Uma Casa Na Floresta!!!!


Se vocês já sonharam como eu, com uma casa no meio da floresta selvagem, há uma boa chance de que ela seja mais ou menos como esta. Os proprietários desta magnífica casa de campo nos Estados Unidos têm a sorte de viver neste  lugar de conto de fadas.

Tamanho não é documento, como esta família do sul da Califórnia descobriu durante visitas ao seu retiro de férias, em St. Helena. “Queríamos construir uma segunda casa para os hóspedes e nós ficaríamos na casa principal”, diz a esposa. “Mas à medida que o tempo passou, percebemos que queríamos uma estrutura menor e mais eficiente para nós.”  Trabalhando com o arquiteto Lucas Wade e a designer Jennifer R. Macdonald, o casal queria uma estrutura que parecesse local, e com esse conceito, a casa começou a tomar forma. “Muitas vezes, quando você está nesta região de vinhos, há uma tendência natural para um estilo de celeiro ou uma construção agrícola”, diz Wade.” Mas esta casa parece com uma cabine de bosque envolta por uma varanda. É acolhedora, mas ao mesmo tempo arejada, um verdadeiro ninho com uma vista de perder o fôlego.

Embora a paisagem ao redor, com suas vinícolas e montanhas ao fundo fosse infinita, havia um limite, nesta região para a área construída, e desta forma Wade optou por criar uma sensação de espaço, através do máximo aproveitamento da luz natural. As paredes externas parecem texturizadas, e são de cedro vermelho patinado. A pedra da lareira externa é da própria região, e o arquiteto maximizou o uso de vidro, em portas e janelas. Além disso, ele projetou um monitor de luz, feito de altas janelas com grades, para trazer a luz salpicada para baixo através do grande dossel de árvores.

Dentro dessa concha cheia de luz, Wade e Macdonald, que trabalham juntos há bastante tempo, assim como neste projeto, escolheram uma paleta básica de materiais internos. “Foi importante trabalhar no design interno logo no início do projeto, de modo a que todos os acabamentos e cores combinassem perfeitamente”, diz Macdonald. Para isso a dupla cobriu as paredes interiores com madeira recuperada e depois aterrou o espaço com pisos de concreto. Elementos em  aço, dão leveza ao excesso de madeira.

Na organização do layout, Wade manteve os principais espaços comuns em uma grande sala com cozinha separada, sala de jantar e áreas de estar. Uma escada conduz a um loft de dormir aberto. Dada a natureza aberta de todo este projeto, Macdonald trabalhou com uma paleta de cores de várias tonalidades de cinza verde e prateado inspirado na paisagem. Ela escolheu um verde profundo para os armários da cozinha e fez uma parede de azulejos espelhados atrás da área do fogão. Ela também teve um grande cuidado ao selecionar ou projetar os móveis para que estivessem de acordo com a escala da sala. “Mas algumas coisas tiveram que ser colocadas e direcionadas para fora, aproveitando a vista maravilhosa e também para ser funcional para a família.” Para ajudar a atender a essas metas, ela desenhou um sofá e chaise para a área de estar e ainda definiu o espaço com um tapete de lã. Uma grande mesa externa de jantar faz também um recanto para leitura, e para o loft de dormir no andar de cima, Macdonald colocou duas camas individuais feitas com rodízios para acomodar o casal de filhos adolescentes ou os hóspedes que os visitarem.

Além dos espaços arejados, o construtor Andy Bannister também teve de lidar com tudo o que acontece nos bastidores. “Parte do desafio de uma casa menor é que ela ainda tem todos os componentes de uma casa grande”, observa Bannister. “Tivemos de harmonizar e sincronizar, para fazer com que todos os componentes elétricos, como a fiação, combinassem com o teto de vigas expostas.”

Outra característica do conceito aberto veio com o design do quarto principal. Lá, o quarto é envolvente, e Wade adicionou uma varando com telhado, criando um efeito de sala-dentro-de-um-quarto. Macdonald escolheu a paleta de cores inspirada na natureza para o quarto, e incluiu acentos de ametista pálido. Assim como no quarto principal, a relação de trabalho entre Wade e Macdonald é evidente em toda a casa. Eles criam projetos onde o design interior não se sobrepõe sobre a arquitetura. “Em vez disso, ele fica embutido dentro dela.” Adiciona Macdonald: “. Quando os materiais interiores, acabamentos e móveis complementam a arquitetura, a linha entre arquitetura e design é bem tênue”

Fundir a linha entre a casa e seus arredores foi a tarefa da paisagista Claudia Schmidt, que incorporou uma combinação de pedras, gramíneas nativas, arbustos e plantas perenes na propriedade em declive. “Eu usei gramíneas baixas e perenes para dar uma sensação de prado, que deixou a casa aberta para a vista”, diz Schmidt. “Nós também adicionamos árvores nativas para partes da floresta existentes, com interesse sazonal.”  Para os proprietários, a casa de hóspedes, que eles chamam de casa de campo, está bem melhor do que eles poderiam ter imaginado. “Nós preferimos espaços menores, e nem ficou tão pequeno assim”, diz a esposa. “Nos fez ver que não precisamos de muito para viver de forma simples e confortável.”  Tudo bem, nem tão simples assim, e nem tão pequeno assim não é???

Som de Genesis – Afterglow

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s