Apartamento Clássico Francês !!!!!


Os proprietários deste apartamento em Lyon, França, criaram um espaço que é completamente o oposto da antiga residência onde moravam, escura e sombria. Pierre Emmanuel Martin e Stéphane Garotin, ambos designers de interiores viviam em um apartamento quase que completamente preto. ” Era muito aconchegante no Inverno, e muito acolhedor á noite, mas no Verão era difícil de viver nele “. Então, quando o casal decidiu- se mudar, eles tinham como única intenção um local leve, claro e arejado. Vamos ver?

Som de Carole King – It’s To Late

Este apartamento de 140 metros quadrados, é exatamente o que eles queriam. Localizado no terceiro andar de um edifício datado de  1852, as principais salas são viradas para o Sul, posição ideal para a entrada do sol, se você estiver no Hemisfério Norte.

O restante dos espaços giram em torno de um pátio interno. ” Você pode andar por todo o apartamento como se fosse um grande círculo, o que faz com que ele pareça muito maior do que realmente é “. ” Do quarto podemos ver a cozinha, e do banheiro podemos ver a sala de estar. É como se nós fossemos nossos próprios vizinhos “, explica Martin.

O apartamento fica no bairro Ainay, no centro da cidade. Antigamente esta região era lar de famílias aristocráticas envolvidas no comércio da seda, e atualmente, a área tornou-se cada vez mais valorizada, possui um grande número de lojas de design de interiores, incluindo a própria loja de Martin e Garotin, em uma antiga garagem a apenas três minutos a pé da sua casa.

Usando todo o conhecimento de arquitetura e decoração, o casal foi obrigado a transformar todo o apartamento, que tinha sido habitado pelos mesmos proprietários durante quase meio século. “Ele estava em um estado terrível”, diz Martin.

Os antigos quartos ainda ostentavam papéis de parede da década de 80, representando pistas de carros, e a cozinha totalmente básica, era separada do banheiro por apenas uma cortina de plástico. Ainda assim, tanto ele como Garotin viram que o espaço tinha excelentes características. “Há belas molduras, um piso maravilhoso em parquet antigo e detalhes magníficos nos painéis de parede”, explica ele. “Estávamos completamente seduzidos.”

Para contrastar com a opulência do apartamento do século 19, os designers mantiveram a sua decoração simples. “Como ele é bastante trabalhado em detalhes, não havia motivo para adicionar muito”. As paredes foram todas pintadas da mesma cor, um bege pálido criado com a ajuda de um amigo, proprietário de uma companhia de pintura orgânica em Lyon.

O restante da paleta é dominada por pretos e pardos. “As cores brilhantes não são realmente a nossa praia,” professa Martin. “Nós gostamos delas, mas em outros lugares,  no sul da França, na Índia ou quando estamos de férias, mas para a vida diária nós preferimos algo mais sereno.”

Os sofás são fora das medidas padrão, e possuem muitas almofadas, para um maior conforto e também para adicionar um toque sutil de cor. Uma colagem de Julio Villani e uma litografia de Jean-Philippe Aubanel enfeitam a parede.

Os únicos outros motivos evidentes são os desenhos geométricos dos tapetes marroquinos artesanais. “Para nós, eles são lindos, atemporais e confortáveis.”

Muitos dos objetos foram originados de viagens do casal ao exterior. “Cada vez que viajamos ao redor do mundo, nós tentamos trazer para casa um pedaço de onde nós estivemos”, diz Martin. Estes incluem cestaria do Japão e Camboja, uma seta de madeira adquirida na ilha indonésia de Sulawesi, uma caixa de ofertório de Myanmar e um par de esculturas em cerâmica de um mercado de pulgas de Atenas.

Na sala de estar, duas obras de arte em preto e branco de um mestre calígrafo chinês, comprei este ano no distrito de arte M50 de Xangai. “É realmente um lugar incrível, com dezenas de galerias e estúdios de artistas”, diz Martin.

Antigo piso em parquet adiciona um padrão e textura em todo o apartamento. A cabeça bordada no banco é do artista Yveline Tropea, e as obras de arte são Mathias Schmied, comprados na Galerie Houg em Lyon.

A luminária de papel vista através da porta no hall de entrada é  trabalho de Isamu Noguchi ‘Akari E’.

Uma das atrações do apartamento para os designer de interiores Pierre Emmanuel Martin e Stéphane Garotin foi seu requintado detalhamento arquitetônico, como visto na sala de estar e sala de jantar.

Os proprietários montaram a cozinha com várias prateleiras,  e um banco de mármore como ilha. Exibidas nas prateleiras, várias cestas e vasos coletados durante viagens por toda a Ásia. O ‘Lektor’ lâmpada de mesa é de Rubn, uma empresa de iluminação sueca.

Castiçais de bronze marroquinos adicionam glamour a uma borda da janela simples, em um dos corredores. A foto, de Rip Hopkins, foi adquirida na Galerie Le Reverbere em Lyon.

O espaço do guarda-roupa com muita luz natural.

Duas esculturas de cerâmica encontradas em um mercado de pulgas de Atenas são justapostas na sala de estar, em cima da  lareira com uma escultura pássaro de Ghyslain Bertholon. A luminária de piso Flos ‘Luminator “é um dos  desenhos clássicos de Pier Giacomo Castiglioni.

Janelas por todas as paredes deste apartamento, inundando cada quarto com luz natural.

Dúvidas, perguntas ou questionamentos sobre decoração? Precisa de um trabalho de consultoria para sua casa? Favor entrar em contato pelo blog, ou E-mail nunoalmeida61@gmail.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s