Marc Jacobs !!!!!!!


 

Marc Jacobs gosta de provocar. Aqueles que têm seguido a sua carreira ao longo das últimas três décadas já estão acostumados a ver este fashion designer do jet set em campanhas e fotos polêmicas. No Costume Institute Gala do Metropolitan Museum of Art, em Nova York apareceu em um vestido de renda preta, com um bermudão branco por baixo, nos pés sapatos com enormes fivelas de strass, ele é um dos atuais adeptos do uso de saia para os homens, e ele consegue carregar uma saia como ninguém.

Considerando-se o temperamento e comportamento midiático de Jacobs, é de se esperar que a sua casa em Manhattan tivesse um espírito semelhante, um pouco irreverente, ou na falta de uma palavra melhor, quase funky. Mas surpreendentemente não é nenhuma dessas coisas, muito pelo contrário. Impecavelmente decorados, os quatro andares desta townhouse em Greenwich Village, evocam o ar de elegância chic da velha escola, lembrando as residências de sonho de antigos estilistas que antecederam Jacobs. Pensem no apartamento de Yves Saint Laurent em Paris, de Bill Blass, agressivamente refinado em Sutton Place, ou a casa de Halston, com sua elegância nata.

“Eu não sou particularmente bom em ter um conceito ou um olhar”, Jacobs diz em resposta a perguntas sobre a sensibilidade estética de sua casa. “Eu só quero viver com coisas que realmente goste, como mobiliário Art Deco, peças dos anos 70, e arte contemporânea. Mas eu não quero uma casa com cara de uma galeria intocada ou um palco Deco, quero apenas algo inteligente, refinado e confortável. ”

Um viciado quase junkie em design, monitorando casas de leilões e comerciantes em todo o mundo, Jacobs não mede esforços para obter exatamente o que ele quer. Por exemplo, o par de macacos de bronze de François-Xavier Lalanne que enfeitam o quarto do designer. “Eu os vi em uma foto na Vogue, e fiquei obcecado por eles. Eu tinha que tê-los na minha casa “, lembra Jacobs. “Entrei em contato com Paul Kasmin Gallery, liguei para a Sotheby, e finalmente chamei a colecionadora de arte Jane Holzer. Ela apresentou-me aos Lalannes em Paris, e me trouxe os macacos.”

Histórias semelhantes cercam a aquisição de outras peças importantes na decoração de Jacobs. A coleção de peças em bronze, de Diego Giacometti, uma mesa e arandelas de Pierre Chareau, uma luminária em forma de mamute, de Eugène Printz, uma escrivaninha Samuel Marx, bem como mobiliário encomendado para a casa. O tapete na sala de televisão ao nível do jardim, por exemplo, é baseado em uma criação de arquivo Syrie Maugham do início dos anos 30 que Jacobs viu em um livro de design antigo. Ele se sente em casa com seus gloriosos Gerhard Richter, pinturas à base de fotografias dos anos 60, e suas obras-primas contemporâneas de Richard Prince.

Quando Jacobs comprou a casa recém-construída em 2009 para si e seu antigo parceiro Lorenzo Martone, era apenas um espaço cru, então ambos recorreram ao designer de interiores Thad Hayes, para supervisionar a sua obra e decoração. Hayes lembra um momento revelador no início do processo, quando ele e Jacobs estavam discutindo opções de estofamento. “Nós estávamos olhando para um clássico e quadradão sofá de Jean-Michel Frank Marc disse, sem constrangimento,” É claro que eu adoro este sofá, está tatuado no meu torso. ‘ Então, ele levantou a camiseta e mostrou-me o sofá “.

Jacobs e Martone separaram-se antes que a casa fosse concluída, e o designer de moda terminou o projeto com John Gachot, um decorador que originalmente trabalhou no escritório de Hayes, e Paul Fortune, amigo de longa data de Jacobs. “Eu já tinha trabalhado com Marc em seu apartamento em Paris,” Fortune diz  “por isso houve um certo nível de conforto. Ele tinha suas ideias sobre o local em New York, e eu estava lá para ver se essas ideias iriam funcionar.  “Um dia, Marc anunciou que tinha comprado uma escultura gigante do Dunga, de Paul McCarthy da série Branca de Neve. O único lugar em que poderíamos colocá-la era na sala de televisão, tivemos que fechar a rua e transportar a escultura pela parte traseira da casa”.

“A sala de televisão era tão perfeita que eu senti que precisava de algo para atrapalhar toda a ordem e refinamento”, Jacobs diz em sua própria defesa. Vamos conhecer e entrar na intimidade de Marc???

Som de Guilbert O’Sullivan – Claire

 

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s