com toda a probabilidade, continuará a evoluir. “Eu nunca pensei – encontrei a peça perfeita, mas para onde vai? ” O que funciona para mim é o inesperado. Se eu adorar, eu compro. Eu sei que irá encontrar organicamente seu espaço, em algum lugar, entre todos os seus opostos “.

Som maravilhoso de Ellie Goulding – Your Song

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s