Uma Casa Vitoriana em Londres!!!


No final de uma tranquila rua sem saída, no sudoeste de Londres, com uma cerca de treliça, rosas e um jardim murado de 27 metros de comprimento, está a casa da designer de interiores Louise Jones. Difícil acreditar que estamos a apenas 40 minutos de West End, região do centro de Londres que tem muitas das atrações turísticas da cidade. Originalmente de Lancashire, Louise começou a trabalhar em contabilidade, mas não era o que ela gostava. Após 18 meses, ela se matriculou em um longo curso na Escola de design Inchbald, e passou a trabalhar no Chelsea Textiles, antes de responder a um anúncio de emprego para contador na Todhunter Earle. “Minha irmã sugeriu que poderia ser uma forma de conhecer o lado do design no trabalho, e foi o que aconteceu”, diz Louise.

Depois de oito anos de estudo, Louise criou a sua própria empresa em 2001. Hoje, ela lidera uma equipe de sete pessoas, que supervisionam seis ou sete projetos simultâneos no seu escritório em  Richmond Comum. A casa em estilo vitoriano que ela comprou há alguns anos é bem perto. A casa foi anteriormente ocupada por um inquilino bem idoso que morou lá por toda a sua vida, e a empresa que detinha a casa não tinha investido um centavo na sua manutenção, e embora em péssimo estado, Louise percebeu que tinha um enorme potencial.

A casa permaneceu desta forma desde os anos setenta, e como estava encostada em um campo de jogos de uma escola adjacente, havia espaço suficiente para permitir uma obra que duplicasse o seu tamanho. Foi feito um projeto para criar uma extensão de mais um andar ao longo de um lado da casa e uma extensão de um só piso revestido em madeira na parte de trás, que formam um L em torno da casa. Na parte da frente da sala de estar principal, portas duplas recuperadas abrem-se para o hall de entrada, bengaleiro e uma nova escadaria na extensão lateral que leva até dois quartos na parte original da casa, e a um quarto de vestir e dois novos banheiros na extensão lateral.

Com a ajuda do construtor John Lumsden, os dois quartos no piso térreo, cada um com lareiras originais, foram abertos para formar uma confortável sala de estar. Na parte de trás, uma porta leva para a nova cozinha e sala de jantar e a partir daqui podemos chegar a uma segunda sala de estar na parte de trás da casa. Para decorar sua própria casa, Louise estava determinada a não fazer os interiores muito sofisticados. “É essencialmente um cottage de um trabalhador e eu queria que tivesse um ar inglês e ao mesmo tempo rústico”.  Ela comprou peças que não parecessem novas para dar a impressão de sempre terem estado lá. É um estilo que toma bastante tempo.

Algumas das luminárias e tecidos para cortinas foram comprados em férias na Índia, e ela selecionou vários de seus papeis de parede favoritos e tecidos descobertos ao longo dos anos de trabalho em projetos para decorar o resto da casa. Ela está sempre à procura de obras de arte para seus clientes, mas em sua própria casa são suas raízes do norte que são mais evidentes. “Eu passo muito tempo em Lake District e grande parte da arte é relevante para essa área.”

O jardim é sua parte preferida e bastante usado.  “É um lugar maravilhoso para voltar a cada noite. Os vizinhos de rua chamam esta casa de Downton Abbey !!!!!

Som de Tracy Chapman – Crossroads

O hall de entrada em azul tem piso em laje e uma tampa de radiador  em madeira pintada. A comoda georgiana de mogno com gavetas foi comprada em um antiquário local.

 

Na parte original da casa, a sala de estar tem uma paleta de cores quentes, com paredes pintadas em ocre pálido e cortinas no mesmo tom.

 

Louise herdou muito mobiliário, incluindo este aparador de sofá com duas folhas que se abrem, do século XVIII e que fica na sala de estar. Ele é coberto com coleções de cerâmica e uma luminária com um abajur pintado à mão.

 

Um par de luminárias de parede Charles Saunders em forma de folhas de carvalho penduradas em ambos os lados de um espelho na sala de estar. Duas cestas de vime abaixo estão cheias de lenha.

 

A acolhedora sala de estar em tons de ocre é o lugar onde Louise expõe peças recolhidas ao longo dos anos. Luminárias foram convenientemente colocadas perto das poltronas para noites de leitura.

 

Recuperadas, as portas duplas na sala de estar abrem-se para a nova escada. Tons ocres cremosos esfriam os azuis e verdes.

 

A cozinha tem armários tradicionais em pinho, confeccionados por um marceneiro conhecido da família.

 

A ilha da cozinha demarca uma área de jantar informal.

 

Na parte de trás da casa, há uma segunda sala de estar, mais informal, com vista para o jardim.

 

Uma vista do jardim para a extensão construída recentemente.

 

Uma porção de vasos no jardim recebem uma coleção alegre de gerânios, cosmos, hortênsias e lobélias.

 

Um arco de rosas no jardim leva até a parte externa para momentos de relaxamento.

 

No quarto de hóspedes as cortinas são de algodão estampado, e o papel de parede é um dos preferidos da proprietária.

 

Quarto principal.

 

Um pequeno lavabo foi forrado com um papel de parede de tulipas, que recebe lado a lado móveis de bambu.

 

O rosa dá o tom neste banheiro do primeiro andar. A banheira de ferro fundido pintado foi comprada em antiquário, assim como o enorme espelho dourado. Os azulejos foram sobra de uma obra desta designer.

 

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s